Rádios ao vivo

Leia a Gazeta Digital

LITERATURA

Psicóloga lança livro ‘A Menina e a Onça’ nesta terça-feira

Ana Luisa atua há 20 anos em pesquisa com os Guarani

A psicóloga e professora Ana Luisa Teixeira de Menezes lança nesta terça-feira, 8, o livro A Menina e a Onça: vozes ancestrais indígenas, pela Editora Frida. O livro de 88 páginas é voltado para o público adulto e traz uma história sobre um chamado interior para uma busca espiritual a partir da sabedoria ancestral indígena. Natural de Fortaleza (CE), a autora mora em Santa Cruz do Sul, onde atua como professora do Departamento de Psicologia e dos Programas de Pós-graduação em Educação e Psicologia da Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc).

O lançamento do livro acontece online nesta terça-feira, 8, a partir das 20 horas, pelo perfil do Instagram @fridaeditora. Haverá uma conversa da autora com Nicole Spohr, abordando a história do livro e dando ênfase à importância de se ouvir a voz profunda do feminino ancestral, de valorizar o espaço feminino como criação e transformação. A psicóloga não descarta ainda a possibilidade de realizar um lançamento presencial, após a pandemia.

Ana Luisa atua há 20 anos em pesquisa com os Guarani e é coautora dos livros Educação ameríndia: dança e escola guarani e Arte e vivência na psicologia comunitária e na educação. “A Menina e a Onça: vozes ancestrais indígenas surge da vontade de narrar um percurso da busca do humano e do diálogo das pesquisas com os guarani e com a psicologia junguiana”, conta. O relato em parte autobiográfico e em parte antropológico nasceu da monografia escrita para a Associação Junguiana do Brasil, na qual a autora é analista.

LEIA TAMBÉM: Dica do Romar: Man Booker Prize International vai para David Diop

Ao todo o livro possui 88 páginas e levou cerca de dois anos para ficar pronto, incluindo a escrita e as pinturas. Entre os temas abordados no livro, a terapeuta fala sobre a descoberta da fecundidade do feminino, destacando imagens arquetípicas da criança, da menina, da mulher, da velha, do homem e da onça. “E a travessia de descobertas de si mesmo a partir da força da narrativa, inspirada na psicologia junguiana, na caminhada dos gêmeos guarani e nas vozes ancestrais indígenas, ou seja, a necessidade de retornar ao passado para encontrar o que virá. O livro aborda sobre as necessidades sensíveis e profundas do encontro com o significado da caminhada”, conta.

Ficha

Livro: A Menina e a Onça: vozes ancestrais indígenas, de Ana Luisa Teixeira de Menezes (Editora Frida, 88 páginas)

Sinopse: A menina e a onça: vozes ancestrais indígenas revela um percurso de um encontro com um chamado para uma existência mais espiritual e ao mesmo tempo, corporal. O livro é uma narrativa mítica, de autoconhecimento, de uma experiência que vai se dando por uma voz ou muitas vozes de ancestrais indígenas, da alma que busca encontrar um sentido. O caminho narrado foi iniciado nas aldeias guarani do Rio Grande do Sul, num longo tempo de pesquisa e passa a ser interiorizado numa perspectiva mitológica e imagética. Os personagens vão tornando-se vivos com uma potência de alterar o pensamento da autora. Além da escrita, as imagens brotam de realidades poéticas e espirituais, revelando uma transposição de fronteiras arquetípicas, nas quais a onça vai guiando a menina nesses territórios tão temidos e tão desejados pelo ser humano: o lugar do não humano.

Lançamento: nesta terça-feira, 7, das 20 às 21 horas no Instagram da @fridaeditora, com mediação de Nicole Spohr.

Onde comprar: o livro está disponível em Santa Cruz do Sul na Livraria e Cafeteria Iluminura ou pelo site da editora (acesse aqui), por R$ 60,00.

LEIA TAMBÉM: Santa Cruz tem 32 contemplados com o Prêmio Trajetórias Culturais

Aviso de cookies

Nós utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdos de seu interesse. Para saber mais, consulte a nossa Política de Privacidade.