Rádios ao vivo

Leia a Gazeta Digital

DISTANCIAMENTO CONTROLADO

Governo rejeita recurso e região de Santa Cruz fica em bandeira vermelha

Foto: Reprodução

Mapa definitivo do sistema, entre 25 e 31 de agosto

Foi divulgado no fim da tarde desta segunda-feira, 24, o mapa definitivo do modelo de distanciamento controlado do Rio Grande do Sul para a semana entre os dias 25 e 31 de agosto. A região 28, referenciada por Santa Cruz do Sul, teve o recurso negado e ficou na bandeira vermelha, pela primeira vez, desde a adoção do sistema.

A região foi para o nível alto de risco relacionado à Covid-19, principalmente, por causa do aumento no número de hospitalizações por causa da doença na semana passada. Na divulgação do mapa definitivo, o governador Eduardo Leite afirmou que a redução “abrupta” de leitos disponíveis na macrorregião dos Vales fez com que o recurso não fosse aceito. O mesmo valeu para a região de Lajeado, que também fica na bandeira vermelha.

LEIA MAIS: Domingo de sol leva muita gente às ruas em Santa Cruz do Sul


Seis municípios da região 28 – a referenciada por Santa Cruz – se enquadram na Regra 0-0 do sistema e não precisam endurecer as medidas, mesmo com a bandeira vermelha para a região. São eles: Gramado Xavier, Herveiras, Pantano Grande, Passo do Sobrado, Sinimbu e Vale do Sol. Estes municípios não tiveram registros de mortes ou internações por Covid-19 nos últimos 14 dias. Os demais municípios da R28 são: Candelária, Mato Leitão, Rio Pardo, Vale Verde, Venâncio Aires e Vera Cruz.

LEIA TAMBÉM: Região vai apresentar recurso à bandeira vermelha

Regras por setor

A bandeira vermelha prevê mais restrições ao funcionamento do comércio, que pode atender de forma presencial apenas em quatro dias da semana, por, no máximo, sete horas diárias, entre 9 e 17 horas. Os dias em que a abertura é permitida devem ser definidos por decreto da Prefeitura. A regra vale tanto para comércio de rua, quanto para lojas que funcionam dentro de centros comerciais.

A maior parte das atividades de Indústria e Construção Civil têm, com a nova classificação, restrições ao emprego da força de trabalho: o teto de operação é de 75% dos trabalhadores.

No setor de alimentação, a prevenção também é intensificada. Os restaurantes podem atender, de forma presencial, em até cinco dias da semana, por, no máximo sete horas diárias, entre 9 e 17 horas. A lotação máxima dos ambientes é de 25%. À noite, alimentos só podem ser comercializados por telentrega, drive-thru e pegue e leve. Lancherias não podem ter atendimento presencial, nem mesmo para almoço.

Atividades educacionais ficam totalmente restritas ao ensino remoto na bandeira vermelha, mesmo para aulas individuais, de idiomas, artes e esportes, por exemplo. As exceções são atividades práticas essenciais para a conclusão de cursos da área da Saúde, nos níveis Ensino Médio Técnico subsequente, Superior e Pós-Graduação.

Academias de ginástica devem atuar com, no máximo, 25% dos trabalhadores e as atividades ficam restritas a atendimentos individualizados, com, no máximo, 16 metros quadrados por cliente atendido. A limitação a 25% do emprego de mão de obra vale também para salões de beleza e barbearias, que podem seguir com atendimentos individuais e distanciamento, mínimo, de quatro metros entre os clientes. Celebrações religiosas devem ocorrer com ocupação máxima de 10% da capacidade do espaço ou, no máximo, 30 pessoas (o número que for menor).

Os demais protocolos podem ser acessados no site do modelo estadual.

Governador apresentou mapa definitivo nesta segunda-feira. Assista:

LEIA MAIS: ACOMPANHE A COBERTURA COMPLETA SOBRE O CORONAVÍRUS

Mais sobre

Aviso de cookies

Nós utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdos de seu interesse. Para saber mais, consulte a nossa Política de Privacidade.