Saúde 26/12/2017 16h29 Atualizado às 07h51

Tire suas dúvidas sobre doenças transmitidas através do sexo

Muitas vezes as consequências são graves, como esterilidade, doença crônica e até morte. Veja como se proteger.

Foto: Divulgação

Dezembro é o mês escolhido para prevenção de doenças transmitidas por contato sexual. “Em mim não pega". “Só uma vez não tem perigo”. Estas são expressões muito comuns e não são verdadeiras.  Cuidado! Muitas vezes as consequências são graves, como esterilidade, doença crônica e até morte. Contato físico, pele a pele, especialmente com secreções da vagina ou pênis podem transmitir doenças chamadas DSTs, ou como alguns preferem, doenças amorosamente transmitidas. O risco maior está relacionado à falta de sintomas em algumas pessoas. Ela pode ser portadora de uma bactéria, vírus ou fungo e não sentir nada, mas quando tem contato físico com outra pessoa, pode passar a doença. Vamos esclarecer a seguir algumas perguntas básicas. Confira!

Qualquer ferida ou lesão na região genital, pênis ou vulva pode ser DST?”  Não. Muitas lesões na região genital podem ser causadas por fungos ou outras bactérias que não são consideradas DST.

Quais são as doenças sexualmente transmissíveis?"  Existem mais de 30 doenças, algumas delas tendo variações ainda em estudo. As principais causadas por vírus: herpes simples, HPV (papiloma vírus humano) e aids. Já por bactérias: sífilis, gonorreia e clamídia.

“Apareceu uma bolinha na vulva. O que pode ser?”  Se for tipo verruga pode ser causada pelo papiloma vírus e se chama HPV (vírus do papiloma humano) ou popularmente crista de galo. Surge tanto na região genital feminina como vulva, colo do útero, anus e uretra, e masculina pênis, anus e uretra.

“Pode ter HPV na garganta?”  Sim, é raro, mas pode ocorrer. Surgem com consequência do sexo oral sem preservativo.

A verruga não incomoda. Pode se deixar assim?”  Não. Ela pode se multiplicar ou facilitar entrada de outras doenças. Ela deve ser removida, pode ser com medicamentos ou cirurgia.

HPV tem cura?"  Tem controle.  É preciso paciência, pois o vírus demora a sair do organismo. Pode levar anos.

É verdade que HPV causa câncer?” Pode facilitar o aparecimento, principalmente no colo de útero. Existem dezenas de tipos de HPV, alguns mais agressivos e outros menos. Podem misturar seu material genético às células do colo de útero e causar alteração que favorece desenvolvimento de células atípicas que, com outros fatores de risco, como infecções, fumo, vários parceiros sexuais, relações em idade precoce, tendência familiar, podem originar câncer de colo de útero. Exames citopatológicos ou pré-câncer são importantes serem realizados pela mulher anualmente para detectar alterações antes de ser câncer.

Pequenas bolhas na vulva ou pênis, com ardência ou coceira, pode ser uma DST ?” Sim e não, depende da causa. Em geral é causado por vírus chamado herpes. Pode ser transmitido por contato sexual ou de aparecimento sem causa aparente.

Herpes labial ou genital pode ser pego com sexo oral ou com o beijo?”  Sim. Na maioria das vezes o contato com as bolhas rompidas do herpes podem transmitir a doença. Pode ser também com qualquer contato de pele a pele. Muitas vezes não se pode detectar a forma de contágio, simplesmente aparece. Alguns pesquisadores pensam que herpes não necessariamente é uma DST.

Herpes tem cura?”  Infelizmente não tem cura. Os sintomas vão e voltam. São bolhas que surgem, se rompem, cicatrizam espontaneamente. Podem reaparecer após semanas ou meses, quando ocorre um período de baixa resistência do organismo. Podem causar muita dor no local. É indicado não ter relações durante a crise pois o preservativo masculino ou feminino pode não proteger.

Corrimento é doença? Pode ser DST?"  Nem sempre. Se não tiver cheiro, cor, não provocar coceira ou ardor pode ser secreção natural da vagina. De qualquer forma convém consultar ginecologista, pois pode ser alguma alteração no colo de útero.

“Tivemos relação durante a menstruação e o pênis dele começou a descascar. Por quê?” O mais provável que tenha uma infecção vaginal como a candidíase que  altera a acidez na vagina. A pele do pênis também pode ficar vermelha e inchada.

“Sai secreção amarela do pênis e ardência para urinar. O que pode ser?"  Pode ser uma infecção como gonorreia causada por uma bactéria. A gonorreia é uma doença sexualmente transmitida e muito frequente. No homem provoca infecção na próstata e testículos, podendo determinar infertilidade. Se não tratada a doença pode evoluir para lesões nas articulações, no fígado e cérebro, além de endocardite no coração, até morte. Pode ser grave. Na relação sexual contamina a mulher que as vezes não tem sintomas, podendo causar infecção nas trompas. O tratamento é simples, com dose única de antibiótico. O problema é que os sintomas podem desaparecer e a doença evoluir com consequências graves. Logo que começam os sintomas de corrimento deve-se procurar atendimento médico.

“Clamídia é a mesma coisa que gonorreia?” Não. A clamídia surge com frequência junto com gonorreia. A doença pode não dar sintomas e por isso é difícil diagnostica-la. Sempre que tiver corrimento deve-se procurar o médico.

Aparecimento de ferida na área genital, tanto na mulher como no homem, com caroços na virilha o que pode ser?”  Tudo indica que pode ser sífilis. Primeiro aparece uma ferida indolor de 1 a 2 centímetros nos genitais (pênis, vulva, vagina) que desaparece após semanas. No mês seguinte aparecem manchas vermelhas na pele do corpo como se fosse alergia ou feridas na região genital muito doloridas com muitas ínguas pelo corpo. É a segunda fase que pode ser grave quando as bactérias atingem o coração, vasos sanguíneos, vários órgãos e cérebro. Em casos extremos paralisia e morte.

“Sífilis tem cura?” Sim. O tratamento é a base de antibióticos e quanto mais rápido a pessoa recorrer a um médico, melhor será.

Qual é a doença mais grave?”  Gonorreia e sífilis tem tratamento e cura, mas a mais grave é aids transmitida pelo vírus HIV, vírus da imunodeficiência humana. Ele acaba com as células de defesa do organismo. Quando o organismo não tem mais células para combater as infecções, qualquer doença infecciosa pode causar a morte. Além disso o organismo é consumido por deficiências  e morre. 

 “Como posso prevenir as doenças sexualmente adquiridas?” A única forma é usando preservativo, feminino ou masculino, em todas as relações sexuais.

“As vezes não uso, outras vezes uso. Posso estar em perigo?" Sim. É comum os casais terem relações sem preservativo eventualmente. O uso ocasional deixa a pessoa com risco, pois neste momento ela pode estar se contaminando. O uso do preservativo deve ser SEMPRE.

“A camisinha deve ser colocada em que momento do sexo?”  No começo. No homem logo que tiver ereção. A feminina, quando se preparar para uma relação, podendo ser muito antes de iniciar as preliminares.

“Ela precisa ser trocada no meio da transa?” Em algumas situações sim, como após ato sexual anal, caso queira penetração vaginal depois.

A camisinha dá ardor na vagina. Tem alguma solução?” Algumas pessoas tem alergia ao látex da camisinha. Existem lubrificantes à base de água para uso com camisinha que são bastante eficientes. Experimentar outras marcas também pode ser a saída.

Preservativos com espermaticida é mais seguro contra aids? Não. O espermaticida tem função de matar os espermatozoide, aumentar a lubrificação, e de proteger até certo ponto contra as infecções mais comuns, causadas por bactérias. Não atua contra vírus.

Cremes vaginais rompem camisinhas?" Pode ser que sim. Geralmente eles têm um solvente gorduroso que facilita o rompimento da camisinha.

Quando estamos liberados da camisinha?” Alguns especialistas recomendam o uso de camisinha para sempre, mesmo que o casal só transe entre si.  Porém outra recomendação se dá para um casal monogâmico que tem um compromisso de relacionamento seguro, ambos devem fazer os teste das doenças sexualmente transmitidas, especialmente HIV e Sifilis. Caso seja negativa, o casal pode abandonar o uso preventivo da camisinha, especialmente quando tem intenção de gestação.

Quem pega o vírus HIV tem a doença aids?"  Não. Primeiro o vírus entra no corpo  e provoca destruição das células do sangue. A pessoa não apresenta sintomas nesta fase, mas os vírus estão circulando no organismo e podem ser passados para outra pessoa. Se fizer um exame de sangue, esse será HIV positivo, mas pode não estar com sintomas ou com a doença.

Qual é a doença do HIV?"  A doença se chama Síndrome de Deficiência Humana Adquirida ou sida. A sigla mais conhecida é em inglês: aids.

“Qualquer tipo de sexo pode transmitir aids?”  Sim. O risco  é maior do esperma liberado pelo pênis em contato com o ânus. Em seguida a penetração vaginal. Apesar de raro, é possível pegar ou transmitir o vírus através do sexo oral. Quanto a masturbação mútua, o contágio só ocorre se houver lesão na pele e se entrar em contato com esperma ou sangue da outra pessoa.

Posso pegar aids dando um beijo de língua?” Lesões de pele são sempre portas de entrada para o vírus em qualquer parte do corpo. No entanto se houver lesão na boca, o vírus pode entrar através do beijo. É raríssimo, mas pode ocorrer.

O risco de contrair aids ao praticar sexo oral numa mulher menstruada é maior?”  Sim. A possibilidade é maior.

Se ele e ela são soropositivos, precisam usar preservativo?”  Sim. Embora pareça desnecessário, o uso do preservativo é fundamental para não aumentar a carga viral.

Outras doenças sexualmente transmissíveis facilitam o aparecimento da aids?” Sim. As DSTs cujos sintomas são feridas ou lesões como o herpes, o cancro mole e a sífilis abrem portas de entrada para o vírus da Aids.

Finalizando: sexo bom é sexo que é praticado com afeto, consideração e bem-estar para felicidade das pessoas.