Portas abertas 09/10/2019 23h33 Atualizado às 20h48

FOTOS: como ficou a nova sede da Receita Federal em Santa Cruz

Gazeta acompanhou o primeiro dia de atendimento no novo prédio e explica os serviços prestados no local

Mais funcional, prático e moderno. Assim o delegado da Receita Federal de Santa Cruz do Sul, Leomar Padilha, classifica o novo prédio do órgão, aberto à comunidade desde a última terça-feira, 8. O empreendimento foi orçado em R$ 23,7 milhões e possui sete andares, além do subsolo e do estacionamento.

A obra, que teve a pedra fundamental lançada no dia 29 de abril de 2014, foi entregue oficialmente à Receita Federal no dia 28 de setembro. A partir de então começou a mudança da antiga sede da Receita, na Rua Felipe Jacobus, para a nova, localizada na Rua Gaspar Silveira Martins, 1.130. A área total é de 6.890,95 metros quadrados.

LEIA MAIS: Superintendência dá como certa a extinção da Delegacia da Receita Federal

A Gazeta do Sul acompanhou o primeiro dia de atendimento ao público na terça-feira e fez um tour pelos andares do prédio. “Essa nova sede atende por completo às nossas demandas, seguindo todas as normas trabalhistas e de acessibilidade”, comenta Padilha, admitindo que algumas alterações serão necessárias. “Já observamos alguns probleminhas neste primeiro dia e que acontecem ao final de todas as obras. Temos agora 90 dias para reportar as necessidades aos construtores, que devem sanar todos os problemas”, diz.

No primeiro andar, além da recepção, há guichês para atendimento e uma sala de espera. “Aqui funciona todo o atendimento aos contribuintes, desde necessidades como certidão negativa a problemas com a malha fina, protocolo de pedido de restituição e ressarcimento”, explica o delegado, salientando o belo jardim anexo à recepção. “Este espaço o contribuinte também pode acessar e relaxar enquanto aguarda alguma demanda.”

Foto: Cristiano Silva/Gazeta do SulRecepção fica no primeiro andar
Recepção fica no primeiro andar
Foto: Cristiano Silva/Gazeta do SulContribuintes aguardam atendimento na sala de espera
Contribuintes aguardam atendimento na sala de espera
Foto: Cristiano Silva/Gazeta do SulContribuintes são atendidos nos guichês
Atendimento é feito nos guichês
Foto: Cristiano Silva/Gazeta do SulJardim é equipado com bancos, onde é possível aguardar demandas
Jardim é equipado com bancos, onde é possível aguardar demandas
 

O segundo piso conta com salas de treinamento e o auditório, com espaço para cem pessoas. Este último ainda está na fase final da instalação elétrica. Localizada atualmente na Avenida João Pessoa, 260, a Procuradoria Geral da Fazenda passará a ocupar o terceiro andar do novo prédio. A mudança para o local, no entanto, começou apenas nessa quarta-feira. O quarto pavimento conta com o setor de arrecadação, cobrança e análise de direito creditório. “É uma importante seção que trata de orientação tributária, regimes especiais e restituição de Imposto de Renda”, esclarece Leomar Padilha.

Foto: Cristiano Silva/Gazeta do SulSala de treinamento e auditório se localizam no segundo piso
Sala de treinamento e auditório se localizam no segundo piso

 

 

Incentivo ao exercício alterou projeto inicial

Já o quinto pavimento conta com dois dos principais setores da Receita Federal: fiscalização e seção aduaneira. São espaços onde é verificado se os contribuintes estão pagando seus tributos, como Imposto de Renda, PIS e Cofins, além de cuidarem do comércio exterior e do combate ao contrabando.

No sexto andar encontra-se o gabinete do delegado, além das sessões de tecnologia e logística. Por fim, o sétimo pavimento conta com um espaço de convivência. Com vista para a cidade, o salão será mobiliado com biblioteca e academia. “Será um espaço para os nossos funcionários descansarem nos seus intervalos, podendo ler um livro, olhar a bela vista ou mesmo fazer algum exercício”, ressalta Leomar Padilha.

Foto: Cristiano Silva/Gazeta do SulGabinete do delegado fica no sexto pavimento
Gabinete do delegado fica no sexto pavimento
Foto: Cristiano Silva/Gazeta do SulSétimo andar conta com área de convivência
Sétimo andar conta com área de convivência
Foto: Cristiano Silva/Gazeta do SulSacada fica no sétimo piso
Sacada fica no sétimo piso

 

O exercício para os funcionários, aliás, foi pensado quando da concepção do novo prédio. “Inicialmente, ao subirem as escadas, as pessoas iriam se deparar com paredes sólidas que não eram atrativas. Entendemos que poderíamos incentivar o exercício fazendo uma pequena alteração no projeto, substituindo por vidros”, frisa. Agora é possível contemplar pequenos jardins, além da vista da cidade. O objetivo é incentivar os contribuintes a utilizarem a escada em vez do elevador.

O prédio ainda conta com um subsolo com duas cozinhas (uma masculina e outra feminina), gerador, arquivo e depósito. O espaço externo tem 49 vagas de estacionamento para funcionários e contribuintes.

Foto: Cristiano Silva/Gazeta do SulFuncionários têm cozinhas à disposição
Funcionários têm cozinhas à disposição
Foto: Cristiano Silva/Gazeta do SulNo subsolo fica o depósito, que ainda tem movimentos da mudança
No subsolo fica o depósito, que ainda tem movimentos da mudança

 

A obra

Custo total: R$ 23.734.731,92
Área: 6.890,95 metros quadrados
Andares: sete, mais o subsolo
Vagas de estacionamento: 49
Início: 29 de abril de 2014
Fim: 28 de setembro de 2019
Local: Rua Gaspar Silveira Martins, 1.130

Solenidade em novembro

Embora já em funcionamento, o novo prédio da Receita Federal deve ter uma solenidade oficial de inauguração no início de novembro. A unidade de Santa Cruz do Sul abrange 69 municípios dos vales do Rio Pardo, Taquari e Caí. Conforme Leomar Padilha, a reclassificação da unidade local de delegacia para agência deve ocorrer a partir de janeiro.

Os serviços prestados ao público, no entanto, irão se manter, com apenas a gestão de trabalho sendo executada por outras unidades. Com isso, a gerência da futura agência de Santa Cruz ficará a cargo de uma equipe de Porto Alegre e a figura do delegado será extinta tão logo se confirme oficialmente a reclassificação.

Natural de Constantina, no Norte do Rio Grande do Sul, Leomar Padilha veio trabalhar no setor de fiscalização da Receita Federal de Santa Cruz no fim de 2014. Em 2015 assumiu a função de delegado. Segundo ele, embora ainda com a situação indefinida, a tendência é que retorne ao antigo posto no setor de fiscalização e permaneça na cidade que diz ter gostado. “Se dependesse de mim eu continuaria em Santa Cruz do Sul, pois vivemos bem aqui”, afirma. O horário de atendimento ao público é das 9 horas às 11h30 e das 13 horas às 16h30, de segunda a sexta-feira.