Close sidebar

Rádios ao vivo

Leia a Gazeta Digital

LEVANTAMENTO

Corsan monitora danos à rede provocados por obras em Santa Cruz

Foto: Alencar da Rosa

No último dia 14 sete bairros ficaram sem água em Santa Cruz do Sul após um rompimento da rede de água. Mas diferente dos problemas de vazamento na canalização, este foi causado pelas obras para criação de um loteamento no Bairro Renascença. Conforme a Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan), os danos à rede causados por terceiros são comuns no município e serão alvo de um levantamento para monitorar os casos.

De acordo com o gerente da unidade local da Corsan, Bruno Barreto, Santa Cruz do Sul tem um ritmo de construção muito acima das demais cidades. “É uma cidade em pleno desenvolvimento. Existem muitas obras por diversas partes da cidade, o que acaba gerando muitos casos de rompimentos de redes”, explica. Apenas no mês de junho foram cerca de 40 casos deste tipo, o que fez a companhia iniciar um levantamento.

“Passamos a monitorar esses dados com mais atenção a partir do mês de junho deste ano e estamos buscando atualizar os dos meses anteriores.” Os danos causados à rede por obras têm custo relativo, variando desde um simples deslocamento de equipe até o local, mobilização de equipamentos de apoio, retroescavadeira e caminhão até a substituição parcial da rede.

LEIA TAMBÉM: Projeto de desestatização da Corsan tem longo caminho pela frente; entenda

Para o gerente, os mais prejudicados pelo problema são os usuários dos serviços de água e esgoto. Dependendo da gravidade da situação, às vezes o reparo exige o fechamento de registros, afetando o abastecimento de bairros inteiros e causando diversos transtornos. Também existem casos onde é necessário substituir partes da rede, um serviço ainda mais complexo e demorado. Também há problemas onde os ramais de esgoto e as caixas de inspeção são danificadas, o que acaba provocando obstrução da rede de esgoto e provocando extravasamentos.

Quanto a uma possível penalização nesses casos, Barreto indica que todo caso deve ser analisado. Após a conclusão do levantamento, não está descartada a possibilidade de que quem provocou o dano fique responsável pela despesa do conserto. “Queremos verificar alguma possibilidade. No entanto, todos devem ser bem avaliados”, comenta.

Cuidados a serem tomados
O procedimento correto a ser tomado antes de fazer qualquer obra é encaminhar o projeto para a Corsan, que dará as diretrizes de água, esgoto e ponto de tomada de água, entre outras orientações. “Muitos empreendedores nos procuram para mostrarmos o trajeto das redes. Além disso, em todas as obras das vias públicas realizadas pelo Município, somos consultados e mostramos a localização da rede”, conta Bruno Barreto.

Segundo o gerente, também há casos de redes rompidas na substituição de postes de energia. Nessas situações, quando ocorre algum dano à rede, a equipe precisa aguardar o término do serviço para realizar o conserto. No entanto, como a rede de abastecimento é subterrânea, problemas podem ocorrer mesmo conhecendo seu trajeto. “Em loteamentos mais novos esses problemas já são menores, mas acontecem, porque já existe um mapeamento mais exato das redes. Mas em regiões mais antigas é complicado.”

LEIA TAMBÉM: Corsan firma parceria para redução de perdas de água em Santa Cruz

Aviso de cookies

Nós utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdos de seu interesse. Para saber mais, consulte a nossa Política de Privacidade.