Rádios ao vivo

Leia a Gazeta Digital

BELEZA

Extensão de cílios: do natural ao volumão

Volume brasileiro: técnica que usa cílios em formato de Y, que não perdem a curvatura | Foto: Divulgação Instituto Ana Hickmann

Sucesso entre as brasileiras, a extensão de cílios é uma opção muito procurada pelas mulheres que querem valorizar os olhos sem o uso da maquiagem. O universo dos cílios, no entanto, assim como diversos serviços da área da beleza, vai muito além disso: existe uma série de técnicas e cuidados a serem levados em conta na hora de escolher a melhor opção para você.

O primeiro de todos os passos é a busca por um profissional responsável e bem instruído – isso fará toda a diferença na extensão de cílios, independentemente da técnica escolhida. A empresária Jaqueline Fernanda Winck, franqueada do Instituto Ana Hickmann – escola profissionalizante na área da beleza – ressalta que, para trabalhar com extensão de cílios, é necessário estudo contínuo.

LEIA TAMBÉM: Elas: décima primeira edição evidencia o pioneirismo e a pluralidade das mulheres

“A profissional extensionista de cílios, após preencher uma ficha de anamnese e conversar com a cliente, para entender as expectativas e necessidades dela, analisa o tipo de rosto da cliente e, através do visagismo, orienta sobre a técnica mais indicada para ela, valorizando e harmonizando os traços do rosto”, explicou. Atualmente, existem no mercado vários métodos disponíveis para a profissional trabalhar, assim como opções de materiais e produtos. Dessa forma, é possível escolher materiais mais leves e sofisticados, variando tamanho, espessura e curvatura do fio que será utilizado.

As técnicas disponíveis

  • Clássico – Também conhecida como fio a fio, é a mais indicada para a primeira aplicação de cílios, porque o resultado fica mais natural. Consiste na aplicação de um fio único no cílio natural.
  • Brasileiro – O volume brasileiro já dá mais destaque aos cílios. A técnica é igual à do volume clássico, mas se utiliza um fio em formato de Y, proporcionando mais curvatura e volume ao olhar.
  • Egípcio – Enquanto o brasileiro tem formato de Y, o volume egípcio possui três fios unidos na base, no formato de um W. A diferença no resultado é, principalmente, que, por ter um fio a mais, deixa mais volume, sem perder a leveza.
  • Russo – Quando a vontade é se jogar nos cílios, o volume russo pode ser a opção mais indicada. Nesta técnica, são aplicados de três a sete fios sintéticos em cada fio natural.
  • Híbrido – O volume híbrido consiste em unir duas técnicas diferentes para “personalizar” o resultado, adaptando os formatos para harmonizar com o rosto de cada pessoa.
  • Lash lifting – Enquanto as técnicas anteriores consistem na colagem de fios nos cílios, o Lash lifting trabalha com os pelos naturais da cliente. Conforme Jaqueline, é feita a curvatura dos cílios, além de coloração e hidratação dos fios naturais. A técnica dá o efeito curvex e é muito procurada por quem tem os fios mais clarinhos na região dos olhos e não quer usar rímel com tanta frequência.

Cuidados após a aplicação – Segundo a empresária Jaqueline Fernanda Winck, a higienização correta faz parte da rotina diária de cuidados, para que o resultado dure mais tempo. Muitas mulheres acreditam que, se molharem as extensões, os fios vão cair. “Isto não é verdade”, afirmou. É necessário lavar os cílios todos os dias, para evitar a proliferação de fungos e bactérias. Nesse processo, o ideal é utilizar um frasco de pump, preenchido com 1/4 de xampu neutro e o restante com água filtrada. A espuma deve ser aplicada diretamente nos cílios, com a ajuda de um cotonete. Confira outros cuidados importantes para ter os cílios dos sonhos:

  • Não molhar as extensões durante 12 a 24 horas após a sua aplicação;
  • Não utilizar produtos à base de óleo na região dos cílios, nem removedores de maquiagem;
  • Não esfregar os dedos nos cílios.

No caso específico do Lash lifting, o único cuidado é não lavar os cílios por 24 horas, depois “é vida normal”.

Manutenção e remoção – A manutenção dos cílios é realizada a cada 20 dias., levando em conta o ciclo de vida dos fios, que vão caindo naturalmente. No procedimento de manutenção, são preenchidos os espaços das hastes que caíram. Caso a cliente não queira realizar a manutenção, pode deixar a extensão sair ou fazer a remoção química. Essa retirada, com uso de produto que dissolve a cola, também serve para quando o resultado não é satisfatório ou há alguma indicação médica, em função de irritação nos olhos.

LEIA TAMBÉM: Saiba por que períodos de frio são ideais para fazer procedimentos estéticos

Tempo de procedimento – Uma profissional experiente pode demorar três horas, mas o processo todo pode chegar a até quatro horas e meia. Já a manutenção dura em torno de duas horas. O Lash lifting é uma opção mais rápida, que costuma levar pouco mais de uma hora.
Contraindicações – Mulheres grávidas, com problemas oculares, pressão alta ou diabetes, que tenham blefarite, não estejam com os cílios saudáveis, tenham passado por quimioterapia recentemente ou tenham algum tipo de alergia, não podem passar pelos procedimentos. Em caso de dúvida se você pode ou não fazer a extensão de cílios, consulte o seu médico.

LEIA MAIS NOTÍCIAS DA EDITORIA ELAS

Quer receber as principais notícias de Santa Cruz do Sul e região direto no seu celular? Então faça parte do nosso canal no Telegram! O serviço é gratuito e fácil de usar. Basta clicar neste link: https://t.me/portal_gaz. Ainda não é assinante Gazeta? Clique aqui e faça sua assinatura!

Aviso de cookies

Nós utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdos de seu interesse. Para saber mais, consulte a nossa Política de Privacidade.