Rádios ao vivo

Leia a Gazeta Digital

PROJETO REPENSAR

Após quatro décadas de dedicação ao ensino, professora Eva da Silva vai se aposentar

Foto: Rafaelly Machado

Eva dá aulas de educação artística para crianças de sete turmas, mas terá que se aposentar por idade no próximo dia 13 de outubro

Incansável e extremamente comprometida com a educação. É dessa forma que colegas de Eva do Carmo Oliveira da Silva, de 74 anos, a definem. A professora da Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Harmonia, de Santa Cruz do Sul, é um exemplo de dedicação à profissão. O próximo 13 de outubro, quando ela completará 75 anos de vida, será também o dia de se despedir da carreira de mais de quatro décadas. A data antecede em apenas dois dias o Dia do Professor, celebrado em 15 de outubro.

A aposentadoria compulsória, por conta da idade que Eva atingirá, não condiz com a disposição que ela tem, mesmo depois de tanto trabalho. “Para mim, é uma dor ter que sair. Queria levar mais um tempo na vida esse ‘cansaço’, porque na verdade eu não canso de dar aula”, conta a professora. 

LEIA MAIS: Projeto Repensar: experiência válida para o resto da vida

Eva relembra que o curso de Magistério foi uma opção escolhida por ela e pelas duas irmãs ainda na juventude, o que acabou se tornando um amor. “Eu tenho paixão, acho que são 42 anos em escolas, já perdi as contas.” Atualmente com sete turmas na disciplina de Educação Artística, a professora dá aulas para estudantes de 5 a 11 anos. É a inocência das crianças que emociona Eva. “A criança é sincera, fala para ti com o coração, te olha nos olhos e diz o que está sentindo. Sempre é feliz, e eu sou de uma família que gosta muito de festa”, brinca.

Após tantas décadas educando e ensinando tantas crianças, hoje, é normal encontrar adultos que foram seus alunos levando filhos ou até netos para a escola. Para ela, o professor pode mudar vidas através da educação. Mas, para isso, é preciso amar o que se faz. “É ter aquele prazer, amar, gostar da profissão, porque com a criança tu tens que ter muita calma, ir de coração aberto para atender”, afirma.

LEIA MAIS: Projeto Repensar: duas santa-cruzenses entre os melhores do RS na redação

A aposentadoria compulsória, por conta da idade que Eva atingirá, não condiz com a disposição que ela tem | Foto: Rafaelly Machado

Exemplo para colegas

Na Emef Harmonia, Eva leciona desde 1996, ou seja, desde a inauguração. A professora também já trabalhou em outras escolas, como na Luiz Schroeder, na Bruno Agnes e na Escola Paraguaçu, esta de Vera Cruz. Conforme a diretora da Harmonia, Tatiane Roesch, de 39 anos, Eva é um exemplo para todos os colegas. “Ela motiva os outros professores. A maioria está aqui porque gosta da sua profissão, gosta de ser professor, tem um dom. Mas, física e mentalmente, ela dá um baile na gente. É um incentivo para professores de todas as idades.”

Além disso, durante a pandemia, com a obrigação de ser inserida no meio digital para poder acompanhar as aulas, Eva se esforçou para aprender a nova forma de lecionar. “No início, ela vinha todos os dias aqui para aprender e hoje já sabe. Ela não desanima enquanto não dá certo”, relata a coordenadora educacional da Emef, Ana Paula Monteiro Kuhn, 44 anos. “Está sempre disposta, bem-humorada, criativa e motivada.”

LEIA MAIS: Projeto Repensar: aprendizados que já estão sendo colocados em prática

LEIA MAIS: Conheça os selecionados no Projeto Repensar Educação

Aviso de cookies

Nós utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdos de seu interesse. Para saber mais, consulte a nossa Política de Privacidade.