Rádios ao vivo

Leia a Gazeta Digital

ABASTECIMENTO

Corsan firma parceria para redução de perdas de água em Santa Cruz

Foto: Leandro Porto

Na semana passada a Corsan assinou um financiamento no valor de R$ 300 milhões como a International Finance Corporation (IFC), vinculada ao Grupo Banco Mundial. A reunião virtual contou com a participação do governador Eduardo Leite. A companhia de saneamento gaúcha se tornou a primeira empresa da América Latina a aderir à iniciativa Utilities for Climate (U4C – Serviços Públicos para o Clima), da IFC. O empréstimo é voltado a ações de redução de perdas de água e eficiência energética, componentes de um projeto de R$ 453 milhões que também inclui o combate à estiagem. Em entrevista concedida ao programa Estúdio Interativo, da Rádio Gazeta FM 107,9, o superintendente regional da Corsan, José Roberto Epstein, disse que Santa Cruz do Sul será beneficiada pela iniciativa.

“Apresentamos em agosto do ano passado para a Prefeitura e a agência um plano de 36 meses com mais de R$ 23 milhões de investimentos só nessa linha de redução de perdas. Esse financiamento junto ao IFC vem bem nessa linha, com o montante que a gente tem previsto para aplicar nos próximos 24 meses em Santa Cruz do Sul”, explica. A ideia da companhia é utilizar a cidade como exemplo, pelo alto índice de perdas que ainda persiste no município.

O investimento em redução de perdas absorverá quatro quintos dos recursos e contemplará os desperdícios físicos, relativos à água perdida no sistema de distribuição, e os comerciais, referentes à água consumida em ligações irregulares e não cobrada. Para eficiência energética, será destinado o restante dos recursos, a serem aplicados na troca de bombas obsoletas e outros equipamentos com alto consumo de energia elétrica.

LEIA TAMBÉM: Projeto de desestatização da Corsan tem longo caminho pela frente; entenda

Conforme Epstein, o índice de perdas em Santa Cruz é de aproximadamente 56% a 57%. “A gente vai fazendo ações, mas agora, por meio de um plano mais agressivo de investimentos e com tecnologia, queremos alavancar esse número. Temos a meta de chegar a 40%.” Ele explica que o indicador ainda é alto, mas é o previsto pelo Plano Municipal de Saneamento. Já o plano nacional tem metas em torno de 30% de redução de perdas. O superintendente destaca ainda que não há como chegar a zero, nem mesmo em países avançados como o Japão, por exemplo.

Atrelado à operação, a companhia firmou compromisso com o IFC de cumprir um rigoroso Plano de Ação Socioambiental, no qual estão estabelecidas metas de adaptação às melhores práticas do mercado em termos de governança ambiental, social e corporativa. O empréstimo terá prazo de oito anos, incluindo dois de carência. O desembolso dos recursos deve ocorrer nos próximos meses.

MELHORIAS
Segundo José Roberto Epstein, desde setembro de 2020 uma equipe específica de engenharia da Corsan já está atuando no município para a redução de perdas, com serviços de incluem substituição de rede, instalação de medidores e renovação de parque de hidrômetros. O balanço hídrico apontou que atualmente na cidade 70% das perdas são físicas, o que compreende transbordamento de reservatórios e vazamentos em redes e ramais. O restante é aparente, quando existem erros de medição.

LEIA TAMBÉM: Corsan apresenta metas de saneamento até 2033

Portanto, o foco será na redução de perda física, com definição e implantação de distritos de medição e controle e continuação da substituição de rede, que já vem sendo feita. Epstein explica que o cronograma foi prejudicado pela pandemia, que causou paralisações nas obras, e também pela alteração de preços no mercado de insumos. Está prevista a instalação de uma nova adutora até Linha Santa Cruz, a desativação de distribuidores antigos que causam rompimentos frequentes e mais 40 instalações de macromedidores. Além dos 20 quilômetros de redes a serem substituídas, serão acrescentados mais 38 quilômetros nos serviços a serem contratados.

Estão em andamento ainda outros projetos da Corsan em Santa Cruz, incluindo a ampliação da Estação de Tratamento de Água (ETA), já na fase de contratação e com investimento de R$ 38,8 milhões. As obras de esgoto terão certame aberto na semana que vem, com investimento de R$ 11 milhões. A expectativa da companhia é que um bom número de empresas participe do processo licitatório. As obras devem iniciar nos próximos meses.

RETORNO
A iniciativa em parceria com a IFC promete gerar importante impacto econômico, reduzindo os custos da companhia, além da responsabilidade socioambiental. “Por isso, esse programa vem perfeitamente ao encontro da companhia que pretendemos ter. Uma companhia moderna, eficiente e comprometida a reduzir os impactos no planeta, com viabilidade econômica do Estado na gestão do saneamento”, declarou o governador Eduardo Leite.

Já o diretor-presidente da Corsan, Roberto Barbuti, acredita que a parceria com a IFC abre perspectivas que vão além do financiamento, oferecendo uma mudança na realidade do saneamento no País. Também participaram da assinatura o diretor Financeiro e de Relações com Investidores da Corsan, Douglas Casagrande, e pela IFC, o gerente de novos negócios de Infraestrutura e Energia para a América Latina e o Caribe, Giancarlo Ortega; o gerente-geral da IFC no Brasil, Carlos Leiria Pinto, e o executivo sênior de Infraestrutura da IFC, Rogério Pilloto, responsável pelos investimentos em água e saneamento.

Colaborou o jornalista Ronaldo Falkenback

LEIA TAMBÉM: Corsan anuncia investimento de R$ 50 milhões em Santa Cruz

Aviso de cookies

Nós utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdos de seu interesse. Para saber mais, consulte a nossa Política de Privacidade.