Rádios ao vivo

Leia a Gazeta Digital

HOMENAGEM

Dia do Empreendedorismo Feminino: mulheres já respondem por quase 50% dos negócios

Carine e Daiane: mulheres estão cada vez mais presentes no mundo dos negócios e também buscam informação e capacitação | Foto: Luiza Pretzel/Divulgação

Uma data para encorajar as mulheres a liderarem seus próprios negócios, o Dia Mundial do Empreendedorismo Feminino é celebrado nesta sexta-feira, 19. Criado em Santa Cruz do Sul em 2017, o Grupo Empodere tem como objetivo fomentar a criação e manutenção de negócios femininos. Em cinco anos de atuação, a iniciativa ajuda as empreendedoras a construir negócios duradouros e conquistar os resultados sonhados, e recentemente lançou também uma casa com soluções para empresárias e um clube de assinaturas com conteúdo e networking.

De acordo com a treinadora de vendas Carine Andrade, as pesquisas apontam que o número de mulheres empreendedoras já passa de 30 milhões no Brasil, o que representa quase 50% dos empreendimentos no País. Na pandemia, muitas profissionais que perderam seus empregos e tiveram salários reduzidos acabaram buscando uma forma de renda, de se realizar e fazer o que sempre tiveram vontade. “A gente acredita que o empreendedorismo feminino é muito importante porque o olhar das mulheres tem trazido um prisma diferente para o mundo dos negócios”, relata.

Além de ser presença constante no mundo dos negócios e de trazer um olhar mais humanizado, as mulheres estão em busca de capacitação. A mentora de negócios Daiane Nascimento conta que, nos cursos e treinamentos fora daqui, percebe que há muito mais mulheres do que homens buscando o desenvolvimento pessoal e profissional. “Elas estão atentas ao consumo e entendem o poder do conhecimento. Temos um teto, e quanto mais se desenvolve, mais a gente abre espaço para o negócio crescer.”

LEIA MAIS: Empreendedorismo feminino: inspirações para enfrentar os desafios

Daiane e Carine relatam que as principais dificuldades enfrentadas pelas mulheres que empreendem são a falta de incentivo, principalmente das pessoas mais próximas; a insegurança e as autocobranças excessivas. Muitas empresárias acham difícil conciliar os papéis de mãe, esposa e empreendedora e se sentem sozinhas no mundo profissional. Uma das dicas do Empodere é que elas tenham um foco no fortalecimento da mentalidade. No entanto, apesar de a maioria trabalhar sozinha nessa gestão, as mulheres não relatam problemas para encontrar financiamentos e linhas de crédito, por exemplo.

O papel do Empodere nesse sentido surge da percepção de que empreender é diferente para as mulheres. “Quando é uma mulher empreendedora são vários pilares – autoestima, cuidado com ela mesma, realização profissional, família, relacionamento. Todos esses pilares importam, não só os negócios.” O grupo pretende criar um ambiente seguro, onde é possível encontrar outras pessoas que passam pelos mesmos problemas e sair empoderada e fortalecida para construir negócios sólidos.

LEIA MAIS: Empoderamento feminino: uma causa histórica

Uma casa e um clube

Entre as inovações mais recentes do grupo, a Casa Empodere foi inaugurada em maio deste ano. Funcionando em estilo coworking, o espaço abriga soluções para negócios, com serviços de contabilidade, assessoria jurídica, marketing digital e arquitetura, além de gestão de negócios, vendas, liderança, mentorias, consultorias e treinamentos. “Tentamos reunir o máximo possível de profissionais que fossem sanar as principais dúvidas. São soluções que as mulheres que empreendem precisam, principalmente para quem está começando ou para negócios pequenos”, explica Carine. Desde a abertura, mais de cem atendimentos já foram prestados no local.

Outra inovação é um clube de assinaturas para mulheres empreendedoras, uma comunidade fechada e rede de apoio com conteúdos e networking. “O clube funciona online e possui cem sócias, mulheres empresárias e empreendedoras que quinzenalmente se encontram para adquirir conhecimentos e para gerar negócios.” A meta é que ele esteja com 200 assinantes até o fim do ano, reunindo mulheres para falar de negócios e trocar experiências.

“O clube é nossa porta de entrada para ajudar mulheres”, frisa Daiane. O clube tem um custo mensal de R$ 39,90 e oferece a chance de participar dos encontros e aulas, além de realizar negócios e parcerias entre os membros.

LEIA TAMBÉM: Dia da Mulher: elas estão na linha de frente contra o coronavírus

Quer receber as principais notícias de Santa Cruz do Sul e região direto no seu celular? Então faça parte do nosso canal no Telegram! O serviço é gratuito e muito fácil de usar. Se você já tem o aplicativo, basta clicar neste link: https://t.me/portal_gaz. Se ainda não usa o Telegram, saiba mais sobre o app aqui e veja como baixar.

Aviso de cookies

Nós utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdos de seu interesse. Para saber mais, consulte a nossa Política de Privacidade.