Rádios ao vivo

Leia a Gazeta Digital

HAPPY HOUR

A CPI política

Bolsonaro foi internado às pressas em hospital de São Paulo. Essas doenças ainda são consequências da facada que levou do antigo filiado do Psol, Adélio Bispo, braço da extrema-esquerda ligada ao PT. Até os dias atuais, ninguém explica quem pagou os três advogados caros que logo vieram socorrê-lo juridicamente e o porquê da blindagem de seus celulares pelo STF.

Bolsonaro governa o País há mais de dois anos. Os ataques daqueles que não o admiram ou são da oposição ao governo são diários. Além das grandes empresas de comunicação, que se tornaram disseminadoras das notícias negativas contra o presidente. Já disse e repito, o jornalista tem que ser isento politicamente, porque senão perde a credibilidade perante os leitores e telespectadores. Essa é uma das causas da saída de milhares de assinantes e telespectadores.

Com decisão monocrática do ministro do STF, Luís Roberto Barroso solicitou ao Senado abrir essa CPI. Acatado, os opositores ao Bolsonaro foram mais ágeis e formam a maioria dos votos do que for decidido na comissão. O G7 é comandado por Aziz e Renan, dois implicados em investigações. O Renan tem 17 processos no STF, que até hoje estão no fundo das gavetas. Não tramitam com a mesma celeridade como aquela em que soltaram o Lula e isentaram os governadores envolvidos em roubo do dinheiro destinado ao combate da pandemia.

Enquanto isso, essa CPI tenta incriminar o governo Bolsonaro na compra das vacinas da Covaxin. Faz questão de achar um culpado nessa compra onde não houve o aporte de nenhum centavo dos cofres públicos. Corrupção sem dinheiro é impossível. Outra atitude do ministro Barroso que soa estranha para os brasileiros é o seu posicionamento contra o voto impresso auditável. É mais uma garantia para que tenhamos eleições limpas, sem possibilidade de fraude. Ou teria alguma coisa a ver com a candidatura do Lula, que apoia abertamente a ditadura de Cuba?

A esquerda mundial está trabalhando intensamente nos bastidores da política. Já conquistou o governo dos Estados Unidos, derrubando a direita de Trump do poder. Os nossos países vizinhos da Argentina, da Venezuela, da Bolívia, são de esquerda. Estão com sérios problemas na economia e o povo está sendo jogado para a pobreza. Em Cuba, os jovens clamam por liberdade e comida.

Bolsonaro foi recebido por milhares de motociclistas em Porto Alegre. Condenam o presidente de incentivar aglomerações em época de pandemia. Pelo menos está sendo coerente com seu discurso, porque sempre foi contrário ao lockdown. Além disso, essa é a pesquisa verdadeira, que comprova que sua popularidade continua em alta no meio daqueles que aprovam sua maneira simples e sincera de governar, sem papas na língua.

Andar de motocicleta é uma demonstração de liberdade. Na política, cuidado com os falsos profetas. Democracia é nossa maior conquista!

LEIA OUTRAS COLUNAS DE CLÓVIS HAESER

Aviso de cookies

Nós utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdos de seu interesse. Para saber mais, consulte a nossa Política de Privacidade.