Rádios ao vivo

Leia a Gazeta Digital

MEMÓRIA

Da diligência aos modernos ônibus

Ônibus com carrocerias de madeira ou de metal eram sucesso no século passado | Fotos: Álbum de Nelson Filter

Com a colaboração do leitor Nelson Filter, recordamos um pouco da história de uma das mais tradicionais empresas de transportes de mercadorias e passageiros do Estado, a Filter Irmãos de Santa Cruz do Sul. Suas atividades começaram no início do século passado.

O pioneiro foi Henrique João Filter, que era proprietário da área onde fica o Parque da Gruta. Entre suas atividades, estava a condução de cargas em carroções (Frachtwagen). Dos seus sete filhos, três seguiram os passos do pai no ramo de transportes.

Em novembro de 1916, seu filho Helmuth Filter criou uma linha de diligências (carroças) entre Santa Cruz e Candelária. Os carroções, puxados por cavalos e burros, levavam passageiros e mercadorias. As estradas eram precárias e a viagem podia levar um dia inteiro. Tempos depois, o filho Alfredo implantou diligências entre Santa Cruz e Venâncio Aires, e o filho Arthur passou a realizar o serviço entre Santa Cruz e Cachoeira. Essa rede interligada trazia e levava mercadorias e correspondências ao Porto Novo e ao entroncamento ferroviário de Bexiga.

Diligências Filter, puxadas por cavalos e burros, iniciaram o transporte de passageiros

Com a ampliação dos negócios, a Filter Irmãos investiu em veículos motorizados, os ônibus mistos. A caixa dos caminhões recebia assentos de madeira e transportava passageiros e mercadorias. Logo, vieram ônibus modernos, com carrocerias de madeira (ou de metal) e bancos estofados.

No ínício de 1940, foi feita parceria com o Expresso Gaúcho, com linha a Porto Alegre. O Gaúcho fazia o percurso de ida e a Filter o da volta. Em 1955, veio outra novidade: Helmuth, o filho Edgar, o genro Ronaldo Born e Arnoldo Becker organizaram o transporte coletivo urbano de Santa Cruz do Sul.

Com a venda da concessão urbana, Helmuth continuou com a linha para Candelária e seu filho Edgar iniciou o transporte de passageiros entre Santa Cruz e Santa Maria. No final dos anos 50, a Viação União Santa Cruz adquiriu essa concessão. A empresa Filter não existe mais, mas permanece na memória de quem utilizou seus serviços por várias décadas.

LEIA MAIS COLUNAS DE ZÉ BOROWSKY

Aviso de cookies

Nós utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdos de seu interesse. Para saber mais, consulte a nossa Política de Privacidade.