Rádios ao vivo

Leia a Gazeta Digital

FUTURISMO & INOVAÇÃO

Nós somos o Brasil do futuro

O brasileiro tem atributos incríveis. Somos acolhedores, emotivos, resilientes e criativos. A alegria do brasileiro, colorido e diverso, não é algo fácil de encontrar pelo mundo. É angustiante ver como o Brasil se tornou irrelevante nas discussões globais sobre o futuro. Viramos piada até para o Papa, que de certa forma nos deu um recado.

Perdemos o foco. Ainda gastando tempo e energia polarizando nossa existência com problemas comuns e tradicionais do Brasil. Há uma luta contra a corrupção, contra o sistema, e esta luta está representada por todos nós, não por um governante. A realidade vem mostrando cada vez mais que o que era um projeto de salvação do país tornou-se mais um projeto de manutenção do poder. O cidadão brasileiro não aceita mais Lulas, Dilmas, Sarneys, Aécios ou falsos heróis. Precisamos amadurecer como povo, e parar de dar desculpas triviais. Nós somos o futuro do Brasil e o que nossa inteligência coletiva deseja é o que moldará o Brasil do futuro.

Precisamos sair desta discussão sobre esquerda e direita, e cair na real: há mais de 400 mil mortos, não há vacina. A gestão da pandemia foi um desastre. É um fato, não mais crítica vazia ou partidária.

Podemos escolher nosso futuro e somos responsáveis por isso. Polêmicas velhas não importam agora. Novas pandemias estão em curso e, este ano, continuaremos exatamente como estamos, abrindo e fechando e tomando vacinas que não estão maduras e andam escassas por aqui, pela falta de planejamento de quem deveria antever problemas e criar soluções.

Os mantras de que o governo, o mundo, a economia estão ruins foram boas desculpas para nossos fracassos até agora. No entanto, vejo muita gente prosperando nesta época difícil porque mudou o foco e arregaçou a manga para criar a realidade que deseja dentro da possibilidade que existe agora.

Toda vez que reclamamos, aumentamos a energia dos problemas. A energia que criamos com nossa fala molda nossa realidade. Vencedores não reclamam, contornam a situação e seguem em frente.

Politize-se, instrua-se, tome as rédeas de sua vida. Consuma com consciência, compre menos, saiba de onde vem o que você compra e como é produzido. Inclua-se nas pautas atuais de sustentabilidade, inclusão e diversidade. Seja menos competitivo e mais colaborativo. Ofereça tudo o que sabe e tem para sua comunidade. Precisamos co-criar o mundo e disponibilizá-lo para todos para que se viva de forma mais digna.

Empresas tradicionais estão derretendo, novas empresas estão engolindo o velho mercado. Não há talentos nem tempo para prepará-los. O futuro está em nossas mãos. Não espere pelo governo, pergunte a si mesmo o que você pode fazer pelo país que vive. Acredite que o que fazemos agora trará mais equilíbrio para nós e para as próximas gerações. Cada um vive a realidade que precisa viver para aprender alguma coisa e tornar-se melhor do que antes de toda esta revolução.

LEIA MAIS COLUNAS DE JAQUELINE WEIGEL

Aviso de cookies

Nós utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdos de seu interesse. Para saber mais, consulte a nossa Política de Privacidade.