Economia 31/10/2018 23h29 Atualizado às 06h13

Santa Cruz está entre as 20 melhores do Brasil para fazer negócios

Bom desempenho no recorte de desenvolvimento econômico deixa cidade na vitrine para investidores

Santa Cruz do Sul está entre as 20 melhores cidades do Brasil para fazer negócios. É o que revela a edição 2018 de um estudo realizado pela Urban Systems, consultoria que presta serviços para gigantes da economia nacional. O material é publicado na revista Exame. Vitória (ES), São Caetano do Sul (SP) e São Paulo (SP) lideram o estudo. Entre as gaúchas, Santa Cruz (em 20º) está atrás apenas de Porto Alegre (em 4º lugar).

O ranking é montado a partir da análise de 27 itens que vão desde crescimento populacional e mercado de trabalho até despesas com saúde, frota de veículos e responsabilidade fiscal em municípios com mais de 100 mil habitantes. A pesquisa é dividida em quatro áreas: desenvolvimento econômico, capital humano, desenvolvimento social e infraestrutura. Foi o resultado positivo na primeira que catapultou o município para a área nobre do estudo.

No recorte específico de desenvolvimento econômico, que avalia 14 indicadores, Santa Cruz aparece em terceiro no País, atrás apenas de Barueri e Indaiatuba, ambas no interior de São Paulo. O município ficou com nota 8,671, à frente de Bento Gonçalves, Caxias do Sul e Porto Alegre. No ranking do ano passado, Santa Cruz estava em oitavo lugar. Um dos destaques é o Produto Interno Bruto (PIB) per capita de R$ 61,5 mil anuais. A retomada do emprego formal, o crescimento das exportações e a abertura de novas empresas pesaram a favor de Santa Cruz.

A segunda melhor colocação de Santa Cruz é no grupo capital humano, onde aparece em 50º lugar. São levados em conta indicadores como população economicamente ativa, renda média dos trabalhadores, números de matrículas e gastos com educação. Já nos recortes de desenvolvimento social e infraestrutura, Santa Cruz ficou fora dos top 100.

O secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, César Cechinato, comemorou o resultado e disse que é importante Santa Cruz aparecer bem colocada em estudos econômicos nacionais, geralmente levados em conta por investidores na hora de definir novos negócios. Ele avaliou também que o município estaria melhor no recorte de infraestrutura se o Estado não estivesse tão estagnado nessa área. “Não pontuamos tão bem porque a infraestrutura do Estado é extremamente deficiente. Incomparável com o interior de São Paulo”, comparou.

AS TOP 20

1) Vitória (ES)
2) São Caetano do Sul (SP)
3) São Paulo (SP)
4) Porto Alegre (RS)
5) Barueri (SP)
6) Niterói (RJ)
7) Curitiba (PR)
8) Belo Horizonte (MG)
9) Maringá (PR)
10) Santos (SP)
11) São José do Rio Preto (SP)
12) Rio de Janeiro (RJ)
13) Campinas (SP)
14) Indaiatuba (SP)
15) Jundiaí (SP)
16) Brasília (DF)
17) Macaé (RJ)
18) Cuiabá (MT)
19) Presidente Prudente (SP)
20) Santa Cruz do Sul (RS)

Desenvolvimento econômico: 3º no ranking nacional
Capital humano: 50º no ranking nacional
Desenvolvimento social e infraestrutura: acima da 100ª posição