Rádios ao vivo

Leia a Gazeta Digital

EM DESTAQUE

Santa Cruz tem 32 contemplados com o Prêmio Trajetórias Culturais

Santa Cruz do Sul conta com 32 contemplados de 57 inscritos no Prêmio Trajetórias Culturais Mestra Sirley Amaro, um reconhecimento para aqueles que transformam a vida com arte e cultura no Rio Grande do Sul. Ao todo, 1,5 mil pessoas em 12 segmentos culturais foram valorizadas na iniciativa, com prêmio bruto de R$ 8 mil cada, distribuídas nas nove regiões funcionais dos Conselhos Regionais de Desenvolvimento (Coredes). No total, houve mais de 5 mil inscrições.

O edital foi executado pelo Instituto Trocando Ideia, em parceria com o governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Cultura (Sedac) – formalizado através de chamada pública e financiado pela Lei Aldir Blanc. A seleção contemplou pontuação específica para diversidade e pessoa física, sendo 51% para cotas sociais – autodeclarados pretos, pardos, indígenas, quilombolas, ciganos, mulheres e homens trans, travestis e pessoas com deficiência (PCDs).

Renato Sperb foi reconhecido na categoria música. Para ele, o sentimento é de felicidade pelo trabalho e trajetória valorizados. “Ser agraciado com um prêmio dessa importância me enche de orgulho e me dá o suporte necessário para continuar construindo minha história”, declarou. “Gostaria de agradecer a todos os músicos que tocaram e ainda tocam comigo e que enriqueceram muito essa trajetória ao longo dos anos, além das pessoas que sempre me apoiaram”, complementou.

LEIA TAMBÉM: Mostra de cinema América Negra traz 35 produções de dez países

Renato Sperb foi distinguido em música | Foto: Rafaelly Machado

O escritor e jornalista Mauro Ulrich é um dos premiados na categoria diversidade linguística, livro, leitura e literatura. Ele se inscreveu por sugestão de Eduardo Spall, do teatro Espaço Camarim. Para Ulrich, brincar com a palavra e viver dela é algo absolutamente prazeroso. “A poesia é o gênero literário pelo qual eu transito. Tem me premiado desde que eu aprendi a ler e escrever. A poesia me escolheu. De todos os gêneros literários, é onde eu me sinto mais à vontade”, destacou. Conforme Ulrich, o prêmio é motivo de orgulho pelo sentimento de reconhecimento. “Meu compromisso profissional com a Gazeta e tudo o que tenho feito com o aval desse veículo para a divulgação e a propagação da cultura em nosso Estado colaboraram muito para a distinção”, avaliou. “Nesse segmento, o da literatura, a Gazeta é hoje um dos mais importantes veículos, de fomento, valorização e descoberta de novos autores”, complementou.

Mauro Ulrich é o destaque em literatura | Foto: Lula Helfer/Banco de Imagens Gazeta

Dona Sirley Amaro era uma griô contadora de histórias

O prêmio homenageou a mestra griô Sirley Amaro, pelotense, nascida em 1936 e falecida em 2020, por ter contribuído significativamente com os saberes tradicionais, a cultura popular e o programa Cultura Viva, do extinto Ministério da Cultura. Sirley disseminou e protegeu os conhecimentos ancestrais do povo negro do Rio Grande do Sul, durante anos, e ficou conhecida em outros estados do Brasil por sua atuação na conservação e na perpetuação do conhecimento da cultura negra.

LEIA TAMBÉM: VÍDEO: Coersch tem música selecionada para maior playlist do gênero indie do Spotify

Dona Sirley era descendente de escravizados, carnavalesca e costureira de profissão. Foi educadora, ao descobrir a arte de contar histórias, por meio das próprias histórias e de seus antepassados, na reconstituição dos saberes aprendidos nas vivências cotidianas. Contava histórias dos bailes de carnaval, das costuras, das antigas charqueadas em Pelotas. Em 2007, recebeu o título de Griô de Tradição Oral por meio da Ação Griô Nacional, do Programa Cultura Viva (Ministério da Cultura). Os griôs são reconhecidos pela sua própria comunidade como representantes e herdeiros dos saberes e fazeres da cultura tradicional de transmissão oral.

Dona Sirley, falecida em 2020, era pelotense, descendente de escravizados e carnavalesca

Premiados em Santa Cruz

  • Adriano da Rosa Ferreira – Música
  • Alexandre Eidt – Música
  • Alison Diogo Knak – Música
  • Angélica Maria Silva da Fonseca – Memória e patrimônio
  • Antônio Lopes – Teatro
  • Augusto Pereira – Dança
  • Carlos Eduardo Pereira – Música
  • Celso Pedro Sehnem – Música
  • Claudemir Martins Pedroso – Artesanato
  • Danielle Fogliatto Thaddeu – Audiovisual
  • Diego Dutra Maracci – Música
  • Edinei Luis Soares Martins – Culturas populares
  • Fábio Marques Belém – Circo
  • Geraldo Lacir de Souza Schmidt – Música
  • José Roberto Spalding Corrêa Sobrinho – Audiovisual
  • Josemar Dias – Música
  • Leandro dos Santos – Culturas populares
  • Lucas da Silva Ferreira – Audiovisual
  • Ludmila Krepelka – Memória e patrimônio
  • Luiz Alberto Werner – Artes visuais
  • Marcela Schild Pereira – Audiovisual
  • Marilia Klein – Artes visuais
  • Marli Teresinha Silva da Silveira – Diversidade linguística, livro, leitura e literatura
  • Marta Regina dos Santos Nunes – Museus
  • Mauro de Souza Ulrich – Diversidade linguística, livro, leitura e literatura
  • Mitiele Majewski Corrêa – Cultura viva
  • Pablo Henrique dos Santos – Dança
  • Pedro Feliciano dos Santos Muniz – Culturas populares
  • Renato Pereira Sperb Filho – Música
  • Rodrigo Jaeger – Música
  • Rogério Ferreira dos Passos – Música
  • Stephanie Ariele Ávila Cardoso – Dança


LEIA TAMBÉM: Cantora Maysa faria 85 anos neste domingo

Aviso de cookies

Nós utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdos de seu interesse. Para saber mais, consulte a nossa Política de Privacidade.