Close sidebar

Rádios ao vivo

Leia a Gazeta Digital

MEMÓRIA

Quedas de raios provocam pavor em Santa Cruz e região

Foto: Banco de Imagens/Gazeta do Sul

Raio provocou pânico no Centro, quase atingindo o chaminé do antigo Café Pescador | Foto: Harry Genehr/Arquivo Gazeta

Três incidências de quedas de raios em menos de duas semanas provocaram pavor em Santa Cruz do Sul e região. Os casos foram manchete na Gazeta do Sul em janeiro e fevereiro de 1959.

O primeiro caso ocorreu dia 25 de janeiro, na propriedade de Afonso Rech, em Linha Sítio. A sua esposa estava sentada dentro de casa, tomando chimarrão, quando um raio atingiu a residência. A dona de casa caiu atordoada ao solo, batendo a cabeça e ferindo-se com gravidade. Ela foi levada ao Hospital Santa Cruz, onde ficou internada até recuperar-se.

Moradores das proximidades contaram que, seguidamente, a localidade sofria com o fenômeno. Poucos dias antes, teria ocorrido uma tragédia nas terras de Reinoldo Petry. Em outras quatro propriedades, os raios provocaram a morte de bovinos.

No dia 28 de janeiro (três dias após o ocorrido nos Rech), quase houve uma tragédia em Santa Cruz. Várias pessoas assistiam à projeção de um filme no Cine Avenida, recém instalado na atual Rótula do 2001. O raio teria entrado por uma janela dos fundos e saído pela porta da frente.

Alguns assistentes foram jogados ao chão e as crianças Ana Maria (6 anos) e Vera Lúcia (5 anos), filhas do casal Dorvalina e Hélio Luzardo, ficaram feridas. O menino Acélio Spengler teve  a língua dobrada e foi socorrido por populares para não morrer asfixiado.

Luiz Rodrigues, de 12 anos, sofreu lesão no ombro. Já a senhora Gilda Zingler, esposa do proprietário do cinema (Edmundo Zingler) caiu desacordada. O prédio ficou com os vidros quebrados.

No dia 10 de fevereiro, uma tragédia com raios atingiu Cachoeira do Sul e mereceu destaque na Gazeta. Pelas 6 horas da manhã, um raio atingiu a residência de João Pereira da Silva, na Vila Tibiriçá. A descarga causou a queima de aparelhos elétricos e a casa ficou sem luz. Ao entrar no quarto do casal, João encontrou a esposa Elvira debatendo-se na cama. A ambulância foi chamada, mas ela morreu, deixando cinco crianças pequenas.

O antigo fotógrafo da Gazeta do Sul, Harry Genehr, fotografou algumas incidências de raios nos anos 60, no Centro. As imagens ilustram a coluna.

Foto de Harry Genehr mostra a queda de um raio próximo da sua casa, na Rua Fernando Abott

LEIA MAIS COLUNAS DE ZÉ BOROWSKY

Fonte: Arquivo da Gazeta do Sul

Aviso de cookies

Nós utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdos de seu interesse. Para saber mais, consulte a nossa Política de Privacidade.