Rádios ao vivo

Leia a Gazeta Digital

Fique atento

Santa Cruz decide adotar bandeira vermelha a partir desta quarta

Foto: Alencar da Rosa

A classificação de Santa Cruz do Sul na bandeira vermelha do modelo de distanciamento controlado do Governo do Estado trouxe inúmeras dúvidas e questões aos santa-cruzenses, especialmente no entendimento às alterações em setores como o comércio, restaurantes e indústria. Contemplando estes e outros serviços, a Prefeitura de Santa Cruz publicou decreto na manhã desta terça-feira.

Segundo a integrante do gabinete e procuradora-geral de Santa Cruz, Trícia Schaidhauer, novas regras valerão a partir desta quarta-feira, 26, até que o plano estruturado de cogestão, enviado pela Associação dos Municípios do Vale do Rio Pardo (Amvarp), seja homologado pelo Governo do Estado. Enquanto isso, outros municípios da região optaram por permanecer na bandeira laranja até esta resposta.

LEIA MAIS: Até resposta do Estado, Vale do Rio Pardo segue na bandeira laranja

Santa Cruz do Sul, no entanto, passa a operar em bandeira vermelha nesta quarta, com limitação de horários e dias para funcionamento do comércio e restaurantes, limite de ocupação de indústrias e outros locais. “São bastante atividades impactadas na bandeira vermelha”, comentou Trícia, em entrevista à Rádio Gazeta. O Governo do Estado tem até 48 horas para deferir ou não o pedido da Amvarp.

» Clique aqui para ler o decreto.

Entenda

Comércio:
as lojas de Santa Cruz precisarão respeitar um limite de funcionamento de dias e horários para atendimento presencial. Assim, as portas podem ficar abertas de terça a sexta-feira (limite de quatro dias na semana), das 10 às 17 horas (limite de sete horas de funcionamento). Nos demais dias e horários, os comerciantes poderão atuar apenas com serviços de drive-thru e entrega.

Restaurantes: os restaurantes terão mudanças nos mesmos moldes do comércio, com limitação de horário e dias da semana. A abertura pode ocorrer em cinco dias na semana (de terça-feira a sábado), com sete horas de funcionamento (obrigatoriamente entre as 9 e 17 horas). Esta limitação vale apenas para o atendimento presencial, estando as outras modalidades — pegue e leve, drive-thru e entrega — liberadas nos demais dias e horários. O teto de operação é de 50% dos funcionários e liberada até 25% da lotação de clientes indicada no PPCI do estabelecimento.

Lancherias: nas regras da bandeira vermelha, as lancherias não poderão ter atendimento presencial, apenas serviços de tele entrega, pague e leve e drive-thru, sem limitação de dias e horários.

Supermercados: os horários de atendimento permanecem os mesmos, mas com teto de ocupação dos trabalhadores em 50% e presencial restrito de clientes. Não há limitação de uma pessoa por família, apenas exigidos cuidados de higiene, como distanciamento e uso de máscara.

Academias: as regras de bandeira laranja continuam valendo para a vermelha.

Templos religiosos: segundo Trícia, o decreto municipal já era mais rígido do que o estadual na atuação da bandeira laranja e, por isso, as regras são mantidas em Santa Cruz na bandeira vermelha. São permitidas no máximo 30 pessoas por culto ou celebração religiosa e apenas um culto, missa ou celebração por turno.

Oficinas mecânicas: são permitidas manutenções e reparações no formato de “presencial restrito”, com preferência para agendamento. É liberado 25% do teto de trabalhadores e tele-atendimento.

Órgãos públicos: Trícia ressaltou que os serviços não serão interrompidos, mas o teto de operação é reduzido em alguns casos. Setores não essenciais terão 25% de liberação, para atendimento presencial restrito, com agendamento. Serviços essenciais, como saúde, procuradoria, segurança pública, fiscalização, inspeção sanitária e outros não têm alteração no serviço e têm teto de operação de 100%. Agentes de trânsito terão teto de 75%.

Indústria e construção civil: são diversos os setores da indústria e, por isso, pode haver variação, mas o teto de operação na maioria dos setores é de 75%, assim como na construção civil.

Hotéis: o teto de operação é de 40%.

Escritórios: unidades de contabilidade e advocacia poderão atuar com atendimento individualizado, previamente marcado. O teto de operação é de 50%.

LEIA MAIS: Governo rejeita recurso e região de Santa Cruz fica em bandeira vermelha

Flexibilizações

A procuradora do município, Trícia Schaidhauer, lembrou durante a entrevista que, ainda na semana passada, o Gabinete de Emergências havia aprovado diversas flexibilizações nas regras de controle do novo coronavírus em Santa Cruz do Sul. No entanto, com a nova classificação, estas mudanças foram pausadas, voltando a ser discutidas a partir do momento em que a região retornar à bandeira laranja. “Por isso que se faz o pedido à população que se evite aglomerações e se tenha os cuidados”, disse.

LEIA MAIS: ACOMPANHE A COBERTURA COMPLETA SOBRE O CORONAVÍRUS

Mais sobre

Aviso de cookies

Nós utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdos de seu interesse. Para saber mais, consulte a nossa Política de Privacidade.