Rádios ao vivo

Leia a Gazeta Digital

BALANÇO

Coomcat encaminhou 940 toneladas para reciclagem em 2020

Em duas unidades, cooperativa conta com 53 associados empenhados em reduzir o impacto ambiental causado pelo consumo

A Cooperativa de Catadores e Recicladores de Santa Cruz do Sul (Coomcat) encerrou 2020 encaminhando para reciclagem 940 toneladas de resíduos. A atuação de quase dez anos no município é marcada não só pela destinação correta dos materiais, mas possibilita também que dezenas de catadores e catadoras possam exercer sua profissão com mais dignidade e maior retorno financeiro. Atualmente são 53 associados à cooperativa distribuídos em duas unidades. Por meio do seu trabalho, eles trazem benefícios à natureza, reduzindo os impactos ambientais causados pelo consumo.

A pandemia obrigou a Coomcat a realizar alterações no sistema de recolhimento, reduzindo em 50% a coleta dos recicláveis nos bairros, com mudanças no horário de trabalho dos associados para evitar aglomerações e a exposição ao vírus. Como consequência, houve redução de 10,4% na quantidade de recicláveis coletada em relação a 2019. Mesmo com a diminuição, no ano passado foram recolhidas 90 toneladas de metais, 432 toneladas de papéis, 274 toneladas de plásticos, 152 toneladas de vidros, 6 toneladas de eletrônicos e 2 mil litros de óleo de cozinha saturado.

LEIA TAMBÉM: Reunião na Câmara vai debater a coleta de lixo em Santa Cruz

A Coleta Seletiva Solidária atende 15 bairros e cerca de 48 mil habitantes de Santa Cruz. O serviço contribui para um ambiente mais sustentável, possibilitando que os resíduos retornem ao ciclo produtivo por meio da reciclagem, evitando o consumo excessivo de energia e a extração de recursos naturais, de acordo com o responsável técnico da cooperativa, André Hermann. A quantidade de material recolhido em 2020 será responsável pela economia de 12 toneladas de minério, 12.960 árvores e 3 toneladas de petróleo. Como o vidro é 100% reciclável, toda a quantidade é reutilizada, portanto um quilo de vidro reciclado produz um vidro novo, economizando 152 toneladas de minério.

A destinação adequada dos eletroeletrônicos evitou a poluição do solo e da água por diversas dioxinas. Já a destinação do óleo de cozinha permitiu a preservação de 50 milhões de litros de água. “O trabalho dos catadores da cooperativa reduz a poluição do solo, água e ar e ainda representa a redução de custo para o município, que acabaria destinando todos os resíduos ao aterro sanitário senão fosse a catação, triagem e destinação ambientalmente adequada desses resíduos”, explica o responsável pela comunicação da Coomcat, Jonathan Santos.

Para tirar dúvidas a respeito do serviço e agendar a entrega de materiais entre em contato com a cooperativa pelo telefone (51) 3902 7669 ou WhatsApp (51) 99524 7693. O Ponto de Entrega Voluntária da Coomcat fica na Rua Venâncio Aires, 1.445, no Centro de Santa Cruz.

LEIA MAIS: Semana Lixo Zero faz 72 ações de sustentabilidade

Programa de Coleta Seletiva Solidária atende 15 bairros de Santa Cruz do Sul

Impacto social na vida dos catadores

Atualmente os catadores são responsáveis por mais de 90% dos resíduos encaminhados para a reciclagem no Brasil, mas além do impacto ambiental este trabalho possui grande potencial de mudança social. “A cooperativa organizada de forma justa representa um marco social na vida dos catadores e de suas famílias que sobrevivem da atividade, visto que esses catadores saíram da informalidade para ocupar uma categoria profissional. O impacto de trabalhar de forma organizada, com direitos garantidos e acesso à Previdência Social, faz com que o catador, antes marginalizado pela sociedade, seja visto com a dignidade de um trabalhador”, conta Jonathan Santos.

BAIRROS ATENDIDOS PELA COLETA

Goiás: segunda e sexta-feira pela manhã
Higienópolis: segunda e sexta-feira pela manhã
Santo Inácio: segunda e sexta-feira pela manhã
Avenida: segunda e quarta-feira à tarde
Universitário: segunda e quarta-feira à tarde
Independência: quarta-feira pela manhã e sexta-feira à tarde
Renascença: quarta-feira pela manhã e sexta-feira à tarde
Várzea: quarta-feira pela manhã e sexta-feira à tarde
Belvedere: terça-feira pela manhã
Bonfim: terça-feira pela manhã
Margarida: terça-feira pela manhã
Monte Verde: terça-feira pela manhã
Ana Nery: terça-feira à tarde
Arroio Grande: terça-feira à tarde
Centro: segunda a sexta-feira durante a manhã, tarde e noite

LEIA MAIS: Aumento de contêineres em Santa Cruz incentiva separação de lixo

COMO SEPARAR

Resíduos recicláveis

Tudo que for papel, plástico, vidro ou metal deve ser entregue aos catadores da Coleta Seletiva Solidária, de acordo com o dia em que eles percorrem as ruas do seu bairro, ou no Ponto de Entrega Voluntária. Nessa categoria entram garrafas pet, jornais, revistas, caixas de papelão, garrafas de vidro, isopor, embalagens longa vida, sucatas de metal e latas de refrigerantes.

Resíduos orgânicos

Podem ser usados em uma composteira doméstica para formação de adubo. Modelos menores são ideais para apartamentos e casas sem pátio. Para quem não possui a composteira, a opção é o sistema de coleta habitual de resíduos que percorre as ruas do bairro. No entanto, o material deve ser separado do lixo seco. O lixo orgânico compreende cascas de frutas, legumes, restos de alimentos, borra de café, erva-mate usada e resíduos de podas de plantas.

Resíduos perigosos

Eletroeletrônicos e óleo de cozinha usado podem ser entregues aos catadores ou no Ponto de Entrega Voluntária. Itens como laptops, CPUs, celulares, fogões, carregadores, monitores, secadores de cabelo, câmeras, televisores de tubo, LCD ou plasma, aparelhos de DVD e VHS, rádios, micro-ondas, teclados, tablets, mp3, refrigeradores e impressoras podem ser levados até o local, ou o proprietário pode agendar a entrega com a equipe por meio dos telefones de contato. Outros materiais devem ser descartados junto à Secretaria Municipal de Meio Ambiente, com contato pelo telefone (51) 3713 8242. Nesse grupo entram pilhas, baterias, latas de tinta, medicamentos, chapas de raio X, blisters, cartões magnéticos, pneus, lâmpadas, solventes e lubrificantes.

Resíduos não-recicláveis

Materiais do lixo caseiro como papel higiênico, fio dental, fraldas, absorventes, madeira e papel engordurado não podem ser reciclados, então devem ser destinados ao sistema de coleta habitual de acordo com o dia de passagem do caminhão em cada bairro.

LEIA TAMBÉM: Quantidade de lixo produzida em Santa Cruz se mantém estável durante a pandemia

Mais sobre

Aviso de cookies

Nós utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdos de seu interesse. Para saber mais, consulte a nossa Política de Privacidade.