Rádios ao vivo

Leia a Gazeta Digital

SEGURANÇA PÚBLICA

Brigada Militar comemora bons resultados no primeiro semestre

Foto: Cristiano Silva

Jamanta foi preso em Passo do Sobrado

Além das ações diárias que a BM realiza na região, algumas pontuais destacaram-se no primeiro semestre. Além da prisão de Jamanta e do arsenal da facção, ainda em janeiro o 23º BPM apreendeu mais de 46 quilos de drogas em um sítio de Linha Travessa, em Rio Pardinho, interior de Santa Cruz do Sul. Quatro pessoas foram presas por tráfico internacional.

LEIA TAMBÉM: Armas no forro e perseguição: os bastidores da ação que colocou ladrão de banco na cadeia e apreendeu arsenal

A ação ficou marcada como a maior apreensão de entorpecentes dos últimos anos em Santa Cruz e uma das mais expressivas da história na região. Para o comandante do Comando Regional de Polícia Ostensiva do Vale do Rio Pardo (CRPO/VRP), tenente-coronel Giovani Paim Moresco, uma série de fatores contribuiu para esse sucesso. “Estamos há bastante tempo trabalhando para baixar os indicadores de criminalidade. Esses fatos que aconteceram fazem parte de um escopo muito mais profundo que as ações normais diárias.”

Armas seriam “alugadas” para ladrões de banco

O comandante do CRPO/VRP, tenente-coronel Giovani Paim Moresco, afirmou que a aliança entre os setores de Inteligência e a Força Tática da BM é um eixo central para o êxito das abordagens. “A unificação dessas duas equipes, mais o aprimoramento das nossas rotinas normais, tem propiciado esse êxito.” Sobre a apreensão do armamento, Moresco revela que há bastante tempo se trabalhava com a possibilidade de haver um bunker na região, onde armas de grosso calibre poderiam estar sendo guardadas para serem alugadas por bandidos interessados em empregá-las em crimes graves, sobretudo em roubos a agências bancárias – em abril e maio, armas do tipo foram usadas em ataques a bancos em Santana da Boa Vista e Amaral Ferrador.

LEIA TAMBÉM: VÍDEO: veja detalhes da ação da BM que apreendeu arsenal de facção em Venâncio Aires

Moresco: “Muita energia e faro apurado”

“Sabíamos que essas armas poderiam estar sendo utilizadas em uma cadeia delituosa, desde aluguel para roubos a banco, até pela própria facção, para manutenção do seu território, mostrando seu poderio bélico. E falando sobre a prisão do Jamanta, há muito tempo estávamos no encalço dele, que sempre foi um dos principais articuladores da parte logística e da elaboração e planejamento de roubos a banco na nossa região”, disse Moresco. Por fim, o comandante agradeceu o empenho de suas guarnições. “A Brigada Militar está trabalhando, exercendo seu papel e buscando inovações tecnológicas operacionais para, cada vez mais, trazer paz social às nossas comunidades. E só conseguimos essa historicidade toda a partir das nossas técnicas e com a nossa tropa imbuída da missão. Estamos com muita energia e faro apurado.”

As armas

  • 5 espingardas calibre 12;
  • 2 fuzis calibre 556;
  • 1 fuzil calibre 762;
  • 2 submetralhadoras 9mm;
  • 5 pistolas 9mm;
  • 1 revólver calibre 44 Magnum;
  • 1 revólver calibre 357 Magnum;
  • 1 arma artesanal Kit Roni;
  • 22 carregadores de pistola;
  • 3 carreg. caracol de calibre 9mm;
  • 8 carregadores calibre 12;
  • 4 carregadores de fuzil;
  • 347 munições calibre 762;
  • 47 munições calibre 762 curta;
  • 2 munições calibre 9mm;
  • 3 munições calibre 556;
  • 307 munições calibre 12;
  • 6 munições calibre 38.

LEIA MAIS NOTÍCIAS DE POLÍCIA

Quer receber as principais notícias de Santa Cruz do Sul e região direto no seu celular? Então faça parte do nosso canal no Telegram! O serviço é gratuito e fácil de usar. Basta clicar neste link: https://t.me/portal_gaz. Ainda não é assinante Gazeta? Clique aqui e faça sua assinatura!

Aviso de cookies

Nós utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdos de seu interesse. Para saber mais, consulte a nossa Política de Privacidade.