Internacional 03/05/2018 16h15 Atualizado às 16h57

Rio-pardense conquista título de melhor árbitro de jiu-jitsu em Abu Dhabi

Alexandre Nascimento vive na capital dos Emirados Árabes Unidos desde 2012

A um ano de completar duas décadas na prática do jiu-jitsu, o rio-pardense Alexandre Nascimento tem muito o que comemorar. No último domingo, 29, ele conquistou o título de melhor árbitro do esporte em Abu Dhabi, prêmio concedido pela Federação de Jiu-Jitsu dos Emirados Árabes Unidos (United Arab Emirates Jiu-Jitsu Federation, em inglês).

Morando desde 2012 na capital do país, Alexandre viu a oportunidade de se mudar, em fevereiro daquele ano, quando viu um anúncio em uma revista para uma seleção de árbitro. “A entrevista era no Rio de Janeiro. Numa quarta-feira eu li essa reportagem, na sexta-feira parti pro Rio sem saber de nada, para tentar”, lembra.

E ele conseguiu, cumprindo os requisitos de ter faixa preta no esporte, experiência como professor e inglês fluente. Em setembro de 2012 foi chamado para o país árabe. A experiência como professor de jiu-jitsu ele começou a acumular ainda em Rio Pardo, em 2005, quando iniciou as aulas da equipe “Delariva Jiu-Jitsu”.

Hoje, é professor e árbitro, dividindo a semana entre viagens profissionais e treinos. “Eu arbitro quase todo final de semana. Como a federação daqui, a UAEJJF, é internacional, eu trabalho também em vários países”, conta.

A rotina é cansativa, mas Nascimento não reclama: “Cansa um pouco, mas recompensa. Sempre sobra um tempinho para turistar. Graças a isso, conheço 20 países.” Além dos compromissos, encontra um tempo para estar com a família. A esposa, Fabiana Marocco, e o filho, Pedro Nascimento, de 13 anos, enfrentaram a mudança de país e de cultura junto com o atleta.


Esposa e filho de Nascimento enfrentaram os desafios da troca de país
Foto: Reprodução/Instagram

 

Apesar da grande diferença entre o Brasil e os Emirados Árabes, Nascimento conta que a mudança foi tranquila, principalmente porque o país é seguro e a economia é mais forte, segundo ele. “Meu filho estuda em uma escola internacional. Todos falam inglês aqui. Para eles [a família] só o inglês que foi difícil no início, já que não falavam”, relata.

Com a comida, diferente do idioma, não teve jeito. Precisaram encontrar um jeitinho para ter o Brasil mais perto dos Emirados Árabes. “A comida é diferente aqui. Na verdade, em lugar nenhum do mundo vamos achar uma culinária como a nossa. Mas dá para cozinhar em casa, as mesmas coisas”, comemora Nascimento, que vive sempre sete horas à frente do Brasil.

O prêmio

O reconhecimento pelo trabalho veio no último domingo, 29, ao receber o prêmio de melhor árbitro de jiu-jitsu do ano, pela Federação de Jiu-Jitsu dos Emirados Árabes Unidos. De acordo com Nascimento, houve uma votação e o comitê técnico avaliou e o escolheu como vencedor. “Faço muito pela federação. Deixo de estar com minha família nos finais de semana para trabalhar com eles. E o prêmio veio como um agradecimento.”


Alexandre e a esposa, Fabiana, na noite da premiação
Foto: Arquivo Pessoal

O esporte, para ele, é mais do que uma atividade física. “É minha vida. Passo os dias todos e finais de semana em cima de um tatame. Através do esporte dou uma vida boa para minha família, viajo o mundo todo. O jiu-jitsu é um estilo de vida, tu não cumpre uma rotina. O esporte está presente 24 horas na vida de quem vive dele.”