Presente e futuro 06/04/2018 20h07 Atualizado às 08h43

Pequenos alertam os adultos sobre reciclagem

Crianças participam de campanha ambiental, conscientizam pais e aprendem a cuidar da natureza na Emei Mundo Mágico

Precisaria uma manhã inteira de conversa para ouvir as histórias dos garotos Lucas Nunes e Luan Paulus, ambos de 5 anos. Após a professora Carla Rodrigues sugerir que se fizesse um círculo para facilitar o diálogo, a dupla Lucas e Luan se achou no direito de ser a porta-voz da turma. E os dois fizeram isso com muita espontaneidade e beleza. Enquanto um tentava explicar sobre o destino correto do lixo, o outro intervinha e queria comentar sobre a merenda daquela manhã e os brinquedos da pracinha, entre outras situações.

“Tio, eu gosto de arroz, feijão e maçã. Sabia, tio, que muitas crianças não gostam de feijão?”, disse um. E o outro, enquanto exibia a camiseta do personagem Ben 10, alertou: “Mas tem que comer salada também, né profe?! Tio, hoje eu trouxe uma esponja velha de lavar a louça que a mãe não usava mais e coloquei na caixa lá na frente.”

E assim os assuntos se misturavam a todo momento, tendo os demais coleguinhas como plateia. “Tio, um coleguinha me beliscou hoje”, emendou o outro. Foi quando, depois do “momento descontração”, a professora interveio. “Pessoal, agora vamos falar somente sobre o nosso projeto de reciclagem, tá certo?!”

Desde então, de maneira didática, a educadora iniciou uma série de questionamentos sobre o projeto que está mobilizando a escolinha inteira. Inclusive as famílias. “Pessoal, que materiais que iriam para o lixo e que vocês trazem para a escola?”. Como já se esperava, Lucas e Luan novamente não se contiveram e recomeçaram o rodízio nas falas. “Profe, a gente traz escova de dente velha, tubo de pasta de dente, canetinha, e depois a gente ganha brinquedo, né profe?”, disse Lucas. “E sacos grandes a gente traz também, Lucas”, disse Luan, referindo-se às embalagens de fraldas descartáveis. E Luan finalizou: “Tio, a gente faz isso para não destruir a natureza.”


Lucas, de 5 anos, com a caixa de coleta do material | Foto: Lula Helfer

Lucas e Luan estão entre as 136 crianças atendidas na Escola Municipal de Educação Infantil Mundo Mágico, do Bairro Esmeralda, e envolvidas no projeto de reciclagem. A ideia começou assim. Dia desses, a educadora Caroline Seer Splett estava pesquisando na internet sobre o destino das embalagens. E descobriu duas situações alarmantes: muitos dos materiais levam até 400 anos para se decompor. Outra: cerca de um terço do lixo doméstico é composto por embalagens.

Ao constatar isso, Caroline resolveu promover uma campanha e mobilizar os demais educadores, crianças e pais. “Tem uma empresa de São Paulo (TerraCycle) que recebe resíduos de difícil reciclabilidade e paga pelo material”, explicou. “Recebemos R$ 0,01 em cada unidade que recolhemos e investimos o que ganhamos em brinquedos”, explicou.

A iniciativa, no entanto, vai muito além do retorno em materiais didáticos e entretenimento para os pequenos. “O que queremos é desenvolver nas crianças a consciência ambiental porque são eles que disseminam a ideia em suas casas”, disse Aline Solf, também coordenadora da ação. Um dos exemplos é o da família do garoto Rhafael de Lima, de 4 anos. Rejane, a mãe, mobilizou amigos e clientes em seu local de trabalho sobre o recolhimento dos resíduos. “Meu filho chega a ir nos vizinhos para buscar material e levar à escolinha. E no meu trabalho faço isso também. Acho essa ideia excelente.”


Caroline e Aline: conscientizar as crianças e famílias | Foto: Lula Helfer

Saiba mais

O material recolhido na Emei Mundo Mágico é separado e enviado via sedex, sem custos para a instituição, para a empresa TerraCycle. Após encaminhado e transformado em material para reuso, como vasos, bancos e baldes, o educandário é beneficiado com o valor de R$ 0,01 por unidade.

O objetivo da empresa é eliminar a ideia de lixo, reciclando o não-reciclável, desde esponjas de limpeza doméstica a instrumentos de escrita. Presente em 21 países, ela atua em parceria com  organizações sociais, órgãos públicos ou qualquer pessoa interessada em participar dos programas de reciclagem. Mais informações podem ser obtidas pelo endereço www.terracycle.com.br.


Materiais que fazem parte do projeto | Foto: Lula Helfer