Rádios ao vivo

Leia a Gazeta Digital

LEGISLATIVO

Câmara de Santa Cruz pode ter rodízio inédito na presidência

Foto: Jacson Stülp/Câmara de Vereadores

A um mês da posse dos novos vereadores, um movimento entre os eleitos no último dia 15 quer quebrar uma tradição de décadas nas eleições para a Mesa Diretora da Câmara de Santa Cruz. A intenção é costurar um amplo acordo para instituir um rodízio na presidência no decorrer dos próximos quatro anos.

A articulação vem sendo feita por um dos vereadores estreantes da próxima legislatura, Henrique Hermany (PP), filho da prefeita eleita, Helena Hermany (PP). Conforme prevê a Lei Orgânica, a eleição para a Mesa em 2021 será realizada no dia 1º de janeiro, em reunião especial após a solenidade de posse.

Tradicionalmente, a base governista e a oposição se organizam em duas chapas para tentar conquistar a presidência, por meio de negociações que passam pelo crivo do Palacinho. Em vários casos, as disputas costumam ser decididas voto a voto.

LEIA MAIS: Primeiro encontro entre comissões marca início da transição em Santa Cruz


A proposta é semelhante ao que acontece há vários anos na Assembleia Legislativa gaúcha: os partidos que têm as maiores bancadas fariam um rodízio na presidência, enquanto os menores se revezariam na vice-presidência. Além disso, os 11 cargos vinculados à Mesa seriam divididos conforme a representatividade de cada bancada.

Henrique quer evitar “acordos espúrios” | Foto: Lula Helfer


PP e PTB terão as maiores bancadas do parlamento municipal na próxima legislatura, com três vereadores cada. Os petebistas, inclusive, já garantiram apoio ao acordo. “É um pensamento mais justo para marcar essa ‘nova era’ da Câmara de Vereadores, fazendo com que as principais bancadas, independentemente de ser oposição ou não, sejam contempladas com a presidência, por um critério real democrático, que é a votação dos eleitores”, avaliou Nicole Weber, mais votada do PTB.

Na sequência, PSD, Republicanos e PSDB terão dois vereadores cada. Com 12 votos, esses cinco partidos seriam suficientes para eleger a Mesa. Conforme Henrique, porém, a ideia é incluir as dez bancadas no acordo. “Todas serão procuradas. A ideia, se possível, é fazer um consenso que contemple uma representatividade de todos, não apenas de uma maioria”, alegou. A ideia, segundo o progressista, é evitar os “acordos espúrios” e a interferência do Executivo que marcaram as disputas dos últimos anos.

LEIA TAMBÉM: Helena anuncia que Elstor será secretário de Planejamento

Resistências ameaçam dificultar consenso

A Gazeta do Sul consultou os vereadores eleitos sobre a possibilidade do acordo inédito. Além do PTB, os futuros parlamentares do Republicanos, PT, DEM, MDB também admitiram ver com bons olhos a ideia.

O levantamento, porém, também identificou algumas resistências que podem dificultar o “consenso” cobiçado por Henrique Hermany. Um dos problemas é o fato de serem cinco as maiores bancadas, o que significa que um partido precisaria ficar de fora do rodízio na presidência. Os vereadores do PSD, por exemplo, já avisaram que só darão aval se tiverem garantia de que ocuparão a presidência um ano. “Não estamos fechados para conversar, mas queremos ter essa garantia. Será que esse acordo vai ser cumprido?”, alegou Licério Agnes.

O PDT também antecipou que não pretende fazer parte do acordo. “Nossa tradição aqui é outra”, alegou Bruno Faller (PDT), sobre as comparações com a Assembleia Legislativa. Outros focos de divergência estão no Novo e no PSDB. Embora se diga disposto a discutir o assunto, Leonel Garibaldi (Novo) afirmou entender que a escolha através do voto seria a melhor alternativa. “Em um primeiro momento, acho que o mais interessante seria decidir de forma democrática.”

Já no PSDB, a resistência parte de Carlão Smidt – que, no entanto, não fechou questão. “Não morro de simpatia pela ideia, mas também não pensei ainda sobre isso”, comentou. Já seu companheiro de bancada, Gerson Trevisan, sinalizou apoio. “Na Assembleia funciona bem e acho que pode funcionar aqui também”, afirmou.

LEIA TAMBÉM: Veja como cada bairro votou para prefeito em Santa Cruz do Sul

Mais sobre

Aviso de cookies

Nós utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdos de seu interesse. Para saber mais, consulte a nossa Política de Privacidade.