Rádios ao vivo

Leia a Gazeta Digital

Invasão

Vídeo mostra ação de guarda da Peva durante ataque no domingo

Foto: Rafaelly Machado

Ao longo do dia, técnicos do Instituto Geral de Perícias, junto com equipes da Susepe, Brigada e Polícia Civil, procuraram pistas

Criminosos fortemente armados, a bordo de quatro carros, invadiram o acesso externo da Penitenciária Estadual de Venâncio Aires (Peva) por volta das 2 horas da madrugada desse domingo, 23. A ação tinha como objetivo resgatar um presidiário, mas foi frustrada pelos agentes penitenciários e policiais militares, que trocaram tiros com o grupo. Nenhum servidor ficou ferido, mas a Brigada Militar (BM) acredita que um dos quadrilheiros foi baleado e tenha ficado em estado grave.

De acordo com a Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe), os veículos entraram no acesso externo lateral, próximo à estação de tratamento de esgoto da penitenciária, rompendo a tela de contenção. Um vídeo das câmeras de segurança mostra um agente avançando até a frente da casa prisional e enfrentando os criminosos (assista abaixo). No local ficaram marcas de tiros nas duas guaritas, atingidas por diversos disparos.

A titular da 8ª Delegacia Penitenciária Regional (8ª DPR), Samantha Longo, comenta que a coragem dos servidores foi fundamental para frustrar o resgate. “A atitude e a forma de ação foram fundamentais para que a gente tivesse esse resultado exitoso e para que eles não concluíssem o plano de resgate”, salienta. A delegada diz também que a ação foi conjunta com a Brigada Militar (BM), que faz a guarda externa.

Guaritas ficaram com diversas marcas dos disparos efetuados pelos bandidos |Foto: Rafaelly Machado

LEIA MAIS: Criminosos tentam resgatar preso da Peva e trocam tiros com guardas

Depois de aproximadamente dez minutos de troca de tiros com os agentes, os criminosos acabaram desistindo do plano e fugiram do local, abandonando dois veículos, que ficaram atolados na lama. Segundo Samantha, não foi possível ver quantos criminosos participaram da ação, devido à escuridão e à neblina. “Pelo número de carros em que eles chegaram, que eram quatro, acreditamos que era um número bem elevado de criminosos que estavam ali”, completou.

A direção da Peva informou que, junto aos dois veículos abandonados, foram encontrados dinamite, garrafas de gasolina, um escudo de proteção, um esmerilhador para corte de grades e um coquetel molotov, espécie de bomba incendiária artesanal.

Bandidos usavam Captiva blindada e Jeep Renegade, que atolaram e foram abandonados | Foto: Rafaelly Machado

Mobilização

Na madrugada, a 8ª DPR deu início a uma operação de rescaldo na Peva, que foi comandada pelo Departamento de Segurança e Execução Penal da Susepe (DSEP), para busca e apreensões de materiais e outras provas. O Grupo de Intervenção Regional (GIR), juntamente com os servidores da Peva, reforçou a segurança da unidade prisional.

O superintendente da Susepe, José Giovani Rodrigues de Souza, explica que agentes, com apoio do Grupo de Ações Especiais (Gaes), realizaram revista geral em duas galerias.

LEIA MAIS: Susepe transfere detento alvo de tentativa de resgate na Peva

Também trabalharam no local policiais do Batalhão de Operações Especiais (Bope) da Brigada. No final da manhã desse domingo, a Polícia Civil e o Instituto Geral de Perícias (IGP) finalizaram os trabalhos de investigação no cenário da ocorrência.

Como procedimento padrão, o Corpo de Bombeiros de Venâncio Aires e o Samu participaram do momento de detonação dos explosivos abandonados pelos criminosos, feita pelo Bope.

Bando chegou fortemente armado e bem equipado

A comandante da BM de Venâncio, capitã Michele Vargas, afirma que os criminosos utilizaram fuzis de calibres 5.56 e 7.62, inclusive do modelo AK-47. Além disso, um dos carros que foram abandonados, um Chevrolet Captiva, cor prata, era blindado. A placa do automóvel é de Recife, no estado de Pernambuco, e não apresenta registro de roubo ou furto no sistema. O outro automóvel, um Jeep Renegade, também cor prata, é de Porto Alegre, também sem registro de irregularidades.

LEIA TAMBÉM: Visitas estão permitidas no sistema prisional até o fim do mês

Michele conta que foram colocados miguelitos – ferros pontiagudos, usados pelos bandidos para furar pneus – sobre a RSC-287, para dificultar o acesso do policiamento. “Eles fizeram correntes com miguelitos e colocaram para bloquear as pontes. Teve correntes que foram encontrados em quatro pontos entre o acesso da penitenciária para Venâncio e da penitenciária para o lado de Taquari, e outros miguelitos soltos pelo asfalto. Foram seis pneus de viaturas rasgados.”

Detento foi transferido

O alvo da tentativa de resgate, um apenado que não teve sua identidade divulgada, foi transferido para outra unidade prisional. O destino é mantido em sigilo por motivos de segurança, disse a Susepe.

Questionada sobre qual crime o homem teria cometido e qual seria sua periculosidade, Samantha afirma que tais informações não podem ser repassadas. “Dados pessoais, por uma questão de preservar a identidade física de quem está escoltando e também do apenado que está sendo transferido, a gente não pode informar”, reiterou.

LEIA TAMBÉM: Homem é flagrado arremessando drogas para dentro da Peva

Mais sobre

Aviso de cookies

Nós utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdos de seu interesse. Para saber mais, consulte a nossa Política de Privacidade.