Close sidebar

Rádios ao vivo

Leia a Gazeta Digital

LISSI BENDER

Sobre o poder curativo das árvores

Você costuma fazer caminhadas em meio às árvores? Já sentiu o ar mais fresco, mais puro presente nas florestas? Você já abraçou uma árvore? Já inalou seu aroma, conversou com ela? No Japão, abraçar árvores é uma ciência. Shinrin-yoku – mergulhar na atmosfera da floresta – é considerado um método natural de cura. Lá, seu poder, sua função de limpeza psicológica, a sua força curativa sobre o corpo e a alma são conhecidos desde a década de 70 do século passado.

Do ponto de vista espiritual, atribui-se ao abraço à árvore efeito sensível sobre a nossa alma. De modo que é considerada mentora da alma. Sua força e energia positiva seriam transmitidas aos humanos por meio do abraço. Na Alemanha, a prática é conhecida por Waldbaden e Baumbaden – banho de floresta/banho de árvore – e propõe uma imersão cuidadosa e desinteressada na atmosfera florestal. Enquanto mantemos nossos sentidos receptivos, nos movemos calmamente, prestamos atenção ao farfalhar das folhas, aos sons da natureza, observamos todo o universo de vidas, observamos as árvores, suas folhas, seus galhos e hastes, abraçamos delicadamente seu tronco, para sentirmos sua presença, sua energia. Vagamos sem pressa, fazemos pausas, sentamos, descansamos e nos deixamos envolver pela magia da natureza.

Enquanto mergulhamos na floresta, ou num parque em meio a árvores, devemos também cuidar para manter uma respiração tranquila e profunda, para acalmar o corpo e usufruirmos melhor do ar limpo e puro, promovido pela fotossíntese das plantas que renovam o oxigênio. Todas estas condições ajudariam a desestressar o organismo, a silenciar a mente, os pensamentos, mergulhando totalmente na atmosfera florestal, atestam os praticantes de banho de floresta.

Além disso, estudiosos da prática descobriram que Waldbaden também é saudável por seus efeitos positivos em nosso sistema imunológico. O contato prolongado – de no mínimo uma hora, duas vezes por semana – ativaria e aumentaria a atividade natural das células exterminadoras que reconheceriam e eliminariam do corpo as células atingidas por vírus e tumores. Isto porque a casca das árvores contém terpenos que seriam capazes de fortificar o sistema imunológico e protegeriam o corpo de câncer. Enquanto abraçamos uma árvore, não somente inalamos esses terpenos, como também são absorvidos pela pele.

Além de todos esses efeitos positivos sobre nosso organismo e nossa alma, abraçar árvores é cultivar amor pela natureza, é sentir o quanto somos nela integrados, dela fazemos parte, dela dependemos. Enfim, é sentir que somos parte de todas as vidas e do grande sistema universal.

O mundo urbano, em grande medida, desconectou o ser humano do mundo natural. Shinrin-yoku – Waldbaden – oferece um reencontro com este mundo, com a energia que brota da natureza, em meio à presença mágica das florestas, das árvores que nos oferecem energia, ar puro, nos envolvem com seus aromas, com o farfalhar de suas folhas e os inúmeros sons de vidas que nas florestas habitam. Que neste mês de setembro, mês de celebração da árvore, possamos redescobrir a sacralidade das árvores, percebê-las como fundamentais para toda a existência neste planeta. Fundamentais para a nossa vida crescentemente desvinculada do mundo natural, crescentemente artificializada pelo mundo tecnológico e em meio a concreto e asfalto.

LEIA MAIS COLUNAS DE LISSI BENDER

Aviso de cookies

Nós utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdos de seu interesse. Para saber mais, consulte a nossa Política de Privacidade.