Rádios ao vivo

Leia a Gazeta Digital

RIo Pardo

Moradores sofrem com sequência de furtos no balneário Porto das Mesas

Foto: Rafaelly Machado

Claudio Pfaffenseller mostra janela quebrada após arrombamento em Porto das Mesas. Segundo morador, situação é recorrente

Uma série de arrombamentos vem causando preocupação e revolta entre os moradores do balneário Porto das Mesas, em Rio Pardo. Somente entre a madrugada de domingo e a manhã de terça-feira, conforme habitantes locais, quatro residências foram invadidas. Ao todo, desde setembro de 2017, quando os moradores começaram a contabilizar os casos, foram 44 situações do tipo. O local tem cerca de 50 residências de moradores fixos, porém, são 250 casas ao todo, contando aquelas que são utilizadas apenas em temporadas de veraneio ou momentos alternados.

Dentre os itens mais procurados pelos ladrões estão botijões de gás, bebidas, comidas em geral, motores de barco, gasolina e televisões. Segundo um morador, que preferiu não se identificar com medo de represálias, mesmo quando o alarme toca e afugenta os infratores sem que nada seja furtado, o prejuízo ainda é grande. “Na minha casa fugiram. Só que precisei arrumar a porta quebrada, cercas cortadas e fechadura arrebentada, entre outras situações. Um prejuízo de R$ 3 mil”, contou. Em outros casos, segundo ele, até contadores são quebrados para desligar a energia elétrica.

“Está virando uma terra de ninguém. O pessoal coloca câmeras depois dos arrombamentos, mas até as câmeras são furtadas. As pessoas de mais idade, que gostam de vir para tomar chimarrão, jogar carta e conversar, já estão evitando, por medo. Há muitas pessoas vendendo as casas por causa desse problema recorrente”, complementou.

LEIA TAMBÉM: Casal em condições análogas à escravidão é encontrado em Venâncio Aires

Segundo o diretor financeiro da Associação de Moradores do Balneário Porto das Mesas, Claudio Pfaffenseller, de 62 anos, os bandidos agem em dias alternados. “Normalmente ocorrem furtos nas segundas, terças e quarta-feiras, ou em dias chuvosos, quando muitas pessoas não vêm ao balneário”, comentou. Para ele, o policiamento na área deveria ser mais frequente e efetivo. “Nós chamamos a Brigada Militar quando acontece. Eles vêm, mas tardiamente. Por alguns dias fazem o patrulhamento, mas os ladrões esperam e voltam a realizar os crimes depois.”

Para melhorar a iluminação das ruas e intimidar os delinquentes, a Associação de Moradores do Balneário Porto das Mesas comprou 35 lâmpadas, que foram instaladas pela Prefeitura de Rio Pardo. “Não adiantou. Os ladrões vêm quebrando tudo. Tivemos que repor 15 recentemente”, ressaltou Pfaffenseller.

Uma moradora, que também preferiu não se identificar, disse que reside há mais de 30 anos no balneário Porto das Mesas. Os arrombamentos que vêm ocorrendo nos últimos anos terminaram com a calmaria que existia no local. “Só na minha casa foram dois arrombamentos nos últimos meses. Lembro de um tempo em que eu dormia com a porta aberta, com tranquilidade. Cada vez mais ficamos preocupados em estar sozinhos em casa diante de tantos crimes e da falta de policiamento”, ressaltou.

LEIA TAMBÉM: Brigada Militar prende homens por abigeato e apreende 160 quilos de carne

Brigada reforça necessidade de registrar as ocorrências
Conforme o subcomandante do 2° Batalhão de Polícia Militar (2º BPM), capitão Daniel Mello, há apenas uma ocorrência de arrombamento no balneário Porto das Mesas registrada em 2020 na delegacia. Em 2019, segundo ele, foram outros dois registros do tipo. Ainda assim, a Brigada Militar vem fazendo um patrulhamento na área. “Apesar das pouquíssimas ocorrências que chegam a nós, sabemos da situação em Porto das Mesas, com base em relatos informais. Estamos atentos e, sabendo disso, mandamos nossa Força-Tática e a Patrulha Comunitária do Interior ao local por diversas vezes”, relatou Melo.

“Em geral, os suspeitos desses tipos de crimes, de furto e arrombamento sem agressão, não permanecem presos. Mas se eles forem processados mais vezes, por reiterarem a prática desse delito, o juiz pode entender que é necessário deixá-los segregados do convívio da sociedade e, aí sim, podem vir a ser presos. Por isso, reforço a importância do registro das ocorrências”, explicou o subcomandante do 2° BPM. “É necessário prender o delinquente em flagrante para que haja o máximo de repercussão penal possível para ele, previsto em lei.”

Dentre as recomendações, Mello ressaltou a necessidade de os moradores estarem atentos a mínimos movimentos de pessoas suspeitas. “É importante que os moradores criem meios suplementares de segurança, como zeladores, alarmes e câmeras. Eles devem observar tudo e nos comunicar, via 190.” Segundo Mello, a BM seguirá o patrulhamento. “Já fizemos patrulhas, inclusive nas margens do rio, com o apoio da Polícia Ambiental, para coibir acampamentos clandestinos de indivíduos que cometem esses tipos de furtos.”

LEIA TAMBÉM: Bombeiros de Santa Cruz salvam a vida de bebê de seis dias

Recado na placa
Chama a atenção de quem cruza pela rua principal de Porto das Mesas uma placa fixada à frente de uma residência, com a frase “Senhor ladrão, esta casa foi assaltada quatro vezes. Por favor, me respeitem” (veja foto na contracapa). O autor da placa e dono da casa, Nilton Kipper, não esconde a indignação. “Coloquei a placa em março porque já não dava mais pra aguentar, está virando brincadeira. Foram quatro furtos em meses. Sofremos muito com isso. Todos estão preocupados”, disse.

Mais sobre

Aviso de cookies

Nós utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdos de seu interesse. Para saber mais, consulte a nossa Política de Privacidade.