Close sidebar

Rádios ao vivo

Leia a Gazeta Digital

Alquimia

Operação contra organização criminosa ligada à falsificação de agrotóxicos atinge municípios da região

Ações são concentradas em quatro estados

Municípios do Vale do Rio Pardo recebem ações no âmbito da Operação Alquimia, deflagrada pela Polícia Civil nesta terça-feira, 22. A ação tem como finalidade desarticular uma organização criminosa cuja atividade principal é a falsificação, transporte e comercialização de agrotóxicos falsificados. Estão sendo cumpridos 53 mandados de busca e apreensão e cinco mandados de prisão preventiva em quatro estados: Rio Grande do Sul, São Paulo (Ribeirão Preto), Mato Grosso (Sinop) e Bahia (Feria de Santana).

No Rio Grande do Sul, as ações são concentradas em Cachoeira do Sul, Cruz Alta e Ijuí, mas também há desdobramentos da operação em Santa Cruz do Sul, Candelária, Pantano Grande, São Borja, Santana do Livramento, Passa Sete, Joia, Bagé e Pejuçara, segundo a Polícia Civil. Não há informações sobre o número de mandados cumpridos no Estado.

LEIA TAMBÉM: VÍDEO: 40 policiais realizam revista no Presídio Regional de Santa Cruz

Em Ribeirão Preto, em São Paulo, são cumpridas 10 ordens judiciais. Também haverá bloqueio de contas e apreensão de veículos. Até o momento oito pessoas foram presas, cinco preventivamente e três em flagrante. Na ação, foram apreendidos defensivos agrícolas, produtos químicos, armas de fogo, munições, celulares, contratos de locação de imóveis e maquinários, notas promissórias, cheques e diversos documentos probatórios.

Segundo a Polícia Civil, o grupo atua há anos no estado e tem como principal líder e fornecedor um homem que reside na cidade de Ribeirão Preto, local onde os produtos são “fabricados” e depois transportados para várias regiões do país, dentre elas o Rio Grande do Sul. No estado, esses produtos são armazenados em depósitos clandestinos nas cidades de Ijuí e Cruz Alta, de onde são repassados a integrantes da organização para serem negociados com os agricultores de outras regiões.

Para falsificar os produtos (de elevado valor de mercado) os criminosos utilizam-se de produtos químicos diversos sem qualquer controle ou cuidado relativos à aquisição, transporte, armazenamento e manipulação desses compostos, provocando danos ao meio ambiente e à saúde das pessoas, segundo a Polícia Civil. Além disso, o prejuízo econômico causado aos agricultores são consideráveis já que os produtos não apresentam eficácia quando aplicados nas lavouras. Alguns criminosos integrantes do grupo também possuem envolvimento com roubos a propriedades rurais e receptação de produtos. Há ainda envolvidos com a prática de contrabando.

Mais sobre

Aviso de cookies

Nós utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdos de seu interesse. Para saber mais, consulte a nossa Política de Privacidade.