Close sidebar

Rádios ao vivo

Leia a Gazeta Digital

TRIBUNA

Escárnio

A escandalosa ampliação da verba destinada ao Fundo Eleitoral, aprovada essa semana pelo Congresso Nacional, não contou com o apoio dos deputados federais do Vale do Rio Pardo. Heitor Schuch (PSB) votou contra, enquanto Marcelo Moraes (PTB) não estava presente, mas disse à coluna que é contra e que não apoiou aumentos no fundo em anos anteriores. Dentre os senadores gaúchos, o candelariense Luis Carlos Heinze (PP) foi o único que votou a favor.

Repúdio
A Associação Comercial e Industrial (ACI) de Santa Cruz divulgou uma nota de repúdio na qual define o aumento como “imoral”. “Deveriam os agentes políticos, no atual contexto, reduzir essas verbas, não aumentar elas, retirando assim verbas das áreas fundamentais”, disse. O valor previsto na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2022 para o Fundão é de R$ 5,7 bilhões, quase o triplo da última eleição.

Parecer é o que parece
O presidente da Câmara de Santa Cruz, Ilário Keller (PP), comunicou essa semana aos vereadores que não será mais obrigatória a emissão de parecer da assessoria jurídica da Casa em relação a todos os projetos. Ilário alegou que o regimento interno só prevê a obrigatoriedade de parecer por parte da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), mas que a procuradoria poderá ser acionada quando os vereadores julgarem necessário. A decisão não agradou a setores da oposição, que temem que a CCJ, de maioria governista, atue de forma mais política e menos técnica em relação a projetos que não sejam de interesse do Palacinho.

Mexe mexe
A prefeita Helena Hermany (PP) está fortemente inclinada a antecipar mudanças no primeiro escalão do governo. A ideia era mexer no secretariado apenas no fim do ano, mas Helena vem alegando que espera mais entregas em alguns setores. “O governo pode mais”, observou uma fonte palaciana. A prefeita estuda tanto apenas trocar secretários de posição quanto colocar sangue novo na equipe.

De volta
Vereador por dois mandatos e ex-secretário de Educação, Nasário Bohnen retornou à Câmara essa semana. Suplente da bancada do DEM, ele assumiu em substituição ao titular Cléber Pereira em uma sessão extraordinária na quinta-feira. O último cargo político que ocupou foi de subprefeito de Linha Santa Cruz.

LEIA MAIS COLUNAS DE PEDRO GARCIA

Aviso de cookies

Nós utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdos de seu interesse. Para saber mais, consulte a nossa Política de Privacidade.