Especial 27/09/2018 21h14 Atualizado às 15h18

140 razões para comemorar o aniversário de Santa Cruz do Sul

Município está entre as cidades mais desenvolvidas do Rio Grande do Sul, atrai investidores e gera oportunidades de trabalho

Em 28 de setembro de 1878 ocorria a emancipação de Santa Cruz do Sul. Era mais um passo na trajetória de desenvolvimento da terra que anos antes havia recebido os primeiros imigrantes vindos da Alemanha.

Hoje, 140 anos depois, a colônia se transformou em uma das cidades mais desenvolvidas do Rio Grande do Sul e, na contramão da crise, segue atraindo investidores e gerando oportunidades de trabalho. Mas o que faz esta terra ser tão privilegiada?

LEIA MAIS: Veja a programação dos festejos do aniversário de Santa Cruz

É isso que você vai encontrar numa lista que destaca 140 aspectos que fazem a diferença na vida dos santa-cruzenses. Dividida em dez grandes blocos identificados por cores numa alusão à beleza das flores na primavera, a lista – que não é um ranking – traz muitas curiosidades. São marcas, fatos, empreendimentos e obras que ajudam a construir a identidade local e mostram que há muitos e bons motivos para amar Santa Cruz do Sul.

Qualidade de vida

1. Seja em um passeio sob o túnel verde, ou desfrutando de momentos nas praças ou parques, quem vive em Santa Cruz é privilegiado. Para tornar essas ocasiões ainda mais agradáveis, recentemente foram implantados terminais que fornecem água quente para o tradicional chimarrão, em especial durante os fins de semana.

2. O esporte é um capítulo à parte. Torcedores do Santa Cruz e Avenida têm vivido grandes emoções com seus times nas disputas de importantes campeonatos. Sensação semelhante têm aqueles que acompanham de perto os jogos de futebol amador, basquete, futebol americano, tênis, golfe e as provas do Autódromo Internacional.

3. Quando o assunto é emprego e renda, uma notícia divulgada recentemente mostra que as oportunidades são melhores para quem vive em Santa Cruz. De janeiro a agosto, o saldo de vagas com carteira assinada foi de 3.128, o melhor resultado desde 2014. Entre os setores que mais contratam estão a indústria de transformação e os serviços. 

4. A Catedral São João Batista, com toda sua imponência, encanta tanto moradores como turistas. No dia a dia, é fácil perceber pessoas admirando os detalhes do templo construído no estilo neogótico tardio, o maior da América Latina com essas características. 
 

Foto: Bruno Pedry

 

5. A paisagem urbana proporciona momentos únicos a qualquer hora do dia. Em especial nos meses mais quentes, os fins de tarde são um convite para a prática de atividades físicas e de lazer ao ar livre. E para brindar todo o esforço, apreciar o pôr do sol nas praças e parques torna esses momentos sempre especiais. 
 

Foto: Bruno Pedry

 

6. No ramo da construção civil, ao menos dois empreendimentos prometem inovar no conceito de morar bem. Em fase avançada de obras na Rua Ernesto Alves, o München Open Mall terá oito torres de apartamentos com lojas formando um novo centro comercial naquela região. Já nos altos do Jardim Europa, avança a implantação de um condomínio fechado com prédios de apartamentos de alto padrão dotados de comodidades para atender os moradores. Inclusive um supermercado será instalado na região.

7. Os condomínios fechados e loteamentos em regiões como Linha João Alves, Country Clube e Linha Santa Cruz estão imprimindo um novo conceito habitacional. Inspirado nos modelos americanos, esses empreendimentos rapidamente transformaram a paisagem da zona leste santa-cruzense, uma das que mais crescem atualmente. 

8. A gastronomia santa-cruzense é um capítulo à parte, com opções que vão dos simples lanches aos pratos da cozinha contemporânea e culinária oriental. Mesmo assim, se fosse possível eleger um item, este seria a tradicional cuca, que pode ser encontrada com diferentes recheios. Mas as clássicas de açúcar ou uva seguem na preferência, como se vê na casa de chá Padaria Pritsch, uma das mais tradicionais da cidade. O churrasco do Centenário, que recentemente mudou de direção, é outra referência local.

Foto: Bruno Pedry

 

9. A ampliação do sistema de videomonitoramento promete dar mais segurança para os moradores do interior. O projeto está em fase de licitação e prevê instalação de câmeras que vão funcionar 24 horas por dia nos distritos de Monte Alverne e Rio Pardinho. 

10. A partir de investimentos privados, pelo menos três casas de festas infantis passaram a funcionar em Santa Cruz. Com uma estrutura que mais lembra parques de diversões, esses empreendimentos mudaram a forma das comemorações entre as famílias. 

11. A mobilidade urbana é um aspecto que deve ser levado em conta no dia a dia. E, mesmo que durante alguns momentos o trânsito fique lento, é inegável a facilidade para se deslocar de um ponto a outro da área urbana. 

12. Um dos mais conhecidos pontos de concentração de jovens e também local para a prática de atividades físicas, a Avenida do Imigrante está sendo revitalizada. No local foram instaladas luminárias que tornam os passeios à noite mais agradáveis e seguros. 

13. Se ar puro é sinônimo de qualidade de vida, as matas que formam o Cinturão Verde ou as áreas verdes em praças e parques desempenham muito bem esse papel. Graças a essa área protegida, forma-se um microclima com temperaturas mais amenas em boa parte do perímetro urbano. 

14. As decorações, sejam para a Oktoberfest, Natal ou Páscoa, destacam-se todos os anos. Feitas em boa parte por pessoas da comunidade, as ornamentações tornam os espaços acolhedores e ajudam a contagiar a população com o clima dos eventos.

Educação

15. A mais tradicional escola santa-cruzense, a Affonso Pedro Rabuske, localizada em Linha Santa Cruz, surgiu há 165 anos e tem na sua história uma referência ao ensino local. Foi fundada pelos primeiros imigrantes alemães, que se instalaram naquela região a partir de 1849. 

16. Por falar em tradição, o Colégio Mauá, com 148 anos completados em julho, é uma das instituições de ensino mais conceituadas do Rio Grande do Sul. Integrante da Rede Sinodal de Educação, está localizado em uma das áreas mais nobres da cidade e atingiu, neste ano, seu recorde com 1.650 alunos matriculados. Atualmente, um novo prédio com 24 salas de aula está em construção e deve ser inaugurado nos próximos meses.

Foto: Divulgação


17. A rede pública municipal, por sua vez, com 26 escolas de ensino fundamental e 6.870 alunos matriculados, tem passado por constantes investimentos. É graças a isso que hoje as escolas, tanto da cidade quanto do interior, tornaram-se famosas pelo desempenho dos seus alunos.

Foto: Bruno Pedry


18. Junto da Universidade de Santa Cruz (Unisc), a Escola Educar-se surgiu em 1984 e desenvolve uma proposta de educação inovadora, com a adoção de técnicas, conceitos e práticas que asseguram uma formação integral, desde os primeiros anos. Lá, temas como inovação e sustentabilidade, por exemplo, são constantemente trabalhados para despertar um novo olhar entre os estudantes.

19. Bem no Centro da cidade, o Colégio Marista São Luís também alia tradição no ensino. Integrante da Rede Marista, foi inaugurado há 115 anos. Hoje conta com salas de aula dotadas de recursos tecnológicos que se tornam verdadeiros laboratórios de aprendizado, tudo sempre com o suporte de uma equipe de professores altamente treinados.

20. Antiga escola religiosa, o Colégio Dom Alberto é outra instituição privada que tem contribuído para a formação das novas gerações. A partir de suas práticas pedagógicas, também aposta na inovação na busca pelo conhecimento.

21. Educação desde cedo. Também na esfera pública, as escolas municipais de educação infantil (emeis) desempenham importante papel na formação dos estudantes mais jovens. Para assegurar acesso uniforme, a Secretaria Municipal de Educação adotou um sistema de gerenciamento e seleção que visa contemplar o maior número possível de crianças.

22. Aos 25 anos, a Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc) tem cerca de 10 mil alunos matriculados em algum dos seus 60 cursos de graduação e ainda oferece especializações, mestrados e doutorados. É a maior e mais conceituada instituição de ensino superior do Vale do Rio Pardo e já diplomou 36 mil pessoas. Recentemente a Unisc passou a oferecer cursos de graduação dinâmica, com duração de dois anos, aulas presenciais somente três vezes por semana e preço reduzido. Para facilitar o acesso de alunos, a universidade anunciou que firmaria convênios com empresas, associações e sindicatos para oferecer desconto nas mensalidades.

Foto: Bruno Pedry


23. A rede estadual, com 19 estabelecimentos e 9.099 estudantes matriculados, apesar dos desafios, tem conseguido destaque no cenário do ensino. Recentemente, a escola Ernesto Alves de Oliveira obteve um dos melhores desempenhos no ranking do Exame Nacional do Ensino Médio.

24. Flexibilidade no modo de aprender. É essa a proposta dos cursos no formato de educação a distância (EAD), que tem se consolidado na região. Um dos mais conceituados nesse cenário é o polo santa-cruzense do grupo Uninter, onde os alunos encontram, além das aulas a distância, todo um suporte presencial.

25. Também no ensino superior, a Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (Uergs) mantém dois cursos voltados ao meio ambiente e agronegócio oferecidos gratuitamente. Funciona no complexo antes ocupado pela escola agrícola Murilo Braga de Carvalho.

26. A Escola Família Agrícola de Santa Cruz do Sul (Efasc) tem contribuído para que filhos de prdutores rurais acessem o ensino formal e, ao mesmo tempo, aperfeiçoem-se em torno do agronegócio, garantindo o conhecimento necessário para dar continuidade ao trabalho desenvolvido por seus pais nas propriedades.

27. As escolas de idiomas, algumas integrantes de grandes grupos como a Wizard, são verdadeiros canais para quem está em busca de conhecimento e cultura de outras países. Hoje, além de aprender a falar uma nova língua, os alunos cada vez mais têm a possibilidade de participar de intercâmbios para vivenciar o idioma in loco e aplicar seus conhecimentos.

28. A escola do Senai Carlos Tannhauser faz parte da história local. Isso porque passaram por lá alguns dos principais nomes da indústria. E graças a esse conceito conquistado ao longo do tempo, ela continua sendo bastante requisitada por estudantes e trabalhadores em busca de qualificação, que hoje encontram uma formação focada nas tecnologias para o mercado de trabalho.

Saúde

29. Os moradores do Distrito de Monte Alverne, uma minicidade localizada a cerca de 30 quilômetros do Centro, contam com um centro especializado no tratamento de ouvido, nariz e garganta para 13 municípios do Vale do Rio Pardo – o equivalente a uma população de cerca de 340 mil habitantes. Graças a isso, todos os dias centenas de pessoas visitam a localidade e ajudam a fomentar seu comércio diversificado.

30. O Instituto Saint Gallen é reconhecido como um dos principais centros especializados no tratamento oncológico no Estado. Com tecnologias que proporcionam segurança e conforto nos atendimentos, o complexo conta com uma equipe especializada que trabalha em pesquisas e promove ações junto da comunidade.

31. Cuidados quando chega a maturidade. É com essa proposta que as casas especializadas em geriatria têm se especializado. Nesse cenário, o recém-inaugurado Solar Ana Nery é uma referência em atendimento tanto em estrutura quanto com profissionais da área da saúde e bem-estar.

32. Quando o assunto é diagnóstico, os laboratórios de análises clínicas têm avançado em tecnologia e qualificação pessoal para assegurar atendimento de qualidade e segurança nos resultados. Um dos mais recentes espaços a abrir as portas é o Oswaldo Cruz, em Linha Santa Cruz, que atende moradores daquela região e também o público do interior, que não precisa se deslocar ao Centro para realizar exames.

33. Médicos, dentistas, psicólogos e nutricionistas também têm investido alto para atender seus pacientes. Prova disso é a mudança no perfil das clínicas, hoje centros de saúde, onde é possível encontrar o suporte necessário para uma vida melhor.

34. O Centro Materno Infantil (Cemai) logo deve passar por uma reestruturação completa a fim de assegurar mais conforto e qualificar o atendimento da estrutura médica implantada exclusivamente para atender crianças.

35. O Hospital Santa Cruz, com 110 anos de história, faz parte da vida de boa parte da população local e também dos moradores de cidades vizinhas. É ali que, graças a serviços especializados, as famílias conseguem atender suas demandas de saúde.

Foto: Bruno Pedry

36. No Hospital Ana Nery, onde funciona um dos poucos centros de radioterapia do interior do Estado, pacientes oncológicos têm a oportunidade de uma vida nova. Além disso, a rede de suporte disponível proporciona atenção em praticamente todas as áreas da saúde.

Foto: Rodrigo Assmann

37. A rede pública, por meio de projetos que vão da atenção básica nas comunidades até as áreas de alta complexidade, é uma referência. Com um orçamento de R$ 460 milhões por ano para a saúde, a Prefeitura mantém iniciativas voltadas a cuidados e prevenção de doenças que começam antes mesmo do nascimento e se prolongam em todas as fases da vida.

38. Recém-construído ao lado da antiga estação férrea, na Praça Siegfried Heuser, o Centro Regional de Especialidades Médicas possibilitará o atendimento de até 500 pessoas por dia. A estrutura abrange cerca de 355 mil usuários, considerando a população dos 14 municípios representados pelo Consórcio Intermunicipal de Serviços do Vale do Rio Pardo (Cisvale).

39. O Pronto Atendimento junto ao Hospital Santa Cruz funciona 24 horas por dia e tem passado por constantes melhorias a fim de qualificar e agilizar a assistência e situações de emergência.

40. Nos últimos tempos, cresceu a oferta de serviços de academia e centros de treinamento físico. Graças a isso, a população tem acesso a atendimento com profissionais altamente qualificados. Ao mesmo tempo, as academias públicas em praças e parques tornam os cuidados com o corpo acessíveis a todos.

41. Ao mesmo tempo, a rede de farmácias é uma das maiores do interior gaúcho. São ao menos 84 estabelecimentos registrados para essa atividade. Da tradicional Drogaria Santa Cruz à popular rede São João, passando pelas farmácias de manipulação, hoje, quem precisa de remédios ou produtos de beleza encontra em Santa Cruz.

42. No Bairro Esmeralda, a Unidade de Pronto Atendimento (UPA), completou dois anos de serviços à população. Com uma estrutura 24 horas, o local ajudou a desafogar a rede de saúde e levou atenção às famílias da Zona Sul. Outro nome bastante lembrado nesse sentido é a Casa de Saúde Ignes Moraes, o Hospitalzinho, que funciona no Bairro Santa Vitória.

Comércio e negócios

43. Sob o túnel verde da Rua Marechal Floriano e nas transversais, concentra-se um dos mais movimentados centros comerciais da região. É ali que o setor de móveis, eletrodomésticos e confecções, seja com lojas de origem local ou grupos de fora, atende às necessidades da população.

Foto: Bruno Pedry

44. Hoje é impossível dizer que existe apenas um eixo comercial na cidade. O Bairro Arroio Grande é um exemplo disso. Lá funciona de tudo um pouco, ajudando a compor um centro de compras e serviços digno de grandes cidades.

45. De origem santa-cruzense, o Supermercado Miller, com quatro lojas e uma padaria na Avenida do Imigrante, é uma identidade local. De perfil familiar, a rede é uma das maiores do interior do Estado e conhecida pela qualidade e diversidade de opções que oferece.

46. Quando o assunto é carro, as concessionárias representantes das grandes marcas nacionais e importadas logo são lembradas. Uma das mais tradicionais nesse cenário é a Spengler, que traz os principais lançamentos da Volkswagen para os santa-cruzenses.

47. Casa bonita e confortável é o desejo de todos. E isso não é difícil de encontrar em Santa Cruz. Com lojas especializadas em decoração e móveis feitos de acordo com o perfil e demanda dos clientes, o segmento se destaca pela variedade e inovações focadas na funcionalidade para o dia a dia.

48. A tecnologia também chegou aos supermercados. Prova disso está no Zaffari da Avenida do Imigrante. Hoje, graças a um sistema automatizado, o cliente escolhe seus produtos e paga por eles em um caixa automático. Mas, se preferir, pode contar com o atendimento tradicional.

49. Inaugurado há poucos dias, o Centro Logístico, Comercial e Administrativo da Dupont Distribuidora de Alimentos centraliza as atividades da empresa no município. Instalado no antigo complexo Inside, na BR-471, o local tem capacidade para armazenar até 2,6 milhões de quilos de alimentos. Toda essa quantidade é distribuída para 337 municípios gaúchos. A empresa tem 41 anos de existência e distribui mais de 750 itens das linhas Nestlé, Purina, Professional e Garoto.

50. A Associação dos Revendedores de Veículos de Santa Cruz do Sul (Arevesc) concentra revendas de veículos seminovos e, mais do que isso, assegura procedência e confiabilidade nas negociações. Por meio de feirões promovidos periodicamente, os clientes encontram oportunidades facilitadas para adquirir ou trocar de carro.

Foto: Rodrigo Assmann


51. Graças à construção civil aquecida, o setor de materiais de construção tem se renovado para atender às necessidades dos consumidores. Há desde lojas com itens básicos até pequenos shoppings onde é possível encontrar praticamente todos os artigos indispensáveis para a construção e decoração.

52. Outro shopping local, o Germânia também é bastante conhecido por reunir lojas, praça de alimentação e um supermercado. Junto dele ainda funcionam salas de cinema com projeção em 3D.

53. A Rua Tenente-Coronel Brito se tornou conhecida justamente por concentrar variedade e diversidade de opções comerciais. Desde lojas de menor porte a grandes redes, além de prestadores de serviços, esta região de Santa Cruz demonstra que o setor cresce e se aperfeiçoa a cada ano.

54. A esquina da Marechal Floriano com Fernando Abott é conhecida por ser a casa da Óptica Gerhardt, que está no mercado há 120 anos. Ainda sob comando da mesma família, a empresa se tornou referência para diferentes gerações de santa-cruzenses.

55. O Shopping Santa Cruz, que há 20 anos está em funcionamento, é um dos centros comerciais mais conhecidos da região. Consolidado no segmento, concentra de tudo um pouco: lojas, alimentação, lazer e ainda a comodidade de um amplo estacionamento.

56. A alimentação saudável e o comércio de suplementos cresceram nos últimos anos. A loja da Pra Vida, que completou 30 anos recentemente, é o nome mais tradicional. Outras empresas do ramo, algumas representantes de redes nacionais, também se instalaram na cidade recentemente e ampliaram as opções para quem procura uma vida mais saudável.

Indústria

57. O Distrito Industrial concentra um dos mais diversificados conjuntos de grandes empresas do interior gaúcho. A cigarreira da Philip Morris, que mantém um dos seus principais complexos fabris na cidade, atualmente é a maior empresa em atividade e líder no recolhimento de tributos municipais.

Foto: Bruno Pedry

58. O ramo metalmecânico tem ampliado sua participação no mercado nacional e internacional. Um dos nomes que mais aparecem é o da Metalúrgica Mor, que recentemente deu início a uma nova fase de ampliação da sua estrutura e capacidade de produção.

59. Quem nunca usou a borracha da Mercur na escola? Esse é apenas um dos produtos do portfólio da empresa que, nos últimos anos, passou a adotar uma postura focada na sustentabilidade do negócio, dando sua contribuição para um mundo melhor.

60. Os tradicionais triciclos ou os cubos para brincar de construtor da Xalingo fizeram e fazem parte da infância de boa parte da população. A fábrica, que começou pequena, hoje é uma potência no mercado de brinquedos.

61. Pouca gente sabe, mas Santa Cruz tem uma fábrica de caminhões de bombeiros. É a Mitren, que atende o Brasil e países da América Latina. Está localizada no Distrito Industrial e ocupa uma área de 28 mil metros quadrados.

62. As calças e camisas da Pitt estampam alguns dos principais catálogos de moda do País. E quase tudo é feito em Santa Cruz, numa fábrica que surgiu há 50 anos e segue inovando em seus processos para acompanhar as tendências desse mercado que não para de crescer.

63. Quando o assunto é indústria, os complexos do setor de beneficiamento de tabaco e produção de cigarros - e aí se incluem multinacionais - são os maiores empregadores e também geradores de tributos municipais. A mais recente novidade na área é a fábrica de cigarros inaugurada quarta-feira pela JTI.

Foto: Rodrigo Assmann

64. Da pequena unidade de processamento de banha fundada em 1893 até se tornar uma potência do setor, a Excelsior Alimentos, hoje integrante da JBS Foods, está na mesa dos brasileiros, seja com embutidos ou lasanhas, para citar alguns exemplos.

65. Também no ramo alimentício, a Germani Alimentos, que adquiriu a antiga Filler, espalha o aroma de biscoitos pelo Bairro Universitário. Com modernos processos, a fábrica hoje é uma das mais conceituadas do seu segmento no Estado.

66. Painéis eletrônicos e catracas de acesso a alguns dos principais estádios do Brasil e do exterior saem de Santa Cruz do Sul, mais precisamente da Imply. A empresa, que completou 15 anos, conseguiu em pouco tempo entrar no seleto grupo do mercado de tecnologia.

Foto: Rodrigo Assmann


67. Com a expansão da construção civil, a fabricação de móveis também se fortaleceu. Hoje, entre as empresas, há nomes conceituados em todo o Rio Grande do Sul graças à qualidade do que produzem. O segmento de móveis sob medida também é outra referência local, com lojas das principais marcas do País.

68. Fundada há cem anos, a Associação Industrial de Santa Cruz (ACI) tem na representatividade das mais de 500 associadas do setor uma de suas bandeiras. É também responsável por atividades que visam facilitar o dia a dia em questões burocráticas e planejamento estratégico.

69. Diante da importância do setor fumageiro, o Sindicato Interestadual do Tabaco (Sinditabaco) se organizou e consolidou ao longo de 71 anos para representar este que é um importante mercado para a economia nacional. Entre suas atividades estão negociações, programas socioambientais e ações de incentivo às boas práticas produtivas.

70. O desenvolvimento passa também pelos empreendimentos que estão em fase inicial. É com essa proposta que o Berçário industrial de Santa Cruz abre espaço para os novos negócios. Na área localizada no fim da Rua 28 de Setembro, os investidores encontram suporte oferecido pelo poder público local.

Cultura e lazer

71. A transferência da Biblioteca Pública Municipal para um prédio construído em 1900 na esquina das ruas Marechal Floriano e Tiradentes vai abrir um novo canal para quem busca cultura e entretenimento por meio da leitura. A previsão é de que o espaço abrigue um acervo de 12 mil livros.

72. Ouvir música, informação e esporte pelo rádio é tradição em Santa Cruz e as emissoras da Gazeta lideram em seus segmentos. Há um ano foi lançada a 99,7 FM, da Fundação Gazeta, voltada ao público adulto contemporâneo e que só toca música de primeira.

73. Há 73 anos, a Gazeta do Sul é o nome mais lembrado quando o assunto é comunicação e identificação com a comunidade. O jornal tem como característica o jornalismo hiperlocal, abrangendo fatos de Santa Cruz e região, sem deixar de lado aspectos de relevância no cenário nacional e internacional.

74. Símbolo santa-cruzense, a cuca está presente na vida das famílias e ganhou uma comemoração só para ela. Realizada todos os anos também no Parque da Oktoberfest, a Festa das Cucas entrou para o calendário local.

75. Valorização cultural e resgate das tradições germânicas são marca da Oktoberfest. Em sua 34a edição, a Festa da Alegria, que vai de 10 a 21 de outubro, repete a fórmula de concentrar em um só lugar atrações locais, regionais e grandes shows nacionais. Tudo com muita música, gastronomia típica, dança e chope gelado.

Foto: Bruno Pedry


76. É no entorno do chafariz da Praça Getúlio Vargas que a Feira do Livro coloca lado a lado grandes autores e o público. Neste ano, na 31a edição do evento, 23,5 mil títulos foram vendidos durante os dez dias, um crescimento em relação a 2017, quando os livreiros venderam 18 mil exemplares.

77. A multiplicação das cervejarias artesanais emplacou um grande festival da cerveja realizado no Parque da Oktoberfest. Com shows de bandas conhecidas e, claro, a bebida, o evento tem de tudo para se consolidar no calendário santa-cruzense.

78. A causa animal está em alta. Seja por meio de ações nas redes sociais ou em atividades nas praças ou empresas, as feiras de adoções ou as campanhas para arrecadação de donativos destinados a filhotes abandonados passaram a ser organizadas com grande frequência.

79. Neste ano, a 12a Rústica Estadual de Santa Cruz do Sul teve um elemento a mais, a Meia Maratona. Realizados no último fim de semana, os eventos marcaram as comemorações do aniversário do município.

Foto: Bruno Pedry


80. As edições mensais do brique na Praça Getúlio Vargas se transformaram numa oportunidade para conhecer e prestigiar o talento de artesãos locais. A cada mostra, os participantes procuram levar novidades para surpreender o público. Em meio a isso, artistas sobem no palco para animar o público.

81. O Parque do Trabalhador, evento promovido pela Gazeta Grupo de Comunicações em parceria com o Município, ocorre anualmente para celebrar o 1o de Maio. Com uma programação que inclui música, serviços e atividades de lazer para as famílias, o evento conquistou a comunidade.

82. A Exposição Regional de Orquídeas, que neste ano teve a 47a edição, e a Festa das Flores são um espetáculo para os olhos. Para marcar o início da primavera, os eventos reúnem colecionadores e expositores que levam o que têm de melhor para oferecer aos visitantes.

83. A queima de fogos no alto do Parque da Cruz tornou a virada de ano ainda mais especial. Centenas de pessoas foram até o local para acompanhar as atividades de perto. Mas quem ficou em casa também teve a oportunidade de brindar o Rèveillon assistindo ao foguetório.

84. O Encontro de Artes e Tradição Gaúcha (Enart), em novembro, faz um resgate das tradições com provas de dança, interpretação e costumes típicos da cultura gaúcha. Por ano, pelo menos 40 mil pessoas de todo o Estado acompanham o evento realizado no Parque da Oktoberfest.

Foto: Lula Helfer

Serviços

85. O serviço de transporte municipal, atualmente sob comando do Consórcio TCS, vem se aperfeiçoando. Veículos novos dotados de comodidades e conforto nas linhas urbanas asseguram mobilidade no dia a dia. E para complementar, paradas de ônibus equipadas, inclusive com ar-condicionado e WiFi, tornam o hábito de tomar um ônibus mais confortável.

86. Um dos mais tradicionais hotéis locais, o Santa Cruz, que acaba de ser reformado, ganhou vida nova e se destaca na esquina das ruas Tenente Coronel Brito e Ramiro Barcelos. Ao longo de sua história, fez parte de importantes momentos da comunidade e agora ingressa em nova fase.

87. Com sede regional e quatro agências (duas no Centro, Unisc e Arroio Grande) em Santa Cruz, o Banrisul está de vez incorporado ao dia a dia da população. Isso porque, além dos tradicionais pontos, possui terminais de autoatendimento em diferentes pontos da cidade, assegurando praticidade no dia a dia.

88. A rede bancária com 14 agências vem inovando para proporcionar praticidade e agilidade nos atendimentos. O mesmo ocorre com a cooperativa Sicredi, que instalou uma sala de autoatendimento na Rua Ramiro Barcelos e acaba de lançar a pedra fundamental do seu futuro centro administrativo às margens da RSC-287, no acesso à cidade.

89. Com secretarias e centrais de atendimento instaladas em pontos estratégicos e de fácil localização, a Prefeitura mantém uma rede de serviços voltados para os cidadãos. Além da estrutura física, os servidores estão participando do Programa Municipal de Capacitação e Gestão, que visa qualificar as equipes para trabalhar de forma eficaz junto aos usuários.

Foto: Rodrigo Assmann

90. No dia a dia, quem precisa recorrer ao Judiciário encontra uma rede completa, incluindo órgãos da Justiça Estadual e Federal, bem como seus respectivos Ministérios Públicos. A subseção local da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), por sua vez, tem se estruturado para garantir que os advogados associados tenham melhores condições de trabalho.

91. No ramo da hotelaria, o Charrua Hotel, localizado na Marechal Floriano, em frente à Praça da Bandeira, começou a ser construído em 1958 e tinha junto um cinema como diferencial. Foi totalmente reformado em 2010 e ampliou sua capacidade e estrutura.

92. Os novos ônibus apresentados recentemente pela Viação União Santa Cruz tornaram as viagens mais confortáveis e seguras. Maior espaço nos assentos, funcionalidades como sistema de som, internet, climatização e ambientação acolhedora trouxeram para o tráfego rodoviário características até então presentes apenas na aviação civil.

93. As unidades do Sesc, Senac e Sesi formam uma rede de serviços que contempla desde a qualificação profissional até os cuidados com saúde e bem-estar. Cada um dentro de sua área de atuação tem proporcionado grande contribuição junto da comunidade.

94. Os santa-cruzenses contam com os serviços diferenciados da Unimed Vales do Taquari e Rio Pardo, uma das unidades mais conceituadas do interior do Estado. Neste ano, a chegada da rede Agemed abriu uma nova opção para quem busca por um plano de saúde. É hoje a maior operadora de Santa Catarina e a meta é estar entre as dez maiores do Brasil até 2020.

95. Em construção na Gaspar Silveira Martins, o novo prédio da Receita Federal vai ampliar a estrutura de serviços para Santa Cruz e municípios de sua área de abrangência. As obras estão em fase final e chamam a atenção pelo estilo contemporâneo e sofisticado.

96. O Aquarius Flat e seu imponente prédio ao lado do Parque da Oktoberfest têm uma estrutura com apartamentos diferenciados e funcionais para atender diferentes públicos. Com um centro de convenções na cobertura, além da vista privilegiada, dispõe de salas dotadas de toda a estrutura para reuniões ou conferências.

97. A segurança pública está bem representada. O Centro Integrado, no  Bairro Arroio Grande, concentra delegacias de Polícia Civil, unidades da Brigada Militar, Guarda Municipal e quatro órgãos de assistência da Prefeitura de Santa Cruz do Sul. Além disso, Corpo de Bombeiros, Brigada, 7o Batalhão de Infantaria Blindado, Polícia Federal e Grupo Rodoviário dão proteção à comunidade.

Foto: Bruno Pedry


98. Na área de transportes, a novidade fica por conta da chegada do Uber, por meio do qual os usuários contam com carros novos, atendimento e preços diferenciados. Tudo isso com a praticidade de acionar o motorista via aplicativo de celular. A concorrência fez o sistema de táxi se modernizar e melhorar os serviços. E quem ganha é o usuário.

99. As lavouras de tabaco fazem parte da história santa-cruzense e ajudaram a formar a cidade que temos atualmente. Não é para menos: a atividade é desenvolvida por 3.623 famílias, que na safra passada colheram 13.990 toneladas em 6.714 hectares.

Agricultura

100. Grande parcela do que se tem hoje em relação ao tabaco é fruto da atuação da Associação dos Fumicultores do Brasil (Afubra). Com uma trajetória que começou em 1955, a entidade mantém a representação dos seus associados, desenvolve programas de incentivo à produção e também na área ambiental. Por meio do sistema mutualista, proporciona a cobertura das perdas em casos de eventuais intempéries nas lavouras de tabaco.

Foto: Inor Assmann

 

101. Antes tradicional na Sexta-Feira Santa, a Feira do Peixe passou a ter mais edições durante o ano. Esse aumento na oferta de pescado demonstra como a piscicultura vem crescendo, gerando nova opção de renda para quem produz e a garantia de um pescado com procedência para quem compra.

102. Os programas destinados à correção do solo desenvolvidos por meio da Secretaria da Agricultura se tornaram um incentivo para as famílias moradoras do interior. Graças à oferta do produto de forma subsidiada, os agricultores têm a garantia de que as lavouras seguirão dando bons resultados.

103. Laranja, bergamota, banana, pêssego, uva e amoras. Frutas que ajudam a adoçar o dia a dia são produzidas em pomares de famílias do interior e chegam fresquinhas para abastecer os moradores das cidades.

Foto: Lula Helfer


104. O colorido das flores é característico e mexe com a economia. Hoje a produção de crisântemos, petúnias e uma diversidade de folhagens atende o mercado interno formado por grandes floriculturas e também chega a cidades vizinhas.

105. Antes restrito a um comércio tímido restrito na maioria das vezes à vizinhança, a produção de leite vem avançando rapidamente. Hoje, os criadores estão mais atentos a aspectos como melhoramento genético de seus rebanhos.

106. A fabricação de conservas é outra área que tem avançado no agronegócio local. Feitos geralmente em agroindústrias de origem familiar, os produtos conquistam os consumidores por trazerem um gostinho da colônia para a cidade.

107. Uma fábrica de molhos de pimenta, a Pepper Foods, inaugurada no começo do ano, tem levado o nome de Santa Cruz para todo o Estado. Com cuidado que começa na escolha da semente, os molhos seguem um padrão de qualidade inspirado nas normas sanitárias das grandes vinícolas, algo que é uma raridade no segmento.

108. Uma cooperativa de agricultores, a Coopersanta surgiu em 2008 e hoje congrega pelo menos 120 associados ativos que atendem municípios da região com seus produtos nas mais diversas linhas da produção familiar. Graças à expansão, a entidade tem planos de ampliar sua atuação para, até 2020, consolidar-se como a maior cooperativa de alimentos da região.

109. Depois da safra de tabaco, é a vez do milho e feijão. Hoje, programas que incentivam o aproveitamento das áreas com esses grãos têm recebido grande incentivo das empresas fumageiras, uma forma de assegurar o melhor aproveitamento dos nutrientes do solo e ainda gerar renda no campo.

110. A pesquisa em torno de novas variedades também avança, como vem ocorrendo entre empreendedores que investem em um tabaco com características orgânicas para atender às demandas da indústria, atenta ao novo perfil de consumidores.

111. Em São José da Reserva, a produção de alface, rúcula, tomate, morangos e outros hortigranjeiros por meio do sistema de hidroponia desenvolvido pelo produtor Arapoti Cremonese são uma referência. Graças à técnica é possível contar com a oferta praticamente o ano inteiro.

112. Ao mesmo tempo, a atividade agrícola tem muito mais opções. Graças aos programas de incentivo e assistência técnica, a produção de hortigranjeiros está consolidada e ajuda a abastecer supermercados, restaurantes e as dez unidades da feira rural, que acaba de comemorar 38 anos de existência.

Foto: Rodrigo Assmann

Infraestrutura e obras

113. Depois de mais de uma década de mobilização, foi entregue em junho o viaduto junto ao Trevo Fritz e Frida, na RSC-287. A obra custou R$ 27 milhões e criou um acesso mais seguro à região central e Linha Santa Cruz.

Foto: Bruno Pedry


114. Novas calçadas e iluminação no Acesso Grasel facilitam o tráfego. Ainda foram executadas obras para escoamento da água da chuva.

115. A recente alteração no sentido das ruas Ernesto Alves e Assis Brasil deu mais fluidez ao trânsito. A sinalização também mudou.

116. O asfaltamento de ruas como a Gaspar Silveira Martins e a Thomaz Flores, além de facilitar o deslocamento no lado leste da cidade, aliviou  trânsito nas demais ruas.

117. A cobrança de Rapidinho nas manhãs de sábado já está valendo e visa ampliar as vagas no Centro.

118. A ampliação da estação da Corsan é a promessa para evitar a falta de água no verão.

119. Um conjunto de intervenções no Parque da Gruta, incluindo troca de calçadas, vai mudar a paisagem do local.

Foto: Lula Helfer


120. A paisagem urbana tem se transformado rapidamente, mas nem por isso a memória local se perde. Recentemente prédios foram reformados para fins comerciais, mas preservaram as características originais.

121. As ciclofaixas caíram no gosto da população. É segurança para quem pedala e vida mais saudável.

122. O tratamento de esgoto deve ser ampliado até o fim do ano. A meta é chegar a 50%.

123. A pista de bicicross junto ao Parque da Oktober tem sido bastante elogiada pelos usuários. A reforma foi concluída recentemente.

124. Novas redes de água e troca de canos também visam garantir o abastecimento das famílias.

125. Avançam as obras para construção de uma rotatória na BR-471, no Distrito Industrial. O trabalho deve ficar pronto até o fim do ano.

126. Investimentos de R$ 4,4 milhões nas redes de energia atenderam 59,4 mil clientes nos primeiros meses do ano.

Para o futuro

127. O plano para implantação de uma plataforma logística em Santa Cruz segue avançando. Em agosto, foi confirmado que dois investidores garantiram participação no empreendimento, que contará com uma área de 60 mil metros quadrados em um terreno ao lado do Centro Agronômico da Universal Leaf Tabacos, no limite entre Santa Cruz e Rio Pardo. A primeira fase do projeto prevê investimento superior a R$ 20 milhões.

128. Os movimentos em torno da exploração do potencial turístico santa-cruzense seguem fortalecidos com foco na valorização de origens e costumes locais. Prova disso são os investimentos anunciados recentemente, em especial com a instalação de casas coloniais e cafés em regiões como o distrito de Rio Pardinho e também no distrito de Pinheiral.

129. A área no entorno do Lago Dourado vem se transformando em um novo complexo de lazer e turismo. O projeto, que já teve parte executada, prevê investimentos na ordem dos R$ 10,6 milhões, provenientes do contrato assinado entre a Prefeitura de Santa Cruz e Corsan. Estão previstos estacionamento, pistas de caminhada e ciclismo, quiosques com churrasqueiras, quadras poliesportivas, play-molhador (chuveiros semelhantes aos encontrados no litoral), pista de educação de trânsito e banheiros, academia ao ar livre e quadras esportivas.

Foto: Bruno Pedry


130. A duplicação da RSC-287 passou a ser tratada como uma prioridade regional. No momento, está em análise no governo do Estado a possibilidade de concessão da via para a iniciativa privada.

131. A instalação de um centro administrativo municipal está ganhando forma. Depois de vários projetos  anteriores, agora a intenção é transferir pastas estratégicas para o prédio da Secretaria Municipal de Educação, em frente ao Ginásio Poliesportivo.

132. A implantação de um restaurante panorâmico no Parque da Cruz promete mudar o perfil daquela região. O parque já recebeu uma série de obras e a área destinada à construção do prédio está reservada.

133. A revitalização do calçadão da Rua Marechal Floriano, prevista para começar no início de 2019, é uma das obras mais aguardadas dos últimos tempos. Com um custo estimado de R$ 3,7 milhões, vai contemplar o trecho entre a 28 de Setembro e a Tiradentes.

134. Já começaram as discussões em torno da implantação de uma rua coberta na região central de Santa Cruz. O projeto ainda não está concluído, mas pode representar um novo atrativo turístico para a cidade.

135. Depois da construção do Residencial Viver Bem, com 922 casas, há três anos, novos projetos destinados à habitação popular devem sair do papel. A previsão é de que sejam construídas mais 563 moradias nos loteamentos Mãe de Deus e Santa Maria.

136. A Philip Morris Brasil, que aguarda a licença para a produção de um dispositivo de tabaco aquecido no País, não descarta utilizar a estrutura da fábrica de Santa Cruz do Sul para desenvolver o novo item. A unidade local é atualmente uma das mais modernas da empresa no mundo.

137. Localizado no Bairro de Linha Santa Cruz, o Aeroporto Luiz Beck da Silva tem um projeto de melhoria de sua estrutura nos próximos anos. Com as obras, a expectativa é retomar as linhas com voos comerciais, especialmente para Porto Alegre.

138. Lançado há uma década, o movimento Santa Cruz Novos Rumos segue atuante e atento às demandas locais. Em abril, uma reunião entre as lideranças definiu estratégias para o futuro. Entre elas estão projetos voltados a  atrair investidores e desenvolvimento urbano sustentável.

139. Com R$ 7 milhões obtidos do Ministério da Saúde, o Hospital Ana Nery vai ampliar os atendimentos a pacientes oncológicos. O dinheiro será aplicado na compra de um novo aparelho de radioterapia e na construção do bunker em concreto para abrigá-lo. As obras devem ficar prontas nos primeiros meses do ano que vem.

140. Um grupo com representantes da Prefeitura e Unisc deu início às discussões para implantação de um hospital veterinário na cidade. O objetivo é oferecer uma estrutura que poderá ser usada pelos alunos do curso de Veterinária no atendimento aos animais.