Rádios ao vivo

Leia a Gazeta Digital

Música

Forte Apache e o Espiral lança demo perdida de 2016

Na época, Eder Nanaco e Davi Lopez produziram as canções que estão no registro. Hoje banda conta ainda Carlos Pê e Gabriel Becker | Crédito da foto: Bruna Rosa

Quisera eu poder ter vivido o final dos anos 80 e início dos anos 90. Que fase repleta de transições, de mudanças de comportamento, de avanços tecnológicos e momentos ímpares que moldaram a sociedade a partir de então, sobretudo culturalmente. Enfim, não vivi. Não sou da geração Coca-Coca. Nasci nesse período, em 1989. Sou da geração Copa de 94. Foi nessa época, em que eu começava a dar os primeiros passos, que o que mais me chama a atenção na música surgiu.

Bandas como Nirvana, Pearl Jam, Red Hot Chili Peppers, Alice In Chains, Soundgarden, Mudhoney e outras viviam o ápice da criatividade e mexeram com a minha mente, alguns anos mais tarde. Não por acaso, influenciaram meu modo de pensar a partir de ideias sinceras que sempre apresentaram em suas músicas, seja para dizer o bem, seja para dizer o mal.

*

Forte Apache e o Espiral. Tive a oportunidade de ouvir em primeira mão a demo desses caras. Em meio a uma cena brasileira onde cada vez mais as composições sinceras perdem espaço para músicas descartáveis e sem um real sentido, o registro dessa banda de Santa Cruz do Sul nos remete a alguns anos atrás, onde as boas canções nos faziam pensar, sentir e representavam alguns dos nossos maiores sentimentos – que, por vezes, só a música podia encontrar.

De peito aberto, a banda produziu e gravou em 2016, no extinto Coletivo Banho Maria, oito músicas que foram guardadas na gaveta. Agora, em 2020, elas vêm a público, em um registro despreocupado. Se o momento é de ficar em casa, colocar para tocar a demo da Forte Apache e o Espiral é quase como estar em um show ao vivo, inimaginável para o período que vivemos.

Uma jam session lo-fi de primeira, do início ao fim. Se você ainda acha que vale ocupar o seu tempo para ouvir uma boa canção, com uma letra de verdade, que nos remete a um passado onde ouvir música tinha outro sentido, o convido a ouvir a demo da Forte Apache o Espiral. Deixo apenas uma recomendação: volume alto.

Ficha técnica:

Davi Lopez: voz, letras e arranjos
Eder Nanaco: guitarra e baixo
Gibran Sirena: baterias
Tiago Claro Campos: teclado em O Ônibus e o Elliot Smith
Bruno de Large: gravação, no Coletivo Banho Maria
Eduardo Dias: capa
Além de Davi e Nanaco, que produziram o material, a banda ainda conta atualmente com Carlos Pê no baixo e Gabriel Becker na bateria
Influências: Neil Young, Teenage Fanclub, Weezer, Elliott Smith e Girls

Onde achar:

Facebook: facebook.com/forteapacheeoespiral
Instagram: instagram.com/forteapacheeoespiral
Spotify: spoti.fi/2JsB7L3
YouTube: youtube.com/forteapacheeoespiral
Bandcamp: forteapacheeoespiral.bandcamp.com
Soundcloud: soundcloud.com/forteapacheeoespiral
Contato: [email protected]

LEIA MAIS: Forte Apache e o Espiral lança “A Resistência ao Caos”

Mais sobre

Aviso de cookies

Nós utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdos de seu interesse. Para saber mais, consulte a nossa Política de Privacidade.