Close sidebar

Rádios ao vivo

Leia a Gazeta Digital

Tempo de mudanças

Especialista dá dicas de empreendedorismo para o público feminino

Nadiane Nardi, proprietária do Instituto Ibec e especializada em gestão, liderança e coaching

Se em um cenário considerado normal, os desafios profissionais historicamente costumam ser maiores para o público feminino, o agravamento da pandemia do coronavírus reforçou esse quadro. Prova disso é que em 2020 o percentual de mulheres que estavam trabalhando ficou em 45,8% no terceiro trimestre, segundo os dados mais recentes do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), o nível mais baixo desde 1990 (quando a taxa ficou em 44,2%). Entre as trabalhadoras ou empreendedoras, os últimos tempos também foram marcados pelo acréscimo nas demandas, seja no emprego ou em casa.

Encontrar o equilíbrio é a solução mais adequada para cada momento, no entanto, não é uma tarefa fácil. É preciso aliar diferentes habilidades e buscar autoconhecimento. Quem aponta esse e outros caminhos (veja dicas abaixo) é Nadiane Nardi, proprietária do Instituto Ibec e especializada em gestão, liderança e coaching. Segundo ela, na área dos negócios e nos demais ambientes, a pandemia trouxe a necessidade de uma rápida adaptação. Como mulher e empreendedora, Nadiane também precisou rever sua rotina e agenda e se adaptar ao home office.

LEIA TAMBÉM: Falas femininas: especial narra a história de luta de cinco mulheres brasileiras

“Tive muito apoio do meu marido. A divisão de tarefas, principalmente no suporte com os filhos, foi essencial para tudo dar certo. Mas sei que a minha realidade é diferente de várias outras mulheres. Para muitas a proteção do isolamento não foi opção, muitas não puderam escolher, perderam o emprego ou tiveram que pedir demissão; muitas continuaram trabalhando na linha de frente ou não sabiam como iriam pagar as contas e comprar comida no final do mês”, aponta. Lembra ainda que, muitas vezes, mulheres sofreram agressões físicas do companheiro, outro fator exacerbado pela pandemia.

E tudo isso atingiu o público feminino de um modo geral, observa. Quando o assunto é o cenário pós-pandemia, especialmente em relação ao mercado de trabalho, as perspectivas também são desafiadoras. Com o futuro ainda incerto, a oferta de vagas continuará limitada. Na análise de Nadiane, o mercado tende a demorar para absorver todas as mulheres que saíram da força de trabalho ou tiveram que fechar seus negócios durante a pandemia.

LEIA TAMBÉM: A força da mulher catadora em Santa Cruz

Para compartilhar

A pedido da reportagem, Nadiane listou cinco “dicas de ouro” para as mulheres, em especial as empreendedoras.

Confira

Trabalhe com seu autoconhecimento, ele vai trazer equilíbrio e a tomada das melhores soluções e decisões, tanto pessoais como profissionais.

Aceite as mudanças. O quanto antes você aceitar a realidade que está sendo imposta, mais cedo terá condições de visualizar o que pode ser feito naquele momento. Ter uma mentalidade centrada em soluções é o grande diferencia

Faça perguntas críticas quanto ao seu negócio: como posso permanecer relevante na minha área? Como posso adaptar meu modelo de negócio ao momento atual? Que modificações preciso fazer para manter minha competitividade? A mudança gera desafios, mas pode apresentar muitas oportunidades.

Invista nas redes sociais e, dependendo do seu ramo, no e-commerce, em tempos de distanciamento social e novos hábitos de consumo, é um grande elo de conexão com seus clientes.

Seja resiliente, cerque-se de pessoas positivas e continue desenvolvendo suas redes de contatos. Cada negócio e cada tipo de profissão tem suas particularidades, por isso nunca deixe de buscar desenvolvimento pessoal e aprimoramento profissional.

LEIA TAMBÉM: Dia da Mulher: elas estão na linha de frente contra o coronavírus

Mais sobre

Aviso de cookies

Nós utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdos de seu interesse. Para saber mais, consulte a nossa Política de Privacidade.