Happy Hour 25/11/2019 12h01

Cananéia: cidade ilustre do Brasil

A navegação só é possível com barcos pequenos e com a rota previamente gravada no GPS

“Cananéia é uma ilha situada no extremo sul do litoral paulista, num dos últimos remanescentes de Mata Atlântica intocados na costa brasileira, a pouco mais de 250 km da capital e de Curitiba.” “O Complexo Estuarino Lagunar de Iguape, Cananéia e Paranaguá – um dos mais importantes ecossistemas costeiros – é reconhecido como um dos mais produtivos do planeta por cientistas, ecologistas e organizações internacionais. Em 1999 esse ecossistema recebeu da Unesco o título de Patrimônio Natural da Humanidade”.

Depois de uma noite bem-dormida, carregamos e abastecemos o barco e fomos tentar mais uma pescaria na Ilha do Bom Abrigo, o que, na verdade, foi um motivo para podermos desfrutar com mais calma dessa verdadeira obra de arte “plantada” neste imenso oceano e que realmente é emocionante.

Filmamos e tiramos muitas fotos. Conforme promessa do Valdomiro, estes próximos 150 km até Paranaguá seriam em águas abrigadas. Estaríamos livres das ondas de mar aberto. São inúmeros canais, e a navegação só é possível com barcos pequenos e com a rota previamente gravada no GPS. O nosso destino seria a Ilha do Cardoso.

A primeira parada foi num pequeno lugarejo, habitado por pessoas que vão desfrutar os fins de semana de pescarias e banho, similar ao Porto das Mesas, mas com natureza encantadora, incomparável às nossas praias de rio.

Atracamos o barco perto de um bar e restaurante, que possui uma plataforma que avança mar adentro e onde os frequentadores ficam preguiçosamente sentados degustando um peixe gostoso, acompanhado por uma cerveja bem gelada. Imaginamos como seria bom ficar ali, mas abastecemos o barco e seguimos viagem.

Desbravamos aqueles canais dos mangues e da Mata Atlântica, santuário ainda preservado para a procriação dos peixes, que irão alimentar milhões de pessoas no mundo. Se fosse um local de fácil acesso, com certeza esse mesmo bicho homem já teria destruído grande parte da natureza.

Ao longo do percurso, encontramos muitas vilas de pescadores, isoladas da civilização e que certamente vivem mais felizes do que as pessoas com todo o conforto na cidade, conturbadas pelo estresse de correr atrás do relógio e engolidas pelo trânsito, cada vez mais catastrófico, principalmente nos grandes centros.

Outro espetáculo imperdível para os nossos olhos era quando avistávamos uma frondosa árvore lá longe, que parecia pintada de branco, mas quando nos aproximávamos víamos centenas de pássaros descansando das suas revoadas insistentes em busca de sua alimentação nessa natureza farta, abençoada por Deus.

Chegamos à Ilha do Cardoso às 17 horas, quando então procuramos uma pousada para acomodar as nossas malas e tomar aquele banho reconfortante. Essa ilha realmente é sensacional, com poucas casas dos nativos e rigorosamente controlada. (Continua).