Rádios ao vivo

Leia a Gazeta Digital

Queda pesada

Taison fala para o torcedor colorado: ‘Acreditem na gente’

Foto: Ricardo Duarte/Internacional

Taison se emocionou ao falar do momento vivido pelo clube

O meia e capitão Taison foi o jogador que esteve na coletiva após a derrota para o Vitória, que resultou na eliminação do Internacional na Copa do Brasil. O jogador deixou transparecer a tristeza pelo momento e se solidarizou com o torcedor colorado. Também prestou apoio ao técnico Miguel Ángel Ramírez, ao companheiro Pedro Henrique, zagueiro que foi expulso no começo do segundo tempo, e pediu confiança.

“Já passei por momentos difíceis aqui no clube. Também já fui eliminado outras vezes. Peço ao torcedor que acredite. Sei que é difícil, sei como se sentem hoje. Entendo o lado do torcedor, já fui um. Devem estar “P” da vida, eu também estou. Se eles confiam em mim, muitos pediram pela minha vinda, eu vim deixando de lado coisas que agora não importam, estou aqui pelo amor que tenho pelo clube”, declarou o atleta.

Para Taison, Miguel Ángel Ramírez não é o único responsável pelo momento vivido — o espanhol está afastado com Covid-19. Também pediu autocrítica para todos dentro do clube. O atacante também pediu para que não haja protestos violentos. “A culpa não é só do Mister. Não é. Nós jogadores somos culpados também das coisas que acontecem. Estou aqui hoje por isso. Somos culpados porque entramos dentro do campo, somos treinados para fazer as coisas e sempre o culpado é o treinador. Somos culpados, eu, os companheiros, todo mundo aqui tem que ter autocrítica”, avaliou. “Vamos receber críticas, não tem problema, somos homens. Se o torcedor tiver escutando, se tiver que fazer protesto, faz, mas para o bem. Não para agredir alguém. Se o torcedor me respeita e eu respeito, é só isso que peço”, complementou.

O jogador se emocionou em determinado momento e afirmou que ficaria trancado em um quarto para digerir a derrota e esfriar a cabeça para o jogo de domingo, contra o Bahia. “Me emociono porque é difícil, não preciso estar aqui me defendendo. Pode me criticar, fiquem à vontade, vou defender os companheiros até o fim. Falei com o Pedro Henrique, vou defender e ajudar. Sentimento de tristeza porque vou chegar em casa, me trancar no quarto, não vou querer falar com ninguém”, desabafou. “Somos culpados pela eliminação, estou aqui para defender meus companheiros, por eles. Eu assumo muito a culpa do resultado de hoje, também sou culpado. Pensar no que vai acontecer daqui para frente”, concluiu.

Edenilson, um dos líderes do elenco, concedeu entrevista após a derrota chorando. “É difícil explicar. Temos que baixar a cabeça e trabalhar, todo mundo. Corrigir as coisas que estão erradas. Com todo respeito ao Vitória, o planejamento do nosso time era outro, temos que assumir essa responsabilidade”, disse. “Tanto os jovens quanto os mais velhos têm uma carreira, uma certa experiência. Lógico que é difícil falar. É nosso trabalho dar este suporte para eles para que não se repita. Infelizmente estamos crescendo na base da derrota, mas o importante é trabalhar para sair dessa situação”, completou.

Edenilson afirmou que o elenco precisa assumir responsabilidade
Foto: Ricardo Duarte/Inter

Patrick confirmou uma reunião dos atletas com a comissão técnica em busca de alterações para tentar a volta por cima na temporada. A conversa foi para mudar o posicionamento da equipe dentro de campo e também dar mais liberdade de movimentos para os meias. O próprio Patrick, por exemplo, deixou a ponta esquerda e circulou mais pelo campo. “A gente se reuniu e decidiu que era o momento de fazer alguma alteração para voltar a produzir o que pode. Entramos em um esquema diferente, com mais liberdade para os meias, os atacantes também movimentando para os lados. E criar situações de ataque. Fizemos um bom primeiro tempo, merecíamos ter feito o gol”, destacou.

O presidente Alessandro Barcellos citou o grupo de atletas e a estrutura de trabalho do clube e afirmou que o resultado ficou muito aquém do esperado. O mandatário afirmou que é preciso mudar o ambiente para a sequência. “Em primeiro lugar, o que estou dizendo é que é necessário fazer avaliação. Somos eliminados de uma Copa que não era esperado. Se dissesse que está tudo bem, seria hipocrisia. Precisamos avaliar a corrigir rumos. Isso não significa dizer que vai ter troca sem a gente fazer a avaliação com condição que a gente merece. É um clube gigante. Num lugar como esse, posição que me encontro, não se toma decisão dessa forma”, ressaltou.

Mais sobre

Aviso de cookies

Nós utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdos de seu interesse. Para saber mais, consulte a nossa Política de Privacidade.