Gauchão 11/03/2019 19h48 Atualizado às 09h59

Avenida é goleado e fica mais perto do rebaixamento

Periquito leva 4 a 1 do Novo Hamburgo, segue na zona da degola e precisará de um milagre nas duas rodadas finais

O Avenida ficou ainda mais próximo do rebaixamento depois de ser goleado por 4 a 1 pelo Novo Hamburgo na noite desta segunda-feira, 11, no Estádio do Vale, pela nona rodada do Gauchão. Com o resultado, o Periquito estacionou nos seis pontos na 11 e penúltima colocação do campeonato.

O time alviverde precisará de um milagre nos dois jogos restantes para não disputar a Divisão de Acesso em 2020. No próximo domingo, o adversário é o São José nos Eucaliptos e, no próximo dia 20, o Juventude no Alfredo Jaconi, em Caxias do Sul. Advertido pelo terceiro cartão amarelo, o volante Felipe Manoel não enfrentará o Zequinha. Por outro o lado, o também volante Jô e o meia-atacante Marcos Paraná ficam à disposição após cumprirem suspensão.

PRIMEIRO TEMPO

O confronto mal havia começado e os donos da casa saíram na frente logo aos 2 minutos. Héctor Bustamante ficou com a sobra e mandou uma pancada, sem chances para Fabiano Heves – 1 a 0. Antes de o Noia abrir o placar, William Schuster já havia arrematado pela linha de fundo.

O Periquito conseguiu reagir e deixou tudo igual aos 7. Márcio cruzou da esquerda e Flávio Torres fez de cabeça – 1 a 1. Três minutos mais tarde, o time anilado ficou mais uma vez à frente do placar. Sem marcação, Leandro Cearense finalizou rasteiro no canto direito de Heves, que nada pôde fazer – 2 a 1. Aos 15, Ednei cobrou falta e levou perigo à meta do goleiro alviverde, que realizou defesa providencial.

Em busca de uma nova igualdade no escore, o Avenida teve boa chance aos 27, com Thiago Steffen, que soltou uma bomba, à esquerda do gol de Gustavo. Na sequência, Tito bateu prensado com a zaga adversária e a bola saiu a escanteio. O Novo Hamburgo trocava passes, tentando achar espaços, mas apostava nos chutes de fora da área. Aos 33, Mossoró arriscou de chapa e Fabiano Heves segurou firme. O time comandado pelo santa-cruzense Bolívar permanecia na pressão, enquanto o Avenida esperava um erro do adversário para puxar o contra-ataque.

SEGUNDO TEMPO

Qualquer estratégia de o Avenida neutralizar as ações do Novo Hamburgo foi por água abaixo com apenas 6 minutos. Após falha no meio-campo, Juninho acionou Héctor Bustamante, que invadiu a área e tocou na saída de Fabiano Heves – 3 a 1. Dois minutos depois, Leandro Cearense finalizou e a bola tirou tinta do travessão.

O técnico Fabiano Daitx decidiu mexer no time e fez duas trocas simultâneas: Cléverson e Moisés Baiano entraram nos lugares de Índio e Thiago Steffen, respectivamente. Aos 19, Tito cruzou e Welder, na marca do pênalti, testou fraco para defesa tranquila de Gustavo. O Periquito voltou a ameaçar aos 22. Baiano lançou na área e Flávio Torres, de voleio, obrigou o arqueiro do Noia a fazer a defesa em dois tempos.

Aos 28, Luís Henrique ocupou a vaga de Tito na última modificação do Avenida. Pouco depois, Flávio Torres e cabeceou e Gustavo, atento, salvou quase em cima da linha. O Novo Hamburgo respondeu com Preto, que finalizou forte, Heves não conseguiu segurar e Héctor Bustamante, por pouco, não conferiu para o gol. No entanto, aos 38, o Noia liquidou a fatura. Rodrigo Paulista bateu do meio da rua e a bola quicou antes de morrer no fundo da rede – 4 a 1 e gritos de olé ao final do confronto.

GAUCHÃO
1ª FASE
9ª RODADA
NOVO HAMBURGO 4 a 1 AVENIDA

Data e horário: Segunda-feira, 11 de março, 20h
Local: Estádio do Vale, em Novo Hamburgo
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden, com Jorge Eduardo Bernardi e André Bitencourt
Gols: Novo Hamburgo - Héctor Bustamente (2/1ºT e 6/2ºT), Leandro Cearense (10/1ºT) e Rodrigo Paulista (38/2ºT); Avenida - Flávio Torres (7/1ºT)
Cartões amarelos - Felipe Manoel e Índio (Avenida)

NOVO HAMBURGO
Gustavo; Ednei, Fred, Eduardo Junho e Neuton (Fabinho); Amaral, William Schuster, Mossoró (Preto) e Juninho; Héctor Bustamante e Leandro Cearense (Rodrigo Paulista)
Técnico: Bolívar

AVENIDA
Fabiano Heves; Thiago Steffen (Moisés Baiano), Yuri, Claudinho e Márcio; Índio (Cléverson), Felipe Manoel, Tito (Luís Henrique) e Welder; Alexandre e Flávio Torres
Técnico: Fabiano Daitx