Rádios ao vivo

Leia a Gazeta Digital

Colorado

Para Aguirre, expulsão de Edenilson foi determinante para derrota

Foto: Ricardo Figueiró/Rádio Rio Pardo

Aguirre pretende cumprir contrato com o Inter

O Internacional foi derrotado por 1 a 0 pelo Palmeiras no Allianz Parque, em uma penalidade convertida por Raphael Veiga após toque do mão do zagueiro Víctor Cuesta. O volante Edenilson reclamou de forma acintosa e foi expulso pelo árbitro. O técnico Diego Aguirre lamentou o prejuízo e avaliou a expulsão como determinante para a derrota em São Paulo.

“Nós estávamos fazendo um bom jogo. Em um minuto, tudo mudou. Não somente pelo pênalti acidental, mas também pela expulsão. Eles converteram o pênalti e depois foi difícil, mesmo que tenhamos lutado. O lance foi determinante. Um amarelo poderia solucionar. Quero saber se sempre que tem uma reclamação, ele mostra o vermelho? Não foi somente o pênalti, mas as duas coisas juntas”, apontou. “Independentemente do que ele falou. Muitas vezes, o juiz pode deixar passar. Tem de entender que o jogador está nervoso. Um cartão amarelo não decide o jogo. Óbvio que não pode acontecer, os jogadores tem de estar focados. Temos de tentar não falar com os juízes, mas isso acontece”, complementou.

Edenilson pediu desculpas ao clube e ao torcedor no Instagram. “Venho humildemente reconhecer o meu erro e pedir desculpas à instituição e aos torcedores pela expulsão. No calor do momento, não concordei com a decisão do árbitro e acabei reclamando acintosamente. Prontamente após a partida me desculpei com ele e com meus companheiros, os quais mesmo com um a menos batalharam muito para buscar o resultado”, escreveu.

Na súmula da partida, o árbitro justificou o cartão vermelho por protestar de forma grosseira e ofensiva. De acordo com o documento, Edenilson teria proferido as seguintes palavras: “vocês vieram aqui para roubar, cambada de ladrão”. O relato também afirma que o jogador, após ter sido expulso, voltou a reclamar xingando Braulio de “ladrão do c******”. Marcelo Lomba completou 200 jogos pelo Inter. O goleiro analisou o lance. “Eu estava de costas para o Edenilson e não consegui ver (a reclamação). Acho que teve o toque na mão, mas desequilibra muito quando perdemos um homem. O jogo estava bom, mas houve um desequilíbrio, que é ficar com um a menos.”

Aguirre também comentou a possibilidade de assumir a seleção uruguaia. O fim de semana foi de especulação quanto à saída de Óscar Tabárez do comando da Celeste. O treinador colorado, no entanto, disse que não foi consultado sobre o tema. “É verdade que se falou muito, mas eu não recebi nenhuma chamada. O Inter também não. Foi uma possibilidade que existiu, mas em nenhum momento falamos disso. Estávamos pensando no jogo. Óbvio que gera uma expectativa, mas antes do jogo já havia a confirmação de que isso não ia acontecer.”

Edenilson e Heitor estão suspensos e serão baixas para o jogo de quinta-feira, 21, diante do Red Bull Bragantino, no Beira-Rio, às 20 horas. A lista de problemas ainda conta com Daniel, que apresentou uma contusão no tórax antes da partida, e Rodrigo Lindoso, com um desconforto na coxa esquerda. Serão avaliados pelo departamento médico para saber se terão condições de jogo no meio da semana. O zagueiro Bruno Méndez segue fora por problema muscular. Por outro lado, Aguirre terá à disposição Paulo Victor. O lateral-esquerdo cumpriu suspensão neste final de semana e fica como opção a Moisés.

Aviso de cookies

Nós utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdos de seu interesse. Para saber mais, consulte a nossa Política de Privacidade.