Rádios ao vivo

Leia a Gazeta Digital

FIQUE ATENTA

Confira mitos e verdades sobre diabetes gestacional

Foto: Pixabay

A Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD) estima que cerca de 25% das mulheres grávidas desenvolvem o diabetes gestacional. A doença é caracterizada pelo aumento dos níveis de glicose no sangue durante a gravidez e o acesso à informação é fundamental para prevenir e tratar o problema. Para entender a doença, o Dr. Marcio Krakauer, Endocrinologista e Coordenador do Departamento de Tecnologia, Saúde Digital e Inovação da SBD, esclareceu as principais dúvidas, mitos e verdades.

LEIA MAIS: Dia Nacional do Diabetes: pacientes devem buscar qualidade de vida

Os sintomas são difíceis de serem identificados

Verdade – Assim como os outros tipos de diabetes, os sintomas são facilmente confundidos com outras doenças. Por esse motivo, é muito importante que o acompanhamento de pré-natal seja realizado da forma correta. São nessas consultas que se avaliam o nível de glicose e qualquer outra complicação.

Se tiver diabetes gestacional, o bebê nascerá com malformações congênitas

Mito – A má formação pode ser uma complicação do diabetes, porém isso pode acontecer quando a mãe já tenha sido diagnosticada com diabetes antes da gravidez e não tenha feito o tratamento da forma correta. Durante os últimos meses de gestação, quando pode ocorrer o diabetes gestacional, o bebê já passou pelo processo de formação e só está em fase de crescimento no útero.

LEIA TAMBÉM: Estudo analisa relação entre diabetes e ocorrência grave de Covid-19

É uma doença que não causa problemas para o bebê

Mito – Se o diabetes gestacional não for tratado, pode aumentar o nível de glicose no sangue do bebê. Isso leva à maior produção de insulina que o normal, fazendo com que a criança nasça com baixos níveis de glicose no sangue, podendo causar problemas respiratórios e a chance do desenvolvimento de diabetes tipo 2. Além do risco de aborto, crescimento indevido, excesso de líquido amniótico, dentre outros riscos.

Após a gravidez o diabetes gestacional é curado naturalmente

Em parte – A maioria das mulheres apresenta normalização após o parto, mas uma parcela significativa permanece com diabetes (semelhante ao tipo 2) constantemente. É recomendado observar os níveis de glicemia nos primeiros dias e orientar a manutenção de uma dieta saudável, evitando prescrição de dietas hipocalóricas e incentivando o aleitamento materno, que pode contribuir para a redução do risco de desenvolvimento de diabetes tipo 2 após a gestação. Caso ocorra hiperglicemia durante o período de amamentação, o uso de insulina é indicado. A tolerância à glicose deve ser reavaliada a partir de seis semanas após o parto e medidas de adoção de estilo de vida saudável devem ser estimuladas.

Existe uma forma de prevenir o desenvolvimento do diabetes gestacional

Verdade – Fazer escolhas saudáveis na hora da alimentação, além da prática regular de exercícios e a perda de peso para pessoas com sobrepeso ou obesidade, pode ajudar na prevenção do diabetes e de outras doenças.

A gravidez tardia é um dos fatores de risco para o desenvolvimento da doença

Verdade – Mulheres que engravidam após os 35 anos de idade são consideradas um dos grupos de risco para o diabetes gestacional. Então é fundamental verificar os níveis de glicose e ter um acompanhamento pré-natal.

LEIA TAMBÉM: Pandemia reduz atividade física de quase 60% das pessoas com diabetes

Fonte: Biomm

Quer receber as principais notícias de Santa Cruz do Sul e região direto no seu celular? Então faça parte do nosso canal no Telegram! O serviço é gratuito e fácil de usar. Basta clicar neste link: https://t.me/portal_gaz. Ainda não é assinante Gazeta? Clique aqui e faça sua assinatura!

Aviso de cookies

Nós utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdos de seu interesse. Para saber mais, consulte a nossa Política de Privacidade.