Gazeta na escola 15/06/2018 22h45 Atualizado às 16h25

O programa de rádio que estimula alunos a aprender

Toda quarta-feira, no turno inverso ao da aula, cerca de 15 alunos se reúnem para definir os assuntos que vão abordar

Foto: Lula Helfer

Na Guilherme Hildebrand, Bairro Progresso, jovens produzem programas semanais
Na Guilherme Hildebrand, Bairro Progresso, jovens produzem programas semanais

Pedro Seixas, de 11 anos, descobriu que a comunicação tem poder. Primeiro porque sempre às sextas-feiras, exatamente às 9h10, alunos, professores e funcionários da Escola Municipal Guilherme Hildebrand, do Bairro Progresso, deixam de lado seus afazeres para ouvir o programa de Pedro. “Olá, bom dia, esta é a Rádio GH, e está começando mais um programa com muita informação e curiosidades”, introduz o garoto, que passa a palavra para outro colega.

O segundo motivo, e o mais importante, é que a oportunidade de se comunicar com a escola toda está proporcionando ao menino uma forma de melhorar o desempenho escolar. “A gente aprende a falar melhor e a escrever melhor também”, afirma. Pois era exatamente esse o objetivo do projeto quando a então professora e agora vice-diretora, Márcia Melchiors, sugeriu que o programa de rádio fosse oferecido aos alunos. “Nossa intenção inicial era de incentivar a leitura. Mas agora a gente percebe que a ideia de eles produzirem um programa traz muito mais benefícios do que a gente imaginava”, explica.

LEIA MAIS

 

Na prática, funciona assim: toda quarta-feira, no período da tarde, turno inverso ao da aula, cerca de 15 alunos se reúnem para definir os assuntos que vão abordar. Depois disso, cada um deles pesquisa e aprofunda o tema. Nesta semana, por exemplo, notícias relacionadas à Semana do Meio Ambiente e ao Dia dos Namorados foram os fatos principais. Outras curiosidades, como dicas de livro, filmes e quiz interativo também fizeram parte do programa.

Depois de gravado, é hora de realizar a edição. E na sexta-feira, durante dez minutos, antes do intervalo, o programa vai ao ar para toda escola ouvir. Em quatro anos de projeto, são mais de cem programas. “Estamos dando mais oportunidade aos alunos do 5º e 6º ano para acompanhar a evolução deles através do projeto”, ressalta Márcia.


Márcia: iniciativa melhora o desempenho dos alunos dentro e fora da sala de aula
Foto: Lula Helfer

Jogos para crianças

Se na escola de Pedro, um programa de rádio motiva alunos a aprender cada vez mais, na Escola Municipal José Leopoldo Rauber, outra iniciativa torna a rotina cada vez mais interessante. Em uma das aulas de informática, Kevin Quoos, de 11 anos, achou o máximo quando se deparou com um gato saltitante na tela do computador que o ajudava a recapitular a tabuada. “Achei muito legal. Até quem não curte muito a matemática acaba gostando de estudar”, disse.

A ideia de produzir programas de computador surgiu da professora Geórgia Pinheiro de Sá, que deu início ao projeto no começo do ano letivo. Usando o programa Scratch, alunos dos anos finais produzem joguinhos para estimular o aprendizado dos estudantes das séries iniciais. “Nossa meta é fazer com que os alunos não sejam apenas usuários, mas autores de pequenos jogos”, explicou Geórgia. Kétlin Kühn e Brenda Abich, ambas de 14 anos, aprovaram a ideia de contribuir com a aprendizagem dos alunos menores. “Me sinto feliz em poder produzir algo e que isso seja útil para eles”, declarou Kétlin. “Precisamos proporcionar mecanismos criativos de aprendizado que sejam atrativos para eles”, avalia a diretora, Ádila Raffler. 


Kétlin e Brenda: boas ideias a fim de contribuir para a aprendizagem dos pequenos
Foto: Lula Helfer

 


Estímulo: os estudantes dos anos finais interagem com crianças das séries iniciais
Foto: Lula Helfer