JF Vighi 13/01/2019 23h50 Atualizado às 10h02

No alto

O Avenida perdeu mais um amistoso no início da temporada, assim como no ano passado

O Avenida perdeu mais um amistoso no início da temporada, assim como no ano passado. Fabiano Daitx começou o jogo contra o Pelotas praticamente com a mesma equipe que ganhou a Copinha, jogando atrás e esperando o adversário. Insistência ou consciência.

Sem dúvida, os resultados demonstram o lado positivo de uma equipe que joga atrás da linha do meio do campo, dando a bola para o adversário. Porém, alguns detalhes devem ser observados. Se contra o São Luiz, nos Eucaliptos, dois gols na derrota de 3 a 0 foram de bola parada, em Pelotas não foi diferente. Os gols do adversário foram de bolas alçadas na área após escanteios.

Em jogos complicados, como os do Gauchão, essa será uma das armas que o Avenida enfrentará. Não é uma crítica ao sistema de jogo adotado pelo técnico do Periquito. Porém, na filosofia defensiva, um dos parâmetros é não tomar gols.
As alterações de intervalo mudaram o jogo. De imediato, o Avenida empatou. Na teoria, parece que o sistema de jogo deveria ser mantido. As entradas de Tito e Marcos Paraná deram um dinamismo do meio para frente e o Periquito tomou conta do jogo, dominando o adversário.

O ingresso de Matheus acrescentou ofensividade e o empate poderia ter acontecido pelo bom desempenho da equipe no segundo tempo. Tenho convicção de que Marcos Paraná e Tito têm lugar na escalação periquita. Matheus já vinha mostrando sua importância na Copinha. Contratações que acrescentam qualidade e experiência para compromissos futuros.
Mudar ou não é uma opção do técnico. São observações feitas principalmente nos jogos em que o Avenida foi derrotado. O campeonato começará no sábado que vem, fora de casa, contra o Veranópolis. Aguardemos.