Close sidebar

Rádios ao vivo

Leia a Gazeta Digital

AGRICULTURA

Frio intenso impacta produção e deve fazer preço das hortaliças subir

Foto: Rafaelly Machado

Produtos como alface, cenoura e brócolis podem ter danos com baixas temperaturas

As baixas temperaturas dos últimos dias podem afetar o crescimento e desenvolvimento de algumas frutas e verduras. As hortaliças folhosas, como alface, são mais prejudicadas. Porém, ainda não há estimativa de prejuízos. Segundo o extensionista rural agropecuário Vivairo Zago, da regional da Emater/RS-Ascar de Soledade, não deverá haver problema no abastecimento.

O técnico destaca que o setor não terá tanto prejuízo na região do Vale do Rio Pardo, mas ocorrerá um atraso no crescimento das culturas em função do frio. O recomendado, nessas ocasiões, é realizar o cultivo em ambientes protegidos contra a chuva e a geada.

“O que pode ter sido prejudicado, por exemplo, é a plantação de tomate, que pode sofrer abortamento de flores, o que também atrasa o crescimento. O morango também, embora seja uma espécie de inverno, se for muito intenso pode dar abortamento de flor, mas não a ponto de impactar a produção”, ressalta Zago.

LEIA MAIS: Frio é bom para árvores frutíferas, mas requer cuidados

Mesmo que na região o impacto não seja tão grande, o consumidor final pode sentir um aumento nos preços. “Com um frio muito forte, paralisa o crescimento. Mesmo nas que são resistentes ao frio, há um atraso para se completar o ciclo da cultura. Em nível de Estado, vai ter prejuízo e a tendência é aumentar o preço das hortaliças, com o frio que deu na Serra. Certamente, vai ter aumento no custo para o consumidor”, completa o extensionista rural.

Impactos na feira rural

A agricultora Leonice Sehn percebeu que a aparência dos produtos está prejudicada

A agricultora Leonice Sehn, 51 anos, de Linha João Alves, mostra a diferença entre duas couve-flores. Uma ficou com uma aparência mais escura e como se estivesse com espinhos. “Não cresce, olha como ficou, isso é por causa do frio.” Leonice salienta que o alimento pode ser consumido da mesma forma.

Elisane Kolberg, de 38 anos, produtora rural de Linha Pinheiral, conta que o frio e o vento prejudicam o desenvolvimento e a aparência dos alimentos. “Em geral, quase tudo sofre. Tomates, morangos, alface, a cenoura não se desenvolve, a beterraba não cresce, fica tudo parado. Temos bastante produtos cobertos, mas que sofreram igual.”

Elisane Kolberg acredita que maiores prejuízos serão notados a partir desta semana

LEIA MAIS: FOTOS: amanhecer desta sexta foi o mais frio do ano na região e no Estado

Aviso de cookies

Nós utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdos de seu interesse. Para saber mais, consulte a nossa Política de Privacidade.