Memória 29/07/2020 20h31

A Gazeta esteve lá: na mostra de Sebastião Salgado

Famoso fotógrafo esteve em Porto Alegre, em 2014, e a Gazeta visitou a sua exposição

Maior referência contemporânea em fotografia no Brasil, o mineiro Sebastião Salgado, 76 anos, desenvolveu importantes projetos de cunho social e ambiental. Natural de Aimorés, no Vale do Rio Doce, a 440 quilômetros de Belo Horizonte, e radicado em Paris, na França, país com o qual possui longo vínculo profissional, percorre o mundo captando imagens de cunho temático, que se transformam em exposições concorridas e em livros-álbuns.

E foi por conta de um desses projetos que esteve em Porto Alegre em março de 2014, para o lançamento da exposição Gênesis, vinculada ao livro homônimo. Na oportunidade, foi agraciado com o título de Cidadão de Porto Alegre e proferiu aula magna no Salão de Atos da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs).

Salgado e a esposa Lélia no ambiente da exposição

LEIA MAIS: A Gazeta esteve lá: na COP 4, em Punta del Este

Para a Gazeta, que registrou toda a trajetória de Salgado e anunciou seus projetos e livros, a ocasião da vinda a Porto Alegre não poderia passar despercebida. Assim, a visita do fotógrafo, acompanhado de sua esposa e companheira de projetos Lélia Wanick Salgado, foi conferida pelo então editor da Editora Gazeta, jornalista Romar Rudolfo Beling, e pelo fotógrafo Lula Helfer, da Gazeta do Sul, desde sempre um admirador do trabalho do colega mineiro.

A exposição Gênesis foi sediada na Usina do Gasômetro, no centro histórico, e a abertura oficial, em 13 de março, uma quinta-feira, foi precedida por entrevista coletiva concedida por Salgado em companhia de Lélia. Depois, ambos circularam pelo ambiente da mostra e posaram para fotos. Mais do que registrar a passagem de Salgado, Lula o brindou com exemplar de seu próprio livro, o volume Trinta e seis: fotos com poesia, com fotos selecionadas de Lula e poemas de Beling, Mauro Ulrich e Daniela Damaris Neu. O curioso é que Sebastião Salgado fez questão de circular pela exposição, no Gasômetro, com o livro de Lula visivelmente em suas mãos, e como tal apareceu nas mídias. A mostra ficou no local até 12 de maio.

A agenda de Salgado e Lélia teve continuidade na sexta-feira, dia 14, quando ele proferiu a aula magna na parte da manhã, enquanto à tarde recebeu o título honorífico da Câmara de Vereadores.

O casal diante de uma das fotos da mostra Gênesis

LEIA MAIS:
A Gazeta esteve lá: na COP 7, em Nova Délhi, em 2016
A Gazeta esteve lá: na COP 8, em Genebra, na Suíça


Multipremiado, ele desenvolve desde 1996 projetos de enorme repercussão: começou com a série Trabalhadores, à qual se seguiram os livros Terra, Serra Pelada e Outras Américas, ainda nos anos 90. Mas foi com Êxodos, de 2000; e África, de 2007, que conquistou a admiração definitiva. Em Gênesis, percorreu alguns dos lugares mais paradisíacos e intocados do planeta para registrar ambientes ainda livres da presença ou da ação do homem, como os últimos espaços de natureza ainda autêntica. Depois de Gênesis, seu último grande projeto foi Perfume de Sonho, de 2015, sobre os cafezais em diferentes países. A entrevista e a abertura da mostra renderam matéria especial no suplemento Magazine, da Gazeta do Sul.

LEIA MAIS:
A Gazeta esteve lá: na porta de entrada do contrabando
A Gazeta esteve lá: na terra do tabaco no Nordeste