Verão 17/01/2019 13h20 Atualizado às 14h31

Aparecimento de cobras preocupa moradores em Santa Cruz

Orientação da Prefeitura é que o resgate seja acionado

O que você faria se desse de cara com uma cobra no pátio da sua casa? Em Linha João Alves, em Santa Cruz do Sul, esta tem sido uma cena comum entre os moradores, especialmente no Loteamento Nova Santa Cruz. Residente no local, Rosimere Watte conta que as cobras têm aparecido em terrenos onde não há construção, com matagal alto. “Precisamos de solução, de atitudes que possam dar resultados”, comenta.

A suspeita dos moradores é de que as cobras sejam corais, serpentes da família Elapidae, da tribo Calliophini. Conforme a Secretaria de Meio Ambiente, Saneamento e Sustentabilidade, o aparecimento dos animais é comum no verão. Naturalmente, entre setembro e janeiro há o período de reprodução, o que faz com que aumente o número populacional destes animais.

Apesar da suspeita dos moradores, é necessária uma análise profunda para comprovar se a serpente é uma coral verdadeira ou não. No entanto, o animal é importante para a natureza por ser uma das poucas espécies que se alimenta de outras serpentes. Elas podem ser atraídas pelo calor, pedras e até entulhos, mas são muitos aspectos que favorecem o aparecimento das cobras na área urbana.

O secretário de Meio Ambiente, Saneamento e Sustentabilidade, Raul Fritsch, comentou que a Prefeitura não foi notificada dos aparecimentos recentes em Linha João Alves. No entanto, é comum o surgimento dos animais naquela região, bem como em Linha Santa Cruz. A secretaria ressalta, ainda, que as cobras corais não tendem a ser agressivas.

Foto: Reprodução/WhatsAppMoradores registraram o aparecimento das cobras
Terrenos na vizinhança teriam atraído as cobras

 

O que fazer?

A cartilha da fauna, da Prefeitura de Santa Cruz, traz orientações para lidar com animais em geral. A primeira delas instrui que não se interfira na situação, já que muitas vezes o animal só está de passagem pelo local. “Os animais silvestres têm direito à livre circulação em todo território nacional (Lei Federal 5.197/67), independente se imóvel público ou de particular”, diz a cartilha. Ainda são elencados:

- Mantenha presos os animais de estimação até que a fauna silvestre saia por conta ou seja resgatada.
- Abra portas/janelas, desligue luzes, deixe o animal solitário até que saia por conta ou seja resgatado.
- Quando a presença for indesejada, retire atrativos, como fontes de alimento e abrigos.


Resgate

A orientação da Secretaria de Meio Ambiente é que os moradores acionem os Bombeiros ou a própria secretaria para a realização do resgate das serpentes.


Dicas

Para evitar o aparecimento das serpentes, a secretaria orienta que não se acumule lixo ou entulhos. Veja dicas: 

- Não acumule lixos. Embalar, às vezes, não é proteção suficiente. Adote tambores, contêineres, recipientes fechados e resistentes. Disponha seus resíduos no pátio/rua somente nos horários próximos da coleta.
- Vede/conserte fendas ou aberturas. Spray de espuma de poliuretano pode ser útil.
- Proteja canalizações/calhas, com grades ou telas metálicas de malha fina.
- Manejo de exclusão: ao vedar aberturas inicie por aquelas menos importantes. Por último, deixe uma saída principal, de preferência já utilizada pelo animal, para que este possa escapar com vida. Conheça seus horários, assegurando-se de que abandonou o local.
- Remova entulhos, eles podem servir de abrigo.
- Remova excesso de ajardinamento, principalmente, trepadeiras em muros e paredes.