Planos interrompidos 13/08/2018 15h16 Atualizado às 13h45

Jovem encontrada morta em Santa Cruz pretendia se dedicar à fotografia

Francine Ribeiro sumiu nesse domingo, 12, e foi encontrada morta na manhã desta segunda-feira

A morte de Francine Ribeiro, de 24 anos, encontrada na manhã desta segunda-feira, 13, nas proximidades do Lago Dourado, em Santa Cruz do Sul, deixou a comunidade em choque. A jovem morava no Bairro Bom Jesus, em Vera Cruz, com a mãe e trabalhava em uma loja de roupas infantis, também no município. Conforme a irmã gêmea, Franciele Ribeiro, ela sempre trabalhou no comércio, mas tinha como hobby a fotografia. “Ela adorava fotografar, fazia eventos e books nos fins de semana. Ela gostava de fotografar as pessoas”, comenta.

LEIA MAIS: Corpo de jovem que estava desaparecida é localizado em Santa Cruz

Francine começou a trabalhar com a fotografia ainda no ensino médio. Após uma pausa na atividade, tinha planos de retomar o trabalho. “Ela gostava muito de fotografar, e nos últimos tempos ela estava tentando voltar a se dedicar a isso. Ela estava em uma fase muito boa da vida dela, com vários projetos”, destaca a irmã. Além da fotografia, de acordo com Franciele, a jovem também gostava de outras artes. "Ela tinha dons artísticos, gostava muito de arte. Tinha muita facilidade, até fazia alguns desenhos."

Devido ao trabalho no comércio e na fotografia, Francine era muito conhecida no município. “Ela era uma pessoa que se dava bem com todo mundo, conversava com todos, cumprimentava todo mundo na rua”, comenta a irmã. Franciele diz que Francine era muito alegre. “Ela era uma pessoa muito feliz, estava sempre sorrindo e brincando”, conta. “Ela amava animais, o cachorrinho Oliver era uma das paixões da vida dela”, comenta. Francine era noiva há cerca de dois anos. Ela deixa enlutados a mãe, o pai, a irmã, o noivo e inúmeros amigos. 

O caso

Francine teria saído de casa, em Vera Cruz, na tarde desse domingo, 12, para caminhar no Lago Dourado. Ela chegou a postar uma foto nas redes sociais enquanto estava no complexo, mas depois não foi mais vista. Familiares conseguiram rastrear o último sinal do telefone da vítima, que estava nas imediações do Lago Dourado e do Rio Pardinho. Na manhã desta segunda, foram até o local e encontraram Francine morta. Conforme a delegada Lisandra de Castro de Carvalho, titular da Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam), a vítima estava deitada, com as mãos amarradas e com manchas no pescoço. Não havia sinais de perfuração no corpo. 

O Instituto Geral de Perícias (IGP) foi acionado para realizar a perícia no local nesta tarde. Os serviços fúnebres estão a cargo da Funerária Caminho da Paz. A expectativa é de que o velório comece na noite desta segunda, na Capela Centro de Vera Cruz, e o sepultamento ocorra na tarde desta terça, no Cemitério Católico de Vera Cruz.