Rádios ao vivo

Leia a Gazeta Digital

JF VIGHI

Na espera

O Gre-Nal 430 foi precedido de muitas expectativas e curiosidades. De um lado, um Grêmio que colocou em campo uma equipe praticamente oriunda das categorias de base. Começou com seis garotos e acabou o jogo com nove jovens promissores. Do outro lado, a ansiedade era de como se comportaria o novo técnico colorado e a equipe, com suas novas ideias. O resultado foi um jogo equilibrado que acabou decidido em um lance individual e isolado.

Primeiro tempo

O Internacional repetiu os velhos erros com Miguel Ángel Ramírez. A melhor formação disponível no momento não ajudou para controlar o adversário. Pelo contrário, a marcação tricolor foi impecável. Lento na saída de bola, errando muitos passes e pouco produtivo no ataque. Chegou no gol adversário somente uma vez, com Praxedes. O Grêmio chegou disposto a marcar e tirar os espaços que o adversário procurou e não achou. Também foi pouco produtivo no ataque.

Segundo tempo

As alterações no jogo não foram significativas. O Inter teve algumas boas chances e o Grêmio também. A diferença foi que as corajosas entradas de Leo Chú e Léo Pereira trouxeram as jogadas individuais ausentes até então nas duas equipes. Foi assim o gol da vitória tricolor. Passe de Léo Pereira e conclusão sensacional de Léo Chú, num golaço digno de craque. O Inter não teve forças para reagir.

Conclusão

Apesar de um jogo truncado devido às marcações, de ambos, tivemos bons momentos e grandes atuações. A zaga gremista foi perfeita com Ruan e Rodrigues. Rodrigo Dourado mais uma vez foi o destaque colorado.

LEIA OUTRAS COLUNAS DE J F VIGHI

Mais sobre

Aviso de cookies

Nós utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdos de seu interesse. Para saber mais, consulte a nossa Política de Privacidade.