Rádios ao vivo

Leia a Gazeta Digital

RECEPTAÇÃO

VÍDEO: celulares apreendidos em loja de Santa Cruz têm origem em assalto cinematográfico

Oito bandidos armados com fuzis e espingardas, vestindo roupas da Polícia Civil e capuzes, renderam funcionários de distribuidora

Eram 17h30 da última segunda-feira, 25, quando quatro policiais da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco) de São Leopoldo entraram em uma loja especializada na venda e manutenção de celulares, em Santa Cruz do Sul. Os investigadores haviam descoberto que o dono do estabelecimento, um empresário santa-cruzense, de 24 anos, teria feito a receptação de uma carga de aparelhos telefônicos roubados.

Ainda durante a tarde, antes da abordagem ao estabelecimento, os agentes fizeram o monitoramento da loja, que fica bem no Centro, e identificaram diversos modelos supostamente oriundos de um assalto na região do Vale do Sinos, investigado pela delegacia especializada há cerca de um mês. O proprietário da loja foi preso em flagrante por receptação qualificada.

A qualificadora – dispositivo que pode ampliar a pena – foi o fato de o investigado ter adquirido produtos com origem de crime no exercício de atividade comercial. O caso foi revelado em primeira mão pela Gazeta do Sul na edição dessa terça-feira, 26. Previamente, ainda durante a estadia em Santa Cruz, os investigadores descobriram que dois moradores do município haviam adquirido três aparelhos da loja, sendo dois iPhone último modelo e um Samsung, sem saber que eram de procedência ilícita.

LEIA MAIS: Empresário é preso acusado de receptação qualificada


Conforme o delegado Ayrton Figueiredo Martins Júnior, que chefiou a chamada Operação Easy, o caso começou a ser investigado a partir de um roubo com proporções cinematográficas, ocorrido no Bairro Arroio da Manteiga, em São Leopoldo, na madrugada de 24 de setembro. Oito homens fortemente armados com fuzis calibre 556 e espingardas calibre 12, usando roupas falsas da Polícia Civil e capuzes, invadiram o depósito de uma empresa que faz a distribuição de eletrônicos para todo o Vale do Sinos e Região Metropolitana.

Os assaltantes dominaram os funcionários com violência e recolheram grande quantidade de eletrônicos, enchendo a traseira de dois veículos, um Volkswagen Tiguan e um Hyundai HB20, e também de um furgão Fiat Strada roubado da própria empresa atacada. As vítimas foram trancadas em um caminhão-baú, enquanto os ladrões roubavam os objetos.

LEIA TAMBÉM: Assaltante já conhecido por crimes ataca novamente

Aparelhos foram levados em três carros

Foram 34 aparelhos apreendidos na loja do Centro

A ação em Santa Cruz contou com o apoio de agentes da Draco local e da Delegacia de Repressão a Roubo e Furto de Cargas (DRFC) do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) da Polícia Civil. “Quando fizemos o monitoramento da loja, os policiais identificaram no mostruário três aparelhos cujos números de série correspondiam aos celulares roubados. A partir disso, 34 aparelhos foram apreendidos e encaminhados até a Draco de São Leopoldo para verificação, que aconteceu ainda durante a madrugada dessa terça-feira”, explicou o delegado Ayrton Martins Júnior.

Até a tarde dessa terça, dez celulares já haviam sido identificados como itens roubados da empresa, e outros ainda estavam pendentes de verificação. Sobre o empresário santa-cruzense preso, o delegado revelou que ele não possuía antecedentes. Durante a abordagem na loja, ele se mostrou colaborativo e não resistiu à prisão.

No entanto, em São Leopoldo, a cooperação mudou. “Na delegacia, ele se negou a prestar informações e sempre se manteve em silêncio. É uma empresa renomada, em um ponto comercial excelente de Santa Cruz, acima de qualquer suspeita”, afirmou o delegado.

Os valores dos celulares giram entre R$ 1,5 mil e R$ 5 mil. “Na verdade, nos chamou a atenção que os valores de venda dos aparelhos praticados eram o mesmo valor de mercado, sendo que normalmente, em casos como esse, costumam vender por preços mais baixos.”

O jovem de 24 anos passou a noite na cela da Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA) de São Leopoldo. O nome dele é mantido em sigilo.

LEIA TAMBÉM: Homem armado assalta família no interior de Venâncio Aires

Eletrônicos estavam no mostruário de um estabelecimento especializado no ramo

Empresário foi solto nessa terça

O empresário foi liberado da prisão nessa terça, a partir de um alvará de soltura assinado pelo juiz Assis Leandro Machado, da 2ª Vara Criminal da Comarca de Santa Cruz do Sul. A Gazeta do Sul localizou o advogado responsável pela defesa do santa-cruzense investigado, que preferiu não entrar em detalhes no momento. “Ainda estamos nos inteirando da totalidade do inquérito e nos resguardaremos a nos manifestar apenas nos autos do processo”, afirmou Roberto Weiss Kist, sócio fundador da Agostini Kist Böhm & Kist (AKBK) Advogados.

A investigação, segundo o titular da Draco de São Leopoldo, terá continuidade. “Segue sob sigilo. Conseguimos elucidar o assalto e evitar que os produtos roubados fossem entregues ao mercado. Agora, iremos atrás de outras questões que ainda ficaram em aberto”, finalizou o delegado Ayrton Figueiredo Martins Júnior.

LEIA TAMBÉM: Clientes de bar são amarrados com os próprios cadarços durante assalto

Quer receber as principais notícias de Santa Cruz do Sul e região direto no seu celular? Então faça parte do nosso canal no Telegram! O serviço é gratuito e muito fácil de usar. Se você já tem o aplicativo, basta clicar neste link: https://t.me/portal_gaz. Se ainda não usa o Telegram, saiba mais sobre o app aqui e veja como baixar.

Aviso de cookies

Nós utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdos de seu interesse. Para saber mais, consulte a nossa Política de Privacidade.